O quanto a distância alivia o bolso

Economia em gastos com locomoção e alimentação é uma das vantagens dos cursos de ensino a distância

Carolina Pera
Publicado em 10/02/2014, às 11h18

O que tem impulsionado o crescimento do Ensino a Distância (EAD)? Segundo o Censo EAD Brasil 2012, o último publicado até o momento, disponibilizado no mês de setembro de 2013, em relação a 2011 houve um aumento de 52,5% das matrículas na modalidade. O Jornal dos Concursos & Empregos verificou que uma das vantagens que tem atraído tanto os alunos quanto as instituições a olharem para este modo de formação é o seu custo, mais baixo se comparado aos cursos presenciais.
O diretor do Guia EAD (www.guiaead.com.br), Dr. Luiz Miguel Renda dos Santos, afirma que para alunos que realmente estão dispostos a estudar, o ensino a distância é uma excelente oportunidade de redução pecuniária e de tempo, pois “economiza no tempo de locomoção e no custo com o transporte, que em um curso presencial pode variar de R$ 100 a R$ 300 mensais, dependendo da região do camping”.
Erika Grigorevski, aluna do site Questões de Concursos, já aprovou o método e afirma a redução de gasto. Ela paga R$ 150 em um módulo de 32 horas. “No mesmo curso, só que presencial, eu gastaria R$ 300, além de R$ 15 reais de almoço e R$ 10 para as passagens”, afirma. Presencialmente, haveria dez aulas, sendo assim, em vez dos R$ 150, a estudante teria que desembolsar R$ 550, ou seja, R$ 400 a mais. 
Nestas horas, vale citar o já manjado “tempo é dinheiro”. A aluna diz que não é só a economia monetária que lhe atrai. “A maior vantagem para mim é economizar no tempo que eu gasto para chegar até o curso, que posso usar a meu favor. No tempo que estaria me locomovendo faço exercícios e estudo”, explica. 
Para ela há, ainda, outros pontos positivos, como os materiais de boa qualidade que acabam sendo de menor valor por estarem disponíveis virtualmente e também o fato de poder gerenciar o seu próprio horário. “Além disso, se surgirem dúvidas, você pode voltar a aula e assistir novamente”, acrescenta.
Por outro lado, o ensino a distância tem suas desvantagens. Estudantes e especialistas concordam que a interação entre alunos e o contato com professores faz falta. “O aluno perde por não esclarecer as dúvidas na hora com o professor e não se beneficiar da interação com a turma, na qual sempre surgem dúvidas que podem ser suas também”, lamenta Erika. 
Para o Dr. Luiz, além disso, a necessidade de disciplina também é um ponto negativo. “Creio que existem duas desvantagens em realizar um curso on-line, que são a falta de relacionamento pessoal e a obrigatoriedade do aluno ser disciplinado, visando um aproveitamento máximo do conteúdo disponível”, finaliza. 
Por que os cursos de EAD são mais baratos?No artigo “Custos: Uma Análise Comparativa entre Educação Presencial e a Distância”, realizado por José Antonio Lisoni com orientação do professor Dr. Waldomiro Loyolla, foi concluído que os principais elementos de custos são maiores em instituições presenciais se comparados aos cursos on-line, devido a aquisição de terreno, construção de espaço físico, administração de cursos e patrimônios. 
Para o diretor da Associação Brasileira de Ensino a Distância (Abed), professor Luciano Sathler, o maior custo que grandes institutos da modalidade a distância possuem é com recursos humanos – professores e tutores –, mas há também os relacionados à tecnologia, bibliografia enviada aos polos, acervo virtual, produção de material didático, equipamentos, softwares e conexões (como internet e satélite).
Quando questionado sobre quais gastos das escolas mais interferem no valor repassado aos alunos, Dr. Luiz afirma que apesar do que se gasta para manter um curso de EAD, os valores praticados são determinados pelo mercado, “mas sem dúvida o sistema on-line acaba sendo o mais barato para as instituições e consequentemente para os alunos, uma vez que é bem menos onerosa a transmissão do conteúdo via internet”, resume. Ele destaca o fato de que cursos não credenciados não possuem a obrigatoriedade de polos e presença física de estudantes, sendo assim, têm custos infinitamente menores. 
O valor gasto pelas instituições de EAD varia muito, porém, quase sempre é menor que o montante utilizado por instituições presenciais, o que reflete no total cobrado e beneficia quem quer ingressar no curso que não é presencial.   
“Fica evidenciado que a EAD on-line, com suas tecnologias de informação, recursos de comunicações e com menores custos, pode melhorar a eficiência econômica do ensino e da aprendizagem a distância em nosso país. Com isto, resolve-se algumas das principais questões ligadas à educação, tornando-a acessível a uma boa parcela da população que, por questões de horário das suas obrigações profissionais ou pela distância dos centros educacionais, não podem adquirir os conhecimentos necessários para sua educação e/ou aperfeiçoamento profissional,” conclui José em seu artigo. 

Comentários

Mais Lidas