Como lembrar tudo no dia da prova?

Existem ferramentas efetivas para você não esquecer o que aprendeu. Saiba mais sobre o mecanismo pelo qual o seu cérebro aprende, e consequentemente, pelo qual você guardará tudo (ou quase tudo) no dia da prova

Redação
Publicado em 23/08/2012, às 11h34

Wander Garcia


Um dos maiores receios dos examinandos é justamente o de esquecer o que aprendeu, na hora da prova. Entendo perfeitamente você, que tem esse receio, até porque também já passei por isso.


Porém, saiba que há ferramentas efetivas pra você não esquecer o que aprendeu.


Na última coluna comentamos sobre os quatro momentos do aprendizado perfeito. Na ocasião, explicamos a necessidade de se ter (1) CONTATO, (2) COMPREENSÃO, (3) PRÁTICA e (4) NOVO CONTATO.


Esse caminho passa por um bom material (contato), pela concentração (compreensão), pela prática (resolução de questões) e pelo novo contato (revisão).


No entanto, há um ponto que precisa ser reforçado. Trata-se do mecanismo pelo qual o seu cérebro aprende, e consequentemente, pelo qual você guardará tudo (ou quase tudo) no dia da prova.


Olha só que interessante! Durante o dia, você recebe um grande número de informações, não é? Há de tudo nessas informações, inclusive aquelas mais importantes pra você nesse momento, que são as que cairão na sua prova.

  

Essas informações todas vão sendo armazenadas em sua memória volátil, mais precisamente em seu SISTEMA LÍMBICO, um espaço pequeno que fica bem no meio do cérebro. Essa memória, pequena, perde-se muito facilmente. Ela equivale à memória RAM do seu computador.


Tá, mas como eu faço para guardar diretamente as informações numa memória mais parruda? Pois é, não tem jeito. Isso porque é impossível receber uma informação e gravá-la diretamente em nossa memória permanente, que fica no CÓRTEX (espaço enorme do cérebro, que fica na parte de cima dele).


O córtex equivale à memória HD do seu computador. Se você salvar um arquivo lá, ele nunca será perdido. Sempre que precisar, você abrirá o arquivo guardado e o usará com tranquilidade.


Tá, mas e aí, como as informações que eu recebo vão para o CÓRTEX?


É muito simples. Durante a noite, as informações marcantes que você recebeu durante o dia (e que foram para o sistema límbico) são transferidas para o córtex. É isso mesmo: à noite você faz um “download” das informações recebidas, passando-as de uma memória volátil para uma memória definitiva.


Mas tem um problema. SOMENTE as informações MARCANTES que você tiver durante o dia serão transferidas de uma memória para outra.


Ah, então já entendi! Tenho que fazer duas coisas, então. Primeiro dormir bem, pois, assim, meu download será bem feito. Segundo: reforçar ao máximo as informações que eu receber em meus estudos.


Isso mesmo!!! Dormir bem é com você. Busque alternativas para ter uma boa noite de sono. Já quanto a reforçar as informações recebidas durante o dia, aí posso lhe ajudar.


Um fator imprescindível é você estudar com sensação de bem-estar. O estudo será marcante se você o fizer com a cabeça boa. Para isso, uma boa alimentação e exercícios físicos (pode ser uma caminhada, por exemplo) são capazes de influir decisivamente nessa sensação, por produzirem a serotonina e a endorfina, respectivamente.


Outro fator fundamental é seguir a máxima “aula dada, aula estudada HOJE”. Se você assistir a uma aula, deve, no mesmo dia, estudá-la, lendo a matéria de novo e fazendo MUITOS exercícios de exames anteriores. Isso fará com que a informação fique extremamente marcante em seu sistema límbico, garantindo a passagem dela para o seu córtex, ou seja, para o seu maravilhoso HD.


Bom, agora que você já sabe como guardar tudo na hora da prova, MÃOS À OBRA.


Wander Garcia – Professor de cursos preparatórios para concursos públicos, doutor e mestre pela PUC/SP, coordenador acadêmico da Editora FOCO e diretor acadêmico do IEDI – Cursos Online. wander.garcia@uol.com.br

Comentários

Mais Lidas