Boa aparência aumenta chance de emprego

Preocupação não deve ficar só no momento da entrevista, mas também no dia a dia na empresa, dizem especialistas

Douglas Terenciano
Publicado em 13/09/2013, às 16h09

Procurando emprego há algum tempo, enfim o trabalhador recebe a tão esperada notícia de que foi selecionado para um processo seletivo e já começa o nervosismo. Pensamentos sobre qual o comportamento adequado, possíveis perguntas do entrevistador e as intermináveis dinâmicas de grupo rondam a cabeça de quem está ansioso por uma oportunidade. Até aí, normal. Mas o que poucas pessoas se atentam é que a boa aparência também pode ser fundamental para a conquista de um novo emprego.

De acordo com especialistas entrevistados pelo JC&E, a maneira como o candidato se apresenta na seleção é tão importante quanto seu currículo. Paulo Sardinha, presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos do Rio de Janeiro (ABRH/RJ), ressalta que pessoas com aspecto mais saudável e jovial aparentam estar mais alerta e aptas ao trabalho. “Um recrutador, além de analisar o currículo do candidato, afere também a imagem que o profissional quer passar. Uma boa aparência estética tem relação direta com a autoestima, que por sua vez influencia na saúde mental”, comenta.

É importante que o candidato esteja alinhado de acordo com o perfil da companhia em que busca colocação. “Mesmo que a empresa siga uma linha mais descontraída, o candidato não deve se apresentar com aparência desleixada. Esse é um dos erros mais recorrentes em entrevistas”, explica Débora Nascimento, gerente geral do Instituto Capacitare, especializado em desenvolvimento de carreira.

Já Homero Reis, coach especialista em treinamento e carreira, destaca alguns pontos que devem ser evitados. “Roupas decotadas e extravagantes, cabelos desalinhados, unhas mal feitas, perfume e maquiagem exagerados são alguns dos pontos negativos que podem atrapalhar o candidato. Os homens devem evitar bermudas e camisetas que deixam os braços à mostra. A camisa social, tanto para mulheres quanto para homens, é uma peça infalível em entrevistas de emprego”, orienta.

Embora algumas empresas possam reparar nas marcas de roupas, os candidatos não devem se prender nas etiquetas de grife. “Antes de qualquer coisa é preciso ter bom senso nas escolhas e analisar o perfil da empresa para a qual está se candidatando. Afinal, algumas peças vão depender muito da formalidade da companhia”, reforça Homero. “Se o ambiente é informal, não tem problema em se vestir de forma básica. No entanto, o candidato deve se preocupar em não exagerar”, completa.

Débora lembra que “podem existir empresas que levem em consideração a imagem do candidato segundo as grifes que usa. Portanto, o trabalhador deve estar atento ao estilo da empresa onde está buscando uma posição para atender às expectativas do recrutador”. Contudo, o contrário também existe e a ostentação pode atrapalhar. “Conheço um caso de um candidato que foi com uma caneta Mont Blanc no bolso da camisa e o diretor que o estava entrevistando o questionou se alguém que possuía aquela caneta iria se adaptar à cultura daquela empresa. Nesse caso, o suposto luxo foi um ponto negativo na seleção”, recorda.

Ainda de acordo com a gerente, o ideal é que o candidato siga seu estilo pessoal, tentando adequá-lo ao cargo pretendido. “Uma agência de publicidade, por exemplo, permite um visual mais despojado. Se a entrevista for em uma instituição financeira, o ideal é que o traje seja esporte fino. Nessas horas, pesquisar na internet sobre a empresa ou, caso esteja indo indicado por alguém, consultar a pessoa sobre como se vestir, é uma dica que pode ajudar muito”, recomenda.

Só isso basta? Não!, dizem os entrevistados. Mesmo com vestimenta adequada, o que também pode definir o futuro do candidato no processo seletivo é a higiene, ou melhor, a falta dela. “Os principais cuidados são os básicos de higiene, como não apresentar mau odor, por exemplo, ou cabelos despenteados. Para as mulheres, unhas feitas é sempre um diferencial”, diz Débora. “É importante que o profissional tenha o hábito de escovar os dentes sempre após as refeições. Outro fator importante em relação à apresentação é que profissionais que lavam os cabelos todos os dias evitam a oleosidade dos fios e, consequentemente, a aparência de cabelos sujos”, completa Reis.

Enfim, o trabalhador conseguiu o tão sonhado emprego e agora pode ficar mais tranquilo com a paranoia da boa aparência? Nada disso! Os especialistas alertam que o dia a dia no trabalho deve ser levado da mesma maneira como foi no dia da entrevista. “O descuido com o visual nos dias subsequentes à contratação pode ser interpretado como possibilidade de desleixo no trabalho também. Ao entrar na empresa, observe como os colegas se vestem, como é o clima organizacional e as normas que todos seguem e vá adaptando-as ao seu estilo e personalidade”, aconselha Nascimento.

“A preocupação em manter a higiene e a vestimenta adequada deve ser levada em conta pelo profissional principalmente no cotidiano do trabalho, pois é convivendo em grupo que ele irá perceber a importância de estar de acordo com o padrão da empresa”, diz Homero, que finaliza comentando sobre quais características os recrutadores geralmente buscam nos candidatos. “O importante é que o profissional esteja vestido de forma a passar segurança, credibilidade e seriedade”, afirma.


Confira abaixo algumas dicas para causar boa impressão durante a entrevista de emprego:

- Seja pontual;
- Tenha cuidado com o visual. Fios bagunçados, por exemplo, revelam certo desleixo do candidato à vaga de emprego;
- Tenha atenção ao se vestir. Decotes, roupas curtas ou muito justas e ternos amassados são itens proibidos;
- Demonstre confiança ao recrutador. Postura reta, voz firme e olhar atento são algumas dicas;
- Pesquise sobre a empresa, sua história e conquistas antes da entrevista;
- Evite gírias ou vícios de expressão. A linguagem durante a conversa deve ser formal;
- Nunca fale palavrões;
- Não minta sobre suas qualificações;
- Não fale mal do emprego ou chefe anterior;
- Deixe para perguntar sobre remuneração e benefícios ao final da entrevista.

Comentários

Mais Lidas