Indústria cresce e cria 9 mil vagas

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) divulgou no último dia 9 que o emprego da indústria

Redação
Publicado em 13/08/2007, às 14h05

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) divulgou no último dia 9 que o emprego da indústria de transformação apresentou alta de 0,42%, em relação a junho, sem ajuste sazonal, o que significa a criação de 9 mil vagas. Com ajuste sazonal, o índice ficou em 0,45%. Este é o sétimo mês de crescimento registrado pela indústria paulista.

O acumulado do ano também apresentou alta de 7,31%, o que em números absolutos representa 151 mil vagas. Na variação dos 12 meses, o avanço é de 3,03% o que representa 65 mil postos de trabalhos abertos. O setor ligado à produção de açúcar e álcool registrou, pelo segundo mês consecutivo, queda na contratação. Em julho, a participação do setor registrou ficou em (-22,%) enquanto os outros segmentos foram responsáveis por 122% da geração de empregos.

O resultado de julho deste ano, (0,42%) é considerado o segundo melhor desempenho do mês desde 2003, perdendo apenas para 2005, quando foi registrado crescimento de (0,69%).

Paulo Francini, diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp, considerou positivo o resultado e o crescimento apresentado pela indústria pelo sétimo mês consecutivo. "Daqui até o final do ano deveremos ter uma expansão no emprego. O panorama é bastante bom e certamente 2007 ficará mais próximo de 2004, que os anos anteriores". Diante do novo cenário, o diretor afirmou que este deve ser o segundo melhor resultado da década e que o ano deverá fechar com crescimento entre 4,5 e 5%, ante o fechamento de dezembro de 2006.

Dos 21 setores que fazem parte da pesquisa, 15 tiveram desempenho positivo em relação ao emprego no mês passado, cinco apresentaram desempenho negativo e um apresentou estabilidade.

Em julho, os setores que mais contrataram foram Fabricação de Máquinas para Escritório e Equipamentos de Informática (1,66%), Metalurgia Básica (1,63%) e Fabricação de Produtos de Metal - Exceto Máquinas e Equipamentos (1,21%). Os setores que registraram resultados negativos foram Fabricação de Coque, Refino de Petróleo, Elaboração de Combustíveis Nucleares e Produção de Álcool (-1,39%) e Fabricação de Material Eletrônico e de Aparelhos e Equipamentos de Comunicação (-0,81%).

Fonte: Assessoria de Imprensa da Fiesp

Comentários

Mais Lidas