Aumente suas chances no mercado de trabalho

Em números absolutos, são cerca de 3,23 milhões de pessoas em busca de uma oportunidade de trabalho. Nessas ci

Redação
Publicado em 20/06/2007, às 09h47

* Por Cláudia Brzostek

O desemprego há tempos é um grande conhecido da população brasileira. No último mês de abril, por exemplo, segundo a Fundação Seade e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o índice alcançou 16,9% da população economicamente ativa de seis regiões metropolitanas do país – Belo Horizonte, Distrito Federal, Porto Alegre, Recife, Salvador e São Paulo.

Em números absolutos, são cerca de 3,23 milhões de pessoas em busca de uma oportunidade de trabalho. Nessas circunstâncias, uma boa dose de informação e preparo ajuda muito a manter o entusiasmo e, desse modo, superar a difícil situação. Aqueles que desejam conseguir um novo emprego devem avaliar sua própria carreira e então definir as melhores estratégias para conseguir a tão sonhada vaga.

Seguem algumas dicas que podem ajudar a iniciar uma boa preparação para o mercado de trabalho:
1 – Conheça sua vocação
Questões como "Quem sou eu?", "O que gosto de fazer?" e "O que de fato faço bem?" são fundamentais para você focar a sua carreira. Um profissional com pouco raciocínio lógico, por exemplo, poderia se dar muito bem dentro do Departamento de Recursos Humanos, mas não especificamente na área financeira. Dificilmente terá os mesmos resultados com a mesma facilidade do que um expert da matemática. O custo, tanto para o funcionário quanto para a empresa, acaba sendo muito maior, assim como a demora para alcançar e mostrar os resultados. Então, procure se focar em uma área para a qual realmente tenha vocação.

2 – Em casa nada acontece
Uma nova posição pode surgir por meio de uma consultoria de RH ou de diversas outras maneiras. Depois de fazer buscas na Internet e inserir o seu currículo nos sites das empresas em que deseja trabalhar, saia de casa! Você não precisa necessariamente gastar dinheiro: visite feiras ligadas ao mundo corporativo; faça cursos gratuitos; vá a seminários sobre diferentes temas; saia com amigos. Quando menos se espera, "o amigo do amigo" pode abrir uma porta para você. Na pior das hipóteses, essa interação permite estabelecer contatos profissionais e ter acesso a novas oportunidades, mesmo que não a curto prazo.

3 – Mãos à obra
O currículo é o primeiro contato do recrutador com o candidato, por isso a ordem é caprichar. Ser objetivo na disposição das informações é primordial, e duas páginas são suficientes para enumerar pontos fortes e experiências profissionais. Escreva corretamente, sem erros de gramática ou de ortografia, já que uma falha deste tipo pode ser avassaladora para o candidato. Seja claro em seus objetivos. Nunca se sabe quem está analisando o currículo e o grau de interpretação dessa pessoa. Lembre da estética. Você não precisa imprimir o documento em um papel especial, até porque, em grande parte das vezes, ele é encaminhado por e-mail. O currículo deve, no entanto, ser limpo, claro e cronológico.

4 – A Entrevista
Caso tenha a oportunidade de ir a uma entrevista pessoal, seja em alguma consultoria ou diretamente na empresa, jamais falte ou atrase. Se por acaso tiver algum contratempo que realmente o impossibilite de cumprir com o combinado, ligue antecipadamente para a pessoa que fez a convocação. Explique suas razões de maneira objetiva e demonstre interesse em remarcar a conversa.

Prepare-se. Procure conhecer um pouco sobre a empresa em que você está indo. Pense em respostas sinceras, que de fato mostrem quem você é. O preparo prévio garantirá a melhor resposta para cada pergunta. Pense nos seus últimos projetos, nos seus melhores projetos e pense nos seus pontos fortes e pontos a desenvolver. Identifique o que está fazendo para melhorar os pontos negativos.

Procure destacar-se na entrevista. Lembre-se de que o headhunter entrevistará inúmeras pessoas para a vaga a que você está concorrendo. Mostre a sua cara. Esse é o momento de você vender o seu peixe de maneira honesta, clara e objetiva.

Não fale demais, nem de menos! Um candidato prolixo está fora do perfil de praticamente qualquer vaga que venha a ser aberta nos dias de hoje, qualquer que seja a área. E, definitivamente, um candidato que não se coloca não consegue se destacar.

Peça um feedback para quem o entrevistar. Esteja aberto a críticas e, se elas fizerem sentido para você, procure estabelecer as mudanças necessárias deste momento em diante.

Seguindo esses passos, suas chances serão maiores e possivelmente você conquistará uma nova colocação no mercado de trabalho.

* Cláudia Brzostek é diretora da Trio Assessoria em Recursos Humanos.

Comentários

Mais Lidas