Segurança pública

Governo Doria quer concursos anuais na Polícia Civil SP

Embora corporação ainda conte com concursos em andamento, o governador João Doria já havia anunciado, em outubro, que serão autorizados novos concursos para a Polícia Civil de São Paulo, para o preenchimento de 8 mil vagas

Fernando Cezar Alves
Publicado em 03/04/2019, às 11h30

O governador João Doria, em entrevista ao jornal Bom dia São Paulo, em 29 de outubro, logo após as eleições, anunciou que autorizaria a realização de concursos públicos para o preenchimento de 21 mil vagas na área de segurança pública, sendo 13 mil para a  PM/SP (Polícia Militar do Estado de São Paulo) e 8 mil para a PC/SP (Polícia Civil do Estado de São Paulo). Neste sentido, com a autorização do concurso para 5.400 vagas na PM/SP, no último dia 30 de março, reforça a expectativa pela realização de novos certames também na PC/SP. Embora o órgão ainda conte com concursos em andamento, iniciados em 2017, a corporação já confirmou que existem estudos em andamento, no sentido de avaliar a viabilidade de novas seleções e que a intenção do novo governo é promover concursos anuais para os órgãos de segurança.

• APOSTILA DELEGADO
• CURSO DIVERSOS CARGOS

De acordo com ele, na ocasião, uma de suas propostas de governo é aumentar o número de vagas oferecidas por meio de concursos públicos, bem como contratar novos policiais e reforçar a segurança nas ruas, além de valorizar os profissionais da área. “Vamos obviamente aumentar o efetivo da Polícia Militar, abrindo novos concursos. Já faz tempo que a PM não abre novos concursos. Temos um contingenciamento de 13 mil policiais militares e 8 mil policiais civis. Então também vamos prestigiar a Polícia civil, contratando e recolocando nas delegacias os delegados, assistentes e escrivães”, disse.  

Últimos concursos  da Polícia Civil SP

Os últimos concursos públicos para a Polícia Civil de São Paulo, autorizados pelo então governador Geraldo Alckmin em 2017, foram para o preenchimento de 2.750 vagas, sendo 250 para o cargo de delegado, 800 para escrivão, 600 para investigador, 400 para agente, 300 para agente de telecomunicações, 200 para papiloscopista e 200 para auxiliar de papiloscopista.  

As remunerações iniciais variaram de R$ 3.428,38 a R$ 10.142,55, com exigência de ensino médio para agente, agente de telecomunicações, papiloscopista e auxiliar de papiloscopista e nível superior para delegado, escrivão e investigador.

A banca organizadora foi a Fundação Vunesp.  
 

Orgão: PC SP
Nº vagas: Não definido
Taxa de inscrição: Não definido
Cargos: Não definido
Áreas de Atuação: Segurança Pública
Escolaridade: Ensino Médio, Ensino Superior
Faixa de salário:
Estados com Vagas: SP

Mais Lidas