Notícia › Concursos
  • indique
  • imprimir
    Banco do Brasil

    Rápida progressão na carreira é atrativo do órgão

    Sexta-feira, 14 de maio de 2010

    imagem

      Quem pretende trabalhar na área bancária vem tendo ótimas novidades desde o início do ano. Em fevereiro, o Banco do Brasil abriu seleção para o cargo de escriturário nos Estados da Bahia, Goiás, Minas Gerais e Pará. Pouco tempo depois, foi a Caixa Econômica Federal (CEF) quem lançou dois processos seletivos para todas as regiões do país. As chances oferecidas eram para técnico bancário, advogado, arquiteto e engenheiro.

       

      Agora, mais um concurso para escriturário no BB foi aberto. Desta vez, a instituição contempla o Estado de São Paulo, com oportunidades para municípios de “a” a “z” no interior, litoral e Grande São Paulo. Vale destacar as cidades de Campinas, São José dos Campos, Taubaté, Jundiaí, Santos, Barueri, Sorocaba, Franca, Bauru, entre outros.

       

      A capital paulista acabou ficando de fora, mas, segundo Maurício Lambiasi, gerente-geral de gestão de pessoas do BB em São Paulo, o banco deverá promover seleção com chances somente para a cidade de São Paulo no próximo ano.

       

      De acordo com Lambiasi, a instituição vem investindo muito no Estado, por conta da aquisição do Banco Nossa Caixa, sacramentada no final de 2008.

       

      Todo processo seletivo do BB não disponibiliza ofertas imediatas e, sim, chances para formação de cadastro reserva (CR). Apesar de as vagas de cadastro gerarem ansiedade nos candidatos, a expectativa de convocação é grande. No início do ano, a assessoria de imprensa do BB confirmou que o banco contratará, em todo o país, cinco mil novos funcionários em 2010 e outros cinco mil no próximo ano.

       

      Ascensão – Qualquer interessado em ingressar na instituição terá que prestar concurso para escriturário, cargo inicial do BB e que exige ensino médio completo como escolaridade mínima.

      A boa notícia, como afirma Lambiasi, é que as expectativas de crescimento dentro do órgão são enormes. “O funcionário começa trabalhando nas agências de varejo e, passados os 90 dias que equivalem ao período de experiência, já pode galgar outros cargos”, explica.

       

      Para o gerente, qualquer concursado do banco pode chegar à presidência da instituição. Ao contrário do que possa parecer, a frase acima não é dita em tom de brincadeira e tem respaldo na realidade, já que o atual presidente Aldemir Bendine é funcionário de carreira do órgão.

       

      Desta maneira, um concursado que comece a trabalhar como escriturário tem condições de logo assumir, por exemplo, a gerência de uma unidade do BB. “Tudo vai depender do desempenho do funcionário. O processo aqui dentro é muito dinâmico”, afirma Lambiasi.

       

      Há ainda chances do funcionário conseguir atuar em sua própria área de formação. Ele pode obter transferência para setores específicos do órgão, como os departamentos jurídico, de marketing, de jornalismo, entre outros.

       

      Segundo dados da assessoria de imprensa, mais de 70% dos profissionais do banco possuem curso superior. “As pessoas sabem que podem crescer se tiverem estudado”, diz o gerente.

       

      Para estimular a qualificação profissional de seus funcionários, a instituição adota algumas medidas de incentivo. Bom exemplo é o sistema conhecido pela sigla TAO, abreviação para talentos e oportunidades. Neste programa, ficam registrados a formação do funcionário e os cursos de aperfeiçoamento e atualização concluídos por ele. Assim, quando uma oportunidade em outro departamento do banco surge, o programa é capaz de direcionar quem é o mais apto a ocupá-la.

      Além do TAO, o banco ainda incentiva a formação educacional através da concessão de bolsas de estudo para graduação e pós-graduação e da Universidade Banco do Brasil, que disponibiliza cursos para os funcionários e para os menores aprendizes que prestam serviços para o órgão.   

       

      Salário e benefícios – De acordo com o edital do processo seletivo, a remuneração inicial oferecida pelo BB corresponde a R$ 1.132,80 para uma jornada de trabalho de 30h semanais. Ao vencimento básico, é acrescida uma gratificação semestral, paga mensalmente, e que, segundo o gerente do órgão, eleva o salário para R$ 1.413,10.

       

      Há também outros benefícios, como auxílio-creche, vale-refeição, cesta alimentação, participação em programas de assistência social e até uma 13ª cesta alimentação, que chega junto com o aguardado 13º salário no final do ano. “O funcionário tem também direito a se ausentar do trabalho cinco vezes por ano e ter estas faltas abonadas”, complementa o gerente.

       

      Além da remuneração e dos benefícios, outro item que enche os olhos de quem pretende ingressar no banco é o pagamento referente à participação nos lucros e resultados. Uma prática adotada pelo BB agrega outro atrativo no pagamento dos lucros e resultados. A parcela é paga todo semestre, ao contrário da maioria das empresas que costuma efetuar o pagamento uma única vez ao ano.   

       

      Talita Fusco/SP

       

       

      Veja também:

       

      Banco do Brasil/SP: inscrições prorrogadas até a próxima segunda-feira

       

      Em vídeo: Copa do Mundo x expediente de trabalho

       

      Tribunais: 329 oportunidades com salário de até R$ 18 mil

       

      Aeronáutica: corporação oferece 443 vagas em todo o país

      • Concursos de Nível
      • Concursos da Área
      • Concursos no Estado