Notícia › Concursos
  • indique
  • imprimir
Marinha

Saiu a lista de aprovados para segunda fase de prático

Sexta-feira, 7 de outubro de 2011

A Marinha divulgou a relação de candidatos aprovados para a segunda fase do processo seletivo que visa selecionar 81 profissionais para integrarem o programa de qualificação de praticante prático.

O resultado, que foi publicado no site da Diretoria de Portos e Costas (www.dpc.mar.mil.br), pode ser consultado no anexo ao lado.

A segunda etapa da seleção será composta por seleção psicofísica, teste de suficiência física, prova de títulos e prova prático-oral. A programação será divulgada pela Marinha a partir do dia 14 de outubro.

Concurso
O cargo exige nível superior em qualquer área e habilitação como aquaviário da seção de convés ou de máquinas (nível igual ou superior a quatro), ou como pertencente ao grupo de amadores, no mínimo na categoria de mestre-amador.

De acordo com o número de manobras, o funcionário – não caracterizado como militar ou servidor público – pode receber de R$ 60 mil a R$ 130 mil.

As funções serão desempenhadas nas Zonas de Praticagem da Fazendinha (AP): Itacoatiara, Itacoatiara e Tabatinga (AM); Belém (PA); Itaqui, Alumar e Ponta da Madeira (MA); Fortaleza e Pecém (CE); Areia Branca e Natal (RN); Cabedelo (PB); Recife e Suape (PE); Maceió e Terminal Químico (AL); Redes e Terminal Marítimo Inácio Barbosa (SE); Salvador, Portos, Ilhéus e Terminais da Baía de Todos os Santos (BA); Vitória, Tubarão, Praia Mole, Barra do Riacho e Ubu (ES); Rio de Janeiro, Niterói, Sepetiba, Ilha Guaíba, Ilha Grande (TEBIG), Angra dos Reis e Forno (RJ); Santos, Baixada Santista, São Sebastião e Tebar (SP); Paranaguá e Antonina (PR); São Francisco do Sul, Itajaí, Imbituba e Navegantes (SC); Rio Grande, Lagoa dos Patos, Rios, Portos e Terminais Interiores (RS).

O Programa de Qualificação do Praticante Prático da Marinha tem duração de 12 a 20 meses e habilita os participantes a fazerem manobras de navios próximos a trechos de costa, baías e portos, garantindo a segurança das embarcações e evitando tragédias marítimas.

Leandro Cesaroni