PF: em breve, um concurso para vocacionados

Para o candidato que deseja participar do concurso e quer realmente disputar uma vaga em condições de ser aprovado, o ideal é começar o mais rápido possível. Aqui, contamos com os candidatos que já estão com uma preparação intensa, aqueles cujo sonho

Redação
Publicado em 17/09/2014, às 11h13

Cláudia Jones

Não é de hoje que eu digo que concursos da área de segurança, como Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Civil e Polícia Militar (PM), são para os vocacionados. Eu e os especialistas que admiro observamos isso ao longo dos anos de convivência com o mercado de concursos.

A maioria dos que optam por esses concursos sonha em ser policial desde pequeno. Claro que têm aqueles que se apaixonam pela carreira ao longo da vida. Mas, sem sombra de dúvidas, grande parte dos interessados nutre uma paixão solidificada. E não é para menos que temos concursos todos os anos para a área. Um dos grandes e que movimenta muitos candidatos é o da PF. Já temos rumores fortes que sinalizam a divulgação do edital para o cargo de agente da PF em breve, com realização de provas ainda este ano.

Para o candidato que deseja participar do concurso e quer realmente disputar uma vaga em condições de ser aprovado, o ideal é começar o mais rápido possível. Aqui, contamos com os candidatos que já estão com uma preparação intensa, aqueles cujo sonho é ser policial e estão na batalha há pelo menos um concurso e aqueles como você, que vai começar agora. Para ser sincera, tudo dependerá do quão determinado você está. Então, não importa muito o tempo de preparação, o que importa é a preparação com qualidade.

Costumo dizer que existem concursos que são projetos de vida dos candidatos. E um desses é o da Polícia Federal, um concurso que exige muito estudo, determinação e organização. O edital costuma trazer um conteúdo extenso, com 12 disciplinas.

Para concorrer ao cargo é preciso ter o ensino superior completo em qualquer área. Essa é a vantagem! Porém, também é necessário ter carteira de habilitação na categoria “B” ou superior. As contratações são feitas pelo regime estatutário, o que garante a tão sonha estabilidade, e os ganhos iniciais são de R$ 9.075,20, incluindo auxílio-alimentação.

O concurso será composto por provas objetivas e discursivas. Mas os candidatos devem ter em mente que o treinamento para a prova física tem que começar agora também. Além disso, o concurso cobra avaliações médica e psicológica, investigação social e curso de formação profissional. Notícias dão conta de que a PF pretende iniciar o curso de formação no começo do ano que vem e nomear os aprovados em julho, mas, para isso, o edital precisa ser publicado ainda este mês.

A primeira coisa que você deve fazer é ver o edital do concurso mais recente para o cargo. O último foi realizado pelo Cespe/UnB, uma banca sábia, astuciosa e inteligente. Há de se ter muito cuidado, pois com essa banca não se brinca, não se arrisca: se você sabe a resposta, marque, se não sabe, não marque.

Olhar o último edital vai trazer uma ideia muito nítida do processo que envolve o concurso. E atentar-se para alguns detalhes é de suma importância. Por exemplo: caso você tenha alguma deficiência e vá declará-la, é preciso que saiba como proceder, pois haverá uma perícia médica para constatar o caso.

Normalmente, a prova tem caráter eliminatório e classificatório, o que significa que você tem de acertar um número mínimo de questões por disciplina. Em outras palavras, não adianta “virar as costas” para determinadas disciplinas que você “não gosta”. Tem de encarar e sair por cima!

Outro detalhe precioso é que, em concursos da PF, há a prova discursiva, ou seja, de redação. Sendo assim, se você não tem muito jeito para escrever é bom treinar bastante e, acima de tudo, estar atualizado com os assuntos de conhecimentos gerais.

É fundamental observar não somente as disciplinas que costumam ser exploradas, mas o conteúdo programático inteiro. Ainda que possa haver alguma “mudança aqui, outra ali” no programa, a essência é basicamente a mesma. Estudar previamente vai garantir a você uma base sólida. Por último, mas devendo ser constante desde o início da preparação, está o treinamento com questões de provas anteriores. Ao estudar um assunto novo, faça pelo menos dez questões do tema. Você precisa saber como a banca se comporta e não há outra maneira de descobrir isso a não ser por questões de provas anteriores. Comece com dez questões por dia e depois vá aumentando de acordo com a sua necessidade. Fazer um plano de estudos até o edital ser publicado vai ajudar em termos de disciplina. Comece já a estudar as matérias que certamente estarão presentes na prova e, depois da publicação do edital, dedique-se de forma mais específica.

Bons estudos!

Cláudia Jones, especialista em concursos do site Questões de Concursos.

APOSTILAS ESPECÍFICAS PF - AGENTE - CLIQUE AQUI

Comentários

Mais Lidas