enhanced by Google
  • Educação
  • Noticiário

Profissões e Cursos

Técnico de Alimentos

Sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Profissões e Cursos

Segurança sanitária é fundamental quando o assunto é alimentação. O Técnico de Alimentos tem papel importante na garantia da qualidade dos produtos consumidos pela população. Confira, a seguir, entrevista com o Professor Eidiomar Angelucci,  coordenador do curso técnico em Alimentos da Escola Senai Prof. Dr. Euryclides de Jesus Zerbini, em Campinas/SP

 

Por Rogerio Jovaneli

 

JC&E - O que faz o Técnico de Alimentos?

 

Profº Eidiomar Angelucci - Orienta, acompanha e controla as etapas da industrialização de alimentos de origem animal e vegetal, executando o processamento industrial, desde o recebimento da matéria-prima até o produto final, supervisionando e executando as análises bromatológicas, microbiológicas e de avaliação de qualidade da matéria-prima, dos insumos e do produto final. Também orienta, coordena e realiza testes experimentais e de pesquisa visando à melhoria nutricional e da qualidade dos alimentos. O Técnico pode se especializar em diferentes áreas: bromatologia, microbiologia, avaliação da qualidade, carnes e derivados, leite e derivados, pescado, bebidas, massas alimentícias, doces, conservas vegetais, produtos de panificação e confeitaria, óleos e gorduras, café, cacau, chá e derivados, aditivos, ingredientes e água, dentre outros.

Esse profissional deve se dedicar para que todos os brasileiros possam ter uma alimentação digna de suas necessidades metabólicas diárias, com alimentos sadios e altos valores nutritivos.

 

JC&E - Onde esse profissional atua?

 

Profº Angelucci - O Técnico em Alimentos pode trabalhar em laboratórios de análise (como analista ou supervisor) ou na industrialização de alimentos de origem vegetal ou animal, visando à melhoria da qualidade e da segurança do alimento. Ele é o elo entre o engenheiro e o pessoal operacional. Esse profissional encontra campo em qualquer empresa da área de alimentos, aditivos, insumos, água, embalagens, na vigilância sanitária, na agroindústria, em institutos de pesquisa e, também, na indústria de nutrição animal.

 

JC&E – Fale sobre o curso. Que características deve ter o profissional dessa área?

 

Profº Angelucci – Nosso curso é desenvolvido em quatro semestres, com aulas teóricas e práticas. O aluno também realiza estágio obrigatório supervisionado de, no mínimo, 400 horas. O candidato a essa carreira deve ter interesse pelas áreas de ciências.

 

JC&E - Como está o mercado de trabalho para Técnicos de Alimentos?

 

Profº Angelucci - O conhecimento dos alimentos é muito importante já que esse profissional lida com produtos que serão consumidos pelo ser humano, sejam eles agrícolas ou de origem animal. Assim, a segurança sanitária do alimento, tanto in natura, como industrializado, é fundamental. Empresas cujos objetivos são sérios quanto à qualidade dos alimentos devem contar com a competência profissional do Técnico em Alimentos para garantir a qualidade dos produtos consumidos no país ou exportados.

A indústria de alimentos (carnes, leite, pescado, massas alimentícias, produtos de panificação e confeitaria, doces, sorvetes, vegetais, frutas, bebidas, água), zelosa pela qualidade dos seus produtos, conta com Técnicos em Alimentos, tanto na industrialização dos alimentos como na área laboratorial, setores que considero bastante promissores.

A qualificação dada pelo Senai, aliada à colaboração dada pelo Instituto de Tecnologia de Alimentos, aqui de Campinas, para as aulas práticas dos alunos, possibilita a formação de profissionais com uma base tecnológica bastante sólida. Mas, infelizmente, ainda há desconhecimento das empresas quanto à qualidade dos profissionais formados.

 

JC&E – Quanto ganha esse profissional?

 

Profº Angelucci - O salário inicial, para recém-formados, gira em torno dos mil reais. Porém, um Técnico com experiência profissional supera muito este valor.

 

JC&E – Quais sites você indica a quem quer conhecer mais sobre a área?

 

Profº Angelucci - recomendo a consulta a alguns sites técnico/científicos importantes, como o PAS (www.alimentos.senai.br), BIBFEA (www.fea.unicamp.br/alimentarium), SCIRUS (www.scirus.com) e SCIELO (www.scielo.org).

 

Onde estudar

 

Escola Senai “Prof. Dr. Euryclides de Jesus Zerbini”: av. da Saudade, 125 - Ponte Preta - Campinas/SP – tel.: (19) 3236-3012 / e-mail: senaizer@sp.senai.br.

 

Como ingressar:

 

Aqueles que pretendem ingressar nos cursos técnicos gratuitos do Senai-SP, entre eles o de Alimentos, devem comprovar a conclusão do ensino médio, além de obter aprovação em processo seletivo realizado pela instituição. O próximo terá inscrições de 24 de março a 4 de abril.

  • Tags:

COMENTÁRIOS

2 Comentário(s)
  • Seu nome  
  • Seu email    
  • Seu comentário  
  • anderson
    12/12/2012 20:03
  • Olha quem publicou que o tecnico ganha em torno de mil reais esta equivocado.Estudo na fatec, considerado bem melhor que o sesi em termos de formação academica e conteudo, inclusive a minha escola ficou entre as tres melhores do Brasil, e realmente não se ganha "mil reais" como foi escrito, ao menos na minha cidade ja começa ganhando mil e oitocentos reais, só de início.O curso vale a pena, é muito bom, e garanto que é nivel de engenharia, perde por pouca coisa.
  •  
  • Nubia Souza
    02/08/2012 14:13
  • fiz o curso tec em alimentos mas nao tenho experiencia .Como ingressa no mercado de trabalho?
  •  
224.286 vagas no site
PROVAS ANTERIORES SIMULADOS ONLINE

32.158
Provas disponíveis

41.488
Questões disponíveis