Uma tarefa chamada “memorização”

Vista como coisa “chata” e sinônimo de “decoreba”, o concursando normalmente não gosta muito dessa tarefa

Redação
Publicado em 16/08/2011, às 15h27

Claudia Jones
Uma das mais difíceis tarefas durante a preparação do candidato é a memorização. Vista como coisa “chata” e sinônimo de “decoreba”, o concursando normalmente não gosta muito dessa tarefa. Para dizer a verdade, acho que não deve existir alguém que goste, mas se trata de uma etapa do processo que não tem como ser ignorada. Então, vamos a algumas dicas para que o sacrifício seja menos árduo e mais compensador.
A primeira dela é entender que só se consegue passar em concurso público tendo uma boa base teórica do conteúdo exigido no edital e fazendo e refazendo exercícios, de preferência de acordo com a banca organizadora. Talvez você já tenha ouvido alguém falar sobre isso em algum lugar, mas o fato é que essa “repetição” é fundamental à memorização. Através dela o candidato vai fixar a matéria e dificilmente a esquecerá.
Como cumprir essa etapa é o passo seguinte. Faça resumos dos pontos mais importantes das disciplinas e marque o que cai com mais frequência nas provas. Pode ser por tópicos; acredito que esse método facilite. Assim, você não se “perde” com muitas informações e vai direto nas principais, poupando tempo e esforço.
Enquanto você anota, você memoriza e revê a matéria ensinada em sala de aula. Esse sistema de aprendizado requer paciência, mas é muito eficaz. Aliás, fazer concurso público requer paciência. Essa é uma qualidade muito importante para o candidato seja qual for o concurso que pretenda concorrer a uma vaga. Como já dizia o ditado “quem tem pressa come cru e quente”.
Bons estudos!
Cláudia Jones é especialista em concursos da Academia do Concurso

Comentários

Mais Lidas