Tudo Sobre

Empregos A vida em parágrafos

Ser aprovada no primeiro concurso público

A jovem mineira Vívian Coli conseguiu ser classificada logo em seu primeiro concurso público, que foi o do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE/MG). Confira a história dela!



Camila Diodato
Publicado em 18/09/2015, às 16h44

Milhares de vagas são abertas anualmente em todo o país por meio de concursos públicos municipais, estaduais e federais. E para conquistar a aprovação é necessário muito esforço, dedicação, persistência e preparação, já que a concorrência é acirradíssima.

Quem busca estabilidade, boa remuneração e chance de trabalhar em prol da sociedade não deve desistir em nenhum momento, mesmo que não passe na primeira vez. Mas, para uma jovem natural de Carmo de Minas, no sul do Estado de Minas Gerais, a intensificação no estudos permitiu a classificação logo em seu primeiro concurso.

A concurseira Vívian Coli contou um pouco de sua história e de como foi sua aprovação no certame do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE/MG). Com coragem, a mineira encarou o processo seletivo e desbancou muitas pessoas.

Formada em direito pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Vívian ingressou no mundo nos concursos em 2014. “Comecei a estudar para concursos, graças à insistência do meu pai, que falava todos os dias que eu tinha que ser concursada e que eu era capaz”, explicou.

No início, Vívian ficou meio perdida: “não sabia qual concurso queria e estudava por cursos on-line para carreiras jurídicas em geral”. No fim, a jovem mineira optou pelo TRE/MG para o cargo de técnico judiciário – área administrativa, cujo edital apresentou 16 vagas. Apesar de nunca ter estudado direito eleitoral, ela arriscou e começou do zero.

Para auxiliar em sua preparação, Vívian utilizou o site Questões de Concursos. “Foram dois meses de preparação intensa, estudando por apostilas, videoaulas e fazendo centenas de questões de cada assunto. Mesmo nas questões que eu acertava, sempre lia os artigos relacionados para ir fixando a matéria, já que grande parte das questões é ‘decoreba’ de artigos. Fazer muitas questões me ajudou a reconhecer as pegadinhas da prova”, disse a mineira.

Ela comentou que quando viu a relação de candidatos inscritos chegou até a desanimar, mas não parou. Para Vívian, parecia assustador ver mais de 60 mil candidatos disputando apenas 16 vagas. Só que como era o único concurso que interessava, a jovem manteve-se firme na corrida pelo cargo e não desistiu no meio do caminho.

“Quando saiu o resultado da primeira fase fiquei muito feliz, pois, dos 60 mil inscritos, eu tinha ficado entre os 400 que teriam a segunda fase corrigida. No entanto, minha classificação na fase inicial não foi tão boa, fiquei na casa dos 200. O que me salvou foi a segunda fase, na qual tirei 9,5 e com isso fiquei em 13º lugar no concurso, portanto, dentro das vagas disponíveis”, contou Vívian.

Apesar de ser uma novata no mundo dos concurseiros, a jovem formada em direito conseguiu alcançar o seu objetivo, o de passar em concurso público. Essa classificação deu ânimo para ela estudar mais ainda daqui por diante para outros certames.

E para aqueles que acham difícil ser aprovado em um concurso público e que Vívian teve muita sorte, fica uma frase do famoso livro Alice no País das Maravilhas, do escritor inglês Lewis Carroll: “A única forma de chegar ao impossível, é acreditar que é possível”.

+ Resumo Empregos A vida em parágrafos

A vida em parágrafos
Vagas: Não definido
Taxa de inscrição: Não definido
Cargos: Não definido
Áreas de Atuação: Não definido
Escolaridade: Não definido
Faixa de salário:
Organizadora: O próprio órgão
Estados com Vagas: AC, AL, AM, AP, BA, CE, DF, ES, GO, MA, MG, MS, MT, PA, PB, PE, PI, PR, RJ, RN, RO, RR, RS, SC, SE, SP, TO

+ Agenda

17/09/2016 Divulgação do Resultado Adicionar no Google Agenda

Comentários

Mais Lidas