Funrio publica nota sobre rescisão de contrato

A organizadora informa que está buscando entendimento junto à PRF.

Redação
Publicado em 08/01/2010, às 11h33

A Funrio, organizadora do concurso de 750 vagas para policial rodoviário, publicou ontem uma nota oficial esclarecendo detalhes sobre a rescisão unilateral de contrato, anunciada terça-feira pela Polícia Rodoviária Federal.

Na nota – veja no anexo ao lado – a organizadora informa que está buscando entendimento junto à PRF para encontrarem, em conjunto, a melhor solução para o caso e garante que já entregou todos os documentos referentes ao concurso para a Justiça Federal do Rio de Janeiro e para o Ministério Público Federal, conforme havia solicitado a PRF.

O prazo para investigações dos órgãos da Justiça termina no dia 24 de janeiro.

Rescisão do contrato

A portaria publicada pela Polícia Rodoviária Federal no último dia 5 anunciou a rescisão do contrato firmado com a Funrio, organizadora do concurso que está suspenso devido a suspeita de fraudes.

Na portaria a PRF exigiu que a Funrio encaminhasse a prestação de contas dos relatórios contábeis de arrecadação e os dados dos respectivos candidatos que tiveram a inscrição confirmada. Além disso, o órgão pediu uma multa por inexecução contratual no montante de 5% do valor total arrecadado a título de taxa de inscrição.

Suspensão

O concurso de 750 vagas da Polícia Rodoviária Federal foi suspenso por decisão da 6ª Vara Federal do Estado favorável à Defensoria Pública da União do Rio de Janeiro (DPU/RJ).

A decisão proferida pela juíza Regina Coeli Formisiano responsabiliza o governo federal e a Funrio por irregularidades durante a aplicação das provas objetiva e de redação. São questionadas pela DPU irregularidades como a indicação equivocada do local de realização das provas. Segundo o órgão, candidatos foram impedidos de entrar no Instituto Celso Lisboa em razão de dificuldades de chegar ao local de prova, situado em uma zona de conflito entre traficantes e policiais.

Na ação pública, o defensor público federal André Ordacgy questiona também a eliminação de 27 candidatos pela Funrio, entre eles o melhor classificados no Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Eles foram excluídos em razão de supostas irregularidades apontadas por um sistema de segurança eletrônico que identifica coincidências entre os gabaritos e detecta cartões com alto índice de acerto entre os candidatos.

Concurso

Os candidatos deviam ter curso superior completo em qualquer área, ser maiores de 18 anos na data de início do curso de formação, ter carteira de habilitação nacional tipo “B” (carro), ou superior, e não possuir antecedentes criminais.

As oportunidades são para todo país, com exceção dos estados de Mato Grosso e Pará. Os candidatos aprovados para a Superintendência de Rondônia poderão exercer suas atividades tanto neste estado, quanto no Acre, pois esta superintendência abrange ambos os estados.

Os aprovados farão ingresso na carreira na classe de agente. A jornada é de 40h semanais em regime de escala de revezamento. A remuneração inicial é de R$ 5.620,12 mais auxílio alimentação no valor de R$ 161,99.

Além da prova objetiva, a primeira fase da seleção conta com exame de capacidade física, avaliação psicológica, inspeção de saúde e curso de formação.


O resultado dessa seleção tem validade por dois anos a partir da homologação do resultado.



Veja também:

Funasa: saiu edital com 802 vagas em diversos Estados

Comentários

Mais Lidas