Quais são as grafias corretas?

Companhia ou compania? Enfim ou em fim? Trás ou traz? Dize ou diz, faze ou faz, traze ou traz? Contatar ou contactar? Xará ou chará?

Redação
Publicado em 31/12/2014, às 10h16

Sandra Ceraldi

Companhia ou compania?

Companhia é substantivo comum feminino e será utilizado para atos de acompanhar, ser acompanhante ou convivência. Indica também associação de pessoas, uma comitiva ou uma firma com vários sócios, pois a palavra é sinônima de acompanhamento, presença, acompanhante, companheiro, entre outras. Muita atenção para a pronúncia da palavra, pois é comum falarmos e ouvirmos erradamente a sílaba nia em vez de nhia. Veja os exemplos:

Preciso que você me faça companhia hoje.

A sua companhia prosperou nos últimos dois anos.

Enfim ou em fim?

Na língua portuguesa, existem as duas formas, porém, seus significados são diferentes: enfim (em + fim) é um advérbio de tempo e significa, principalmente, finalmente, por fim, em conclusão, por último, em suma, em síntese. Já em fim (em + fim)informa o que está no fim de algo, sinônima de no final, no término. Analise os exemplos:

Enfim ganhamos a partida. (finalmente)

O servidor público encontra-se hoje em fim de carreira. (no término)

Trás ou traz?

Existem as duas formas, entretanto, seus significados são diferentes. Apresentam a mesma fonética, ou seja, são pronunciadas de forma análoga, mas com escritas diferentes (homófonas). Trás é um advérbio de lugar, indica situação, atrás, após, vem sempre acompanhado de uma preposição (de ou para), formando, assim, uma locução adverbial ou uma locução prepositiva (por trás de). Traz (3ª pessoa do singular do presente do indicativo ou na 2ª pessoa do singular do imperativo) é forma conjugada do verbo trazer, que significa levar, transportar para perto de quem fala. Veja alguns exemplos:

O banco de trás do veículo está com problemas.

Quando a professora chamou atenção, ele olhou para trás

Ela traz consigo as provas. (3ª pessoa do singular do presente do indicativo)

Traz/traze o pacote rapidamente. (2ª pessoa do singular do imperativo)

Dize ou diz, faze ou faz, traze ou traz?


As segundas pessoas do singular do imperativo afirmativo são dize ou diz, faze ou faz, traze ou traz, apesar de se originarem do presente do indicativo com a perda apenas do "s”. As formas desses verbos com - e na segunda pessoa do singular do imperativo são de natureza culta, normativa, e as demais são popularmente empregadas e corretas, mas irregulares.

Catorze ou quatorze?

O cardinal 14 apresenta duas formas corretas: quatorze e catorze, que são comumente usadas e aceitas na língua portuguesa, pois são formas gráficas variantes. Exemplo:

Quatorze ou catorze convidados vieram.

Cuidado com as grafias erradas de outros numerais:

Cincoenta, corrija para cinquenta.

Hum, corrija para um.


Xará ou chará?

A palavra chará está errada, a grafia correta é xará (substantivo comum de dois gêneros), utilizada quando uma pessoa possui o mesmo nome que outra. Além de ser um tratamento informal, é utilizada como vocativo: cara, camarada, amigo, companheiro. Exemplos:

Ana é minha xará.

Olá, xará? Tudo bem?

Qual o plural de “gel”, “cal”, “aval”, “gol” e “mel”?

plural da palavra gel pode ser géis ou geles. A existência de duas formas da palavra no plural também ocorre com outras palavras terminadas em -l, como cal (cais e cales), aval (avais e avales), gol (gols, gois – vogal “o” fechada – e goles) e mel (méis e meles). Exemplos:

Preciso comprar outros tipos de géis.

Já usei todos os tipos de geles.

Contatar ou contactar?

As duas palavras existem na língua portuguesa, estão corretas e significam estabelecer uma ligação, comunicação, aproximação. São sinônimas de ligar, conectar, tocar, comunicar, relacionar-se, aproximar-se etc. Exemplos:

A consumidora contatou/contactou a empresa para cancelamento da compra.

Em caso de dúvida, favor contatar/contactar nossos serviços.


O Acordo Ortográfico (2009) informa que as consoantes “c” e “p” que não se leem nas palavras devam ser abolidas, porém, com grafia alternativa, ou seja, com duas grafias. Devido às divergências de articulação entre os falantes, quando há oscilação na pronúncia das consoantes, admitem-se as duas formas (contato/contacto, fato/facto e setor/sector, por exemplo). A consoante “c”, segundo o Novo Acordo, desapareceu de algumas palavras, mas permaneceu em outras. Diante de dúvidas, consulte o vocabulário correto no site da Academia Brasileira de Letras: www.academia.org.br.

Boas festas!

Professora Sandra Ceraldi Carrasco éconsultora, especialista em língua portuguesa e autora de livros e periódicos na área. Há mais de 20 anos ministra cursos e palestras com índice recorde de aprovação. Seu mais recente trabalho aborda de forma prática o Acordo Ortográfico. Atualmente é coordenadora de cursos e professora de redação oficial da Academia de Polícia de São Paulo. Contato: professora.sandracarrasco@uol.com.br.

Comentários

Mais Lidas