Planejamento autoriza concurso para 216 vagas na PRF

As oportunidades serão para agente administrativo, cargo que exige nível médio e oferece remuneração de R$ 3.689. Concurso será para substituir terceirizados e deve ocorrer até junho

Fernando Cezar Alves
Publicado em 30/12/2013, às 11h55

O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) autorizou nesta segunda-feira (30)  a realização de concurso público para o preenchimento de 216 vagas para o cargo de agente administrativo da Polícia Rodoviária Federal. Para concorrer é necessário possuir apenas ensino médio completo. A remuneração inicial é de de R$ 3.689,77, já considerando auxílio alimentação de R$ 373, com jornada de trabalho de 40 horas semanais

A publicação do edital deverá ocorrer, no mais tardar, até junho, uma vez que a autorização determina um prazo de seis meses de sua publicação para que o concurso seja realizado.

A autorização é resultado do projeto de lei 2.205/2011, que estabelece a criação de 260 vagas para o cargo, com o objetivo de eliminar a necessidade de contratação de terceirizados para a execução de serviços administrativos, assim como evitar o desvio de funções por parte do efetivo policial.

A própria autorização do MPOG já determina que o preenchimento das vagas por parte dos aprovados no concurso deverá ser feita para a substituição da totalidade de trabalhadores terceirizados, cujos nomes deverão ser indicados em relação específica, publicada antes da nomeação dos aprovados no concurso para preenchimento efetivo.

Cabe ao agente administrativo da PRF executar atividades administrativas de nível intermediário, relativas às competências legais da Polícia Rodoviária Federal,  por meio de prestação de apoio técnico administrativo à área finalística da instituição.

No último concurso, realizado em 2012, as vagas foram para lotação apenas no Distrito Federal.  As localidades abrangidas no próximo ainda deverão ser confirmadas. Na ocasião, o processo seletivo foi composto de provas objetivas e investigação social. A parte objetiva contou com 120 questões, sendo 50 de Conhecimentos Básicos e 70 de Conhecimentos Específicos. A organizadora foi o Cespe/UnB.

A parte de conhecimentos básicos contou com temas sobre língua portuguesa, ética e conduta pública,  noções de informática, legislação relativa à PRF e noções de matemática. Já em conhecimentos específicos, noções de direito constitucional, noções de direito administrativo e noções de estatística.

De acordo com o critério de correção adotado pelo Cespe cada questão contou com 1 ponto, sendo que para cada questão correta foi atribuído um ponto na nota do candidato. Para cada questão respondida de forma incorreta foi descontado 1. Em caso de marcação dupla ou não respondida,  a questão  foi desconsiderada.  Para ser aprovado foi necessário atingir um mínimo de 10 pontos em conhecimentos básicos, 21 em conhecimentos específicos e mínimo de 36 pontos no conjunto das provas.  Somente foram convocados para a segunda fase os melhores colocados na primeira dentro de um limite de 134 participantes, sendo 7 portadores de deficiência  física.  A oferta inicial foi de 67 vagas.

POLICIAIS

Enquanto a corporação inicia os preparativos para a realização do novo concurso para agente administrativo, os candidatos do concurso promovido pela PRF para  a carreira de policial rodoviário continuam aguardando a retomada do processo, uma vez que está suspenso por tempo indeterminado. O concurso, que oferece 1.000 vagas, além de formar cadastro reserva de pessoal , está sob investigação por motivo de suspeita de fraude a partir de denúncia do Ministério Público Federal do Rio de Janeiro (MPF-RJ). De acordo com o órgão, candidatos foram privilegiados e chegaram a fazer as provas em salas extras. O concurso conta com um total de 109.768 inscritos e,quando da suspensão, já estava em fase de análise de títulos.    

Comentários

Mais Lidas