Seus pés, sua raiz

Não seria, portanto, plausível que, naquilo que estiver ao nosso alcance, fôssemos melhores? Para isso é preciso investir. Investimento de tempo para buscar novos conhecimentos, investimento psicológico para enfrentar situações difíceis e recuperar-s

Edison Andrades
Publicado em 27/06/2014, às 12h15

Qual seria o sentido da vida se não o de melhorar a cada dia? Alguns se contentam só pelo fato de estarem sobrevivendo, e isso pode sim ser motivo de contentamento, mas no campo da gratidão pela oportunidade de ter, divinamente, mais um dia para viver. Contudo não é apenas para sobreviver que viemos a este mundo.

Alguns motivos justificam a afirmação de que não estamos aqui apenas para sobreviver. Primeiramente, estamos no topo da cadeia alimentar! Todo ser que respira, com exceção do homem, existe para servir de alimento para outrem. Em segundo lugar, somos os únicos a possuir a linguagem e o pensamento, ou seja, outros animais se comunicam, mas não modelam sua linguagem a um pensamento. Em última instância, nós sabemos o que fazemos. Nenhum João de Barro (pássaro) pensa na construção de sua casa, decidindo a quantidade de cômodos. Enfim, somos os seres mais desenvolvidos.

Entretanto, apesar de todas essas vantagens evolutivas, muitos de nossa espécie agem como seres inferiores. Alguns vivem vidas medíocres e aguardam apenas o grande chamado (morte) para um lugar desconhecido. Há os que apostam que terão outra chance de vida após a morte. Outros garantem que ficarão em alguma esfera transcendental aguardando se purificarem e, assim, partirão para um lugar branco, com som de arpas. Há aqueles que creem na vida eterna junto ao Criador.

Contudo, seja qual for a sua crença, você vive agora de forma real. E é dessa forma que precisa cuidar agora. Não seria, portanto, plausível que, naquilo que estiver ao nosso alcance, fôssemos melhores? Para isso é preciso investir. Investimento de tempo para buscar novos conhecimentos, investimento psicológico para enfrentar situações difíceis e recuperar-se. Investimento em sua saúde ao cuidar de sua alimentação e manter a prática de atividades físicas etc.

Por sermos seres biopsicossociais e culturais, ocupamos um espaço numa sociedade que dita regras, e que também aguarda a nossa contribuição. Não vivemos apenas para respirar, mas respiramos para viver. Trabalhar faz parte da vida! No mercado de trabalho, encontramos profissionais que agem como vegetais, ou seja, encontram uma “vaguinha” na terra para se alimentarem e pronto, estagnam por ali, ou pior, muitos ocupam pequenos vasos, os quais não permitem a expansão de suas raízes. Não se esforçam em suas tarefas, não buscam o autodesenvolvimento, nem tampouco querem uma vida diferente.

Não nascemos para vegetar! Estamos num estágio superior. Pode ser que sua tarefa atual ainda não seja o que sonha ou sonhou para seu futuro, mas saiba que existe espaço para expandirmos raízes. Ninguém é capaz de impedir que você se aprimore, recicle e inove a cada dia em suas habilidades. Aliás, existe alguém que pode sim impedir sua evolução: você mesmo, quando desiste de querer! Queira firmar suas raízes, não como uma árvore, mas como um ser que ocupa o topo da cadeia alimentar. Alguém que pode prosperar onde quer que coloque a planta de seus pés.

Ah! E nunca se esqueça de incluir Deus em todos os seus planos.

Prof. Edison Andrades é palestrante e sócio da Reciclare Treinamentos.
www.facebook.com/professor.edison.andrades

Comentários

Mais Lidas