Seja sábio: escolha com o que se ocupar!

Ser sábio é perceber possibilidades ao seu redor e não desistir, ter atitude de persistência e determinação constante.

Redação
Publicado em 19/11/2013, às 14h20

Luiza Ricotta

O dia a dia de quem está envolvido no mundo dos concursos requer pensamento estratégico. Sim, saber o quê e quando é melhor. De que forma e com que frequência.

Toda essa preparação a fim de obter melhores resultados e consequentemente a tão esperada aprovação, te coloca em contato com muitas possibilidades. Há opções exigindo de você decisões e focos de atenção: conteúdo, vídeos, livros, palestras, sites e portais de instituições públicas, jornais e boletins especializados no segmento. Com isso é difícil escolher e optar pela melhor estratégia.

Há também atitudes a tomar: Devo ir em busca de provas anteriores ou de novos editais? Devo me lançar em outras funções? Mas se for por esse caminho, precisarei modificar e inserir novas disciplinas em meu plano de estudo? Minha metodologia está apropriada? Atende as minhas necessidades?

São muitos os questionamentos diante desse processo que envolve desde a decisão pela carreira como a vivência de todo o percurso, considerando as diferentes etapas pelas quais irá passar até sua aprovação.

É importante ter como certo que uma das suas convicções é pensar “vou permanecer até passar”, o que envolve não desistir, ter atitude de persistência e determinação constante. Pois os desvios de rota serão inúmeros, confundindo-o diante de tantas atenções que envolverão seu trajeto. O mais importante está em ajustar seu processo de aprovação em seu próprio molde. Essa é uma das melhores estratégias: tem que ser bom para você, sem lhe causar sofrimento.

O estudo precisa ser gratificante e a aprendizagem, para ocorrer, ser significativa e baseada em um modelo associativo de compreensão. Ter o atributo de acrescentar à pessoa, ser útil e direcionada para a aplicação. Por isso é importante buscar conteúdos que sejam direcionados à prática profissional, onde as provas de concursos são um retrato disso, buscando profissionais que tenham pensamento voltado para a transposição do conhecimento e de seus desdobramentos. De nada adiantaria se tornar um candidato bitolado, isolado e ensimesmado. É preciso expandir, ir além, provar para si mesmo que evolui. E para isso precisará aprender a ler seus marcadores que lhe apontam progressos.Suas atenções devem estar bem direcionadas, no que tangem às estratégias que podem ser bem escolhidas ao decodificar claramente o seu momento e necessidade.

Não fique ansioso por chegar ao resultado da aprovação a qualquer preço e sim meça seu progresso à medida de seu aprimoramento e dos pequenos, porém, constantes resultados. São eles que, somados, o levarão a dimensionar o trajeto percorrido e ver diminuídos seus custos emocionais.

Luiza Ricotta é psicóloga, psicoterapeuta e coaching de candidatos à carreira pública. Professora em cursos de pós-graduação e preparatórios para concursos,articulista e conteudista. Desenvolve trabalho específico de preparação emocional em concursos, sendo criadora desse processo. Vídeoaulas do assunto no portal www.jcconcursos.com.br na área VIP para assinantes.

Comentários

Mais Lidas