Polissemia e muito mais

Neste artigo, você poderá ver algumas dicas de língua portuguesa com professora Sandra Ceraldi Carrasco.

Redação
Publicado em 07/02/2014, às 15h45

Sandra Ceraldi

Uma palavra polissêmica é aquela que reúne vários significados. A polissemia constitui uma propriedade básica das unidades léxicas e um elemento estrutural da linguagem. O oposto da polissemia é a monossemia, quando uma palavra assume apenas um significado.

Alguns exemplos polissêmicos:

- Os convites eram de graça. (pagamento do convite)

- Aquela menina era uma graça.(beleza)

- Os fiéis agradecem a graça recebida. (favor recebido)

- Ele dançou muito bem. (significado real)

- Ele dançou no concurso. (significado figurado)

Alguns elementos monossêmicos:

- A xícara de porcelana que comprei está quebrada.

- A porcelana é um material muito caro.

Há confusão entre polissemia e homonímia, que é bastante comum, mas temos que analisar quando a mesma palavra apresenta vários significados (polissemia) e quando duas ou mais palavras com origens e significados distintos têm a mesma grafia e fonologia(homonímia).

Analise a classificação a seguir:

Homógrafas heterofônicas (ou homógrafas) são as palavras iguais na escrita e diferentes na pronúncia. Exemplo:gosto (substantivo) – gosto (1ª pess. sing. pres. ind., verbo gostar); conserto(substantivo) – conserto (1ª pess. sing. pres. ind., verbo consertar).

Homófonas heterográficas (ou homófonas) são as palavras iguais na pronúncia e diferentes na escrita. Exemplo:
cela (substantivo) – sela (verbo); cessão (substantivo) – sessão (substantivo);cerrar (verbo) – serrar (verbo).

Homófonas homográficas (ou homônimos perfeitos) são as palavras iguais na pronúncia e na escrita. Exemplo:
cura (verbo) – cura (substantivo); verão (verbo) – verão (substantivo); cedo(verbo) – cedo (advérbio).

Existem também neste estudo as palavras parônimas,que são palavras parecidas na escrita e na pronúncia. Analise os exemplos:

- eminente e iminente;

- comprimento e cumprimento;

- tetânico e titânico;

- autuar e atuar;

- degradar e degredar;

- infligir e infringir;

- deferir e diferir;

- suar e soar.

Não podemos deixar de lado um assunto muito importante que é a diferença entre ambiguidade e polissemia, pois temos que tomar cuidado na escrita, na fala e nas provas dos concursos.

A ambiguidade ocorre quando a colocação de uma palavra ou expressão impossibilita a interpretação clara de um enunciado. Veja os exemplos:

- Pedro, o Paulo saiu com sua namorada.(namorada de quem?)
- Candidatos que estudam frequentemente passam nos concursos. (estudam frequentemente ou frequentemente passam?)

Repare que a disposição dos termos das orações apresenta duplo sentido, a interpretação fica prejudicada, o sentido confuso e o entendimento ambíguo. Essa forma de escrita deve ser evitada.

Já a polissemia apresenta uma palavra ou expressão com mais de um significado. Diferente da ambiguidade vista anteriormente, aponta múltiplos sentidos de uma palavra ou expressão e é a partir dela que o contexto se torna múltiplo.

Bons estudos!

Professora Sandra Ceraldi Carrasco éconsultora, especialista em língua portuguesa e autora de livros e periódicos na área. Há mais de 20 anos ministra cursos e palestras com índice recorde de aprovação. Seu mais recente trabalho aborda deforma prática o Acordo Ortográfico. Atualmente é coordenadora de cursos e professora de redação oficial da Academia de Polícia de São Paulo. Contato:professora.sandracarrasco@uol.com.br.



Comentários

Mais Lidas