Ensino à distância: será que serve para mim?

No mundo agitado e globalizado de hoje, ter acesso ao conhecimento de forma remota é uma ferramenta que se mostra muito interessante

José Aquino
Publicado em 03/12/2013, às 14h45

Processos de Ensino à Distância (EAD) vieram para ficar. No mundo agitado e globalizado de hoje, ter acesso ao conhecimento de forma remota é uma ferramenta que se mostra muito interessante, seja do ponto de vista do tempo economizado em deslocamento, seja pelo acesso a instituições em outras cidades e países.
Porém, como tudo na vida, existem os dois lados da moeda. Se há ganhos, também há eventuais perdas.
Quando pensamos em fazer um curso através de EAD, existem alguns aspectos que precisam ser analisados antes de tomarmos a decisão: Gestão de tempoO primeiro pensamento que temos é que o EAD vai nos poupar tempo e esse raciocínio é lógico. Porém, não podemos esquecer que para termos sucesso no EAD, precisaremos criar uma rotina de aulas e estudos e que não haverá um controle externo. Depende de nós mesmos a elaboração de uma agenda e o efetivo cumprimento dela.
Você é uma pessoa disciplinada, cumpre prazos, define rotinas específicas e não fica protelando as coisas? Ótimo, EAD tem tudo para funcionar bem.
Se você vive atrasado, deixa tudo para última hora, nunca tem tempo para nada e se distrai facilmente durante a realização de tarefas que exigem concentração, cuidado. Se você não melhorar sua própria gestão de tempo, o EAD poderá ser uma grande armadilha e fonte de frustração.  Expectativa e contextoEm cada fase da vida temos expectativas diferentes e vivemos cenários distintos. Entender com clareza o que você busca em cada etapa e quais os recursos necessários para atingir seus objetivos é fundamental para a escolha da modalidade de ensino.
Você busca um diploma por que, nesse momento, isso é imprescindível para sua carreira? Ou você busca agregar conhecimento em uma área complementar para ter mais opções no médio prazo? Ou, ainda, é apenas a curiosidade sobre um determinado assunto sem relação com sua vida profissional?
Você está mais interessado na certificação ou no conteúdo? Mais interessado em informação ou em construir um bom networking?
Não existem respostas certas ou erradas para essas perguntas, cada pessoa tem seu contexto e seus objetivos. Assim, a escolha entre o modelo presencial e o EAD deve considerar essas e outras questões.
Qualidade do ensinoAo analisar as opções de ensino presencial você se preocupa com a qualidade, certo? No EAD, isso deve ser considerado de modo ainda mais atento, pois você terá menos apoio no dia a dia. Informe-se sobre as referências da instituição e do curso no MEC, condições de bibliotecas e laboratórios, infraestrutura para os momentos presenciais (sim, você terá momentos presenciais no EAD), serviço de suporte ao aluno e formação dos tutores.
Perspectiva do mercadoA qualidade dos processos de EAD melhorou muito nos últimos anos, mas dependendo do curso que você pretende fazer, convém fazer uma análise mais detalhada sobre a perspectiva do outro lado, ou seja, do mercado.
As empresas e instituições que vão contratar você são formadas por pessoas. E pessoas tomam decisões com base nas suas próprias crenças, mesmo que nem sempre existam evidências que comprovem sua veracidade.
Assim, tome cuidado para não se matricular em cursos que são mal vistos pelas pessoas que terão o poder de dizer sim ou não para sua contratação no futuro. A qualidade do curso EAD é fundamental, mas a percepção do contratante sobre o assunto é ainda mais importante.
Optar pelo EAD não deve ser uma decisão impulsiva. Investigue, ouça argumentos de quem aprova e de quem não aprova o EAD e tome uma decisão pensada. Lembre-se que boa parte da sua vida futura vai depender disso.
José Aquino é coach e sócio-diretor da Empresa Avancorp em São Paulo/SP

Comentários

Mais Lidas