Concurso Exército (2019) - EsSEx Em andamento

Orgão: Exército
Nº vagas: 127
Taxa de inscrição: De R$ 130,00 Até R$ 130,00
Cargos: Médico, Farmacêutico, Dentista
Áreas de Atuação: Forças Armadas
Escolaridade: Ensino Superior
Faixa de salário: De R$ 8245,00 Até R$ 8245,00
Estados com Vagas: AC, AL, AM, AP, BA, CE, DF, ES, GO, MA, MG, MS, MT, PA, PB, PE, PI, PR, RJ, RN, RO, RR, RS, SC, SE, SP, TO

5,00(100.0%)1 voto(s)

Publicado em 11/07/2019, às 10h41 - Atualizado em 01/10/2019, às 19h20


O mais recente concurso Exército oferece 127 vagas para admissão aos cursos de formação de oficiais da Escola de Saúde (EsSEx). Há oportunidades para as carreiras de médico (120 postos), farmacêutico (2) e dentista (5). 

Todos os candidatos farão, em 20 de outubro, prova objetiva com 50 questões de conhecimentos gerais e específicos. Confira abaixo o conteúdo programático para cada cargo. 

Médico

  • 1. Cirurgia Geral - Bibliografia: TOWNSEND, M. C. et al. Tratado de Cirurgia. 19 Ed. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan, 2014. WAY, L. Current: Cirurgia- Diagnostico e Tratamento. Editora MC Graw Hill. 2017. SAAD, R. J.et al Tratado de Cirurgia do CBC, 2ª Ed. 2015. FERREIRA, L. M. et al. Guia de Cirurgia- Urgência e Emergência.( UNIFESP), 2011.
  • 2. Clinica Médica - Bibliografia: GOLDMAN, L. et. Al. Cecil: Tratado de Medicina Interna. 24 Ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2014. KASPER, D. L. et al. Harrison: Medicina Interna 19 Ed. Rio de Janeiro: McGraw-Hill Interamericana do Brasil, 2016. DIRETRIZES DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES 2017-2018, Clannad editora Científica SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA V diretriz brasileira de dislipidemias e prevenção da aterosclerose (ISSN-0066-782X) Volume 101, Nº 4, Supl. 1, Outubro 2013. MARTINS, H. S. et al. Emergências clínicas- Abordagem prática 11ª Ed. rev. e atual. Barueri, Sp: Editora Manole, 2016 LOPES, C. A. Tratado de Clínica Médica, 3ª Ed., São Paulo, Editora Roca LTDA, 2016. KNOBEL et al . Condutas no Paciente Grave, 3ª Ed, 2016. GENGA, K.R. Guia de terapia intensiva 4 Ed. 2016. BUZAID, A. C., Manual de oncologia clínica do Brasil. 2018.
  • 3. Ginecologia e Obstetrícia - Bibliografia: BEREK, J. S. et al. Tratado de Ginecologia. 15ª Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014. CUNNINGHAM, F. G. et al. Obstetrícia de Williams. 24ª Ed. Editora Art Med, 2016. FREITAS F. et al. Rotinas em Ginecologia. 6ª Ed. Porto Alegre: Editora Artmed, 2011. REZENDE, J. Obstetrícia Fundamental. 14ª Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2018. ZUGAIB, M. Obstetrícia. 3ª Ed. Barueri: Editora Manole, 2016. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Gestação de Alto Risco 5ª Ed.Manual Técnico, 2012. CHAGAS, C. R. et al. Tratado de Mastologia da Sociedade Brasileira de Mastologia, 2011. MINISTÉRIO DA SAÚDE Parto, aborto e puerpério Atenção Humanizada, 2001. BUZAID, A. C., Manual de oncologia clínica do Brasil. 2018.
  • 4. Pediatria - Bibliografia: BEHRMAN, R. E. et al. Tratado de Pediatria. 19 Ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013. LOPEZ, F. A. et al. Tratado de Pediatria. Sociedade Brasileira de Pediatria. 4 Ed. Barueri: Editora Manole, 2017. IV DIRETRIZES Brasileiras do Manejo da Asma. Jornal Brasileiro de Pneumologia, n. 38, 2012. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Programa de Reanimação Neonatal da SBP, 2018. MINISTÉRIO DA SAÚDE Manual de atenção à saúde do Recém-nascido, 2014. MINISTÉRIO DA SAÚDE Protocolo de Vigilância e resposta à ocorrência de microcefalia e/ou alterações do Sistema Nervoso Central (SNC). 2016. Sociedade Brasileira de Pediatria TEP 2017 DEPARTAMENTO CIENTÍFICO DE NUTROLOGIA-SBP. Avaliação Nutricional da Criança e do Adolescente: Manual de Orientação. 2009. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Manual de recomendações para o controle da Tuberculose no Brasil. 2011.

Dentista

  • Conhecimentos gerais: Odontologia - I. Bibliografia: ANDRADE, E.D. Terapêutica Medicamentosa em Odontologia. 3ª Edição. Porto Alegre: Artes Médicas, 2014. ANUSAVICE, K.J. Phillips: Materiais Dentários. 12ª Edição. Rio de Janeiro: ELSEVIER, 2013. BARATIERI, L.N. et al. Odontologia Restauradora Fundamentos e Técnicas. Vols 1 e 2. 1ª Edição. São Paulo: Livraria Santos Editora, 2010. CONSOLARO, A. Inflamação e Reparo. 2ª Edição. Maringá: Dental Press Editora, 2014. DEAN, J.A.; McDONALD, R.E.; AVERY, D.R.; McDONALD E AVERY. Odontopediatria para Crianças e Adolescentes. 9ª Edição. Rio de janeiro: Elsevier, 2011. FREITAS, A.; ROSA, J.E.; SOUZA, I.F. Radiologia Odontológica. 6ª Edição. São Paulo: Artes Médicas, 2004. LINDHE, J. et al. Tratado de Periodontia Clínica e Implantologia Oral. 5ª Edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010. LOPES, H.P.; SIQUEIRA, J.F. Endodontia: Biologia e Técnica. 4ª Edição. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015. MALAMED, S.F. Manual de Anestesia Local. 6ª Edição. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013. MEZZOMO, E. et al. Reabilitação Oral Contemporânea. 1ª Edição. São Paulo: Santos Livraria e Editora, 2006. MISCH, C.E. Implantes Dentais Contemporâneos. 3ª Edição. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. NEVILLE, B.W.; DAMM, D.D.; ALLEN, C.M.; BOUQUOT, J.E. Patologia Oral e Maxilofacial. 3ª Edição. Rio de Janeiro: Elsevier, 2016. PROFFIT, W.R.; FIELDS, Jr., H.W.; SARVER, D.M.; ACKERMAN, J.L. Ortodontia Contemporânea. 5ª Edição. Rio de Janeiro: Mosby Elsevier, 2013. PETERSON, L.J.; ELLIS, E.; HUPP, J.R.; TUCKER, M.R. - Cirurgia Oral e Maxilofacial Contemporânea. 5ª Edição. Rio de Janeiro: Mosby Elsevier, 2009. WANNAMACHER, L.; FERREIRA, M.B. Farmacologia clínica para dentistas. 3ª Edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.
  • Conhecimentos específicos (endodontia) - Bibliografia: ANDREASEN, J.O. et al. Fundamentos do Traumatismo Dental. 3ª Edição. Porto Alegre: Artmed, 2003. HARGREAVES, K.M.; COHEN, S. Caminhos da Polpa. 11ª Edição. Rio de Janeiro: Elsevier, 2017. CONSOLARO, A. Inflamação e Reparo. 2ª Edição. Maringá: Dental Press, 2014. CONSOLARO, A. Reabsorções dentárias nas especialidades clínicas. 3ª Edição. Maringá: Dental Press Editora, 2005. LOPES, H.P.; SIQUEIRA, J.F. Endodontia: Biologia e Técnica. 4ª Edição. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015. MALAMED, S.F. Manual de Anestesia Local. 6ª Edição. Rio de janeiro: Elsevier, 2013. TORABINEJAD, M.; WALTON, R.E. Endodontia: princípios e prática. 4ª Edição. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010. WANNAMACHER, L.; FERREIRA, M.B. Farmacologia clínica para dentistas. 3ª Edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007. ZUOLO, Mário Luiz et al. Reintervenção em endodontia. 2°ed. São Paulo: Santos, 2012.
  • Conhecimentos específicos (ortodontia) - GRABER, L.W.; VANARSDALL, Jr., R.L.; VIG, K.W.L.; HUANG, G.J. Ortodontia: Princípios e Técnicas Atuais. 6ª Edição. Rio de Janeiro: Elsevier, 2018. LIMA FILHO, R.M.A.; BOLOGNESE, ANA MARIA. Ortodontia: Arte e Ciência. Maringá: Dental Press Editora, 2007. MEDEIROS, P.J.; MEDEIROS, P.P. Cirurgia Ortognática para o Ortodontista. 2ª Edição. São Paulo: Editora Santos, 2004. MOYERS, R.E. Ortodontia. 4ª Edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1991. NANDA, R. Estratégias biomecânicas e estéticas em ortodontia. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015. PROFFIT, W.R.; FIELDS, Jr., H.W.; SARVER, D.M.; ACKERMAN, J.L. Ortodontia Contemporânea. 5ª Edição. Rio de Janeiro: Mosby Elsevier, 2013.
  • Conhecimentos específicos (cirurgia e traumatologia) - Bibliografia: ARAÚJO, A.; GABRIELLI, M.F.R.; MEDEIROS, P.J. Aspectos Atuais da Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial. São Paulo: Santos, 2007. MADEIRA, M.C. Anatomia da Face – Bases Anatomofuncionais para a Prática Odontológica . 8ª Edição. São Paulo: Sarvier, 2013. MALAMED, S.F. Manual de Anestesia local. 6ª Edição. São Paulo: Santos, 2013. MILORO, M.; GHALI, G.; LARSEN, P.E.; WAITE, P.D. Princípios de Cirurgia Bucomaxilofacial de Peterson. 3ª Edição. São Paulo: Santos, 2016. NEVILLE, B.W.; DAMM, D.D.; ALLEN, C.M.; BOUQUOT, J.E. Patologia Oral e Maxilofacial. 3ª Edição. Rio de Janeiro: Elsevier, 2016. PETERSON, L.J.; ELLIS, E.; HUPP, J.R.; TUCKER, M.R. - Cirurgia Oral e Maxilofacial Contemporânea. 5ª Edição. Rio de Janeiro: Mosby Elsevier, 2009. PRADO, R.; SALIM, M. Cirurgia Bucomaxilofacial, Diagnóstico e Tratamento. 1ª Edição. Rio de Janeiro: Medsi, 2004. VALENTE, C. Técnicas Cirúrgicas Bucais e Maxilofaciais. 1ª Edição. Rio de Janeiro: Revinter, 2003.

Farmacêutico

  • LIVROS TÉCNICOS: ANSEL, H.C. et al. Formas Farmacêuticas e Sistemas de Liberação de Fármacos. 9ª ed. São Paulo: Editorial Artmed, 2013. BISSON, Marcelo P. Farmácia Clínica e Atenção Farmacêutica. 3 ªed. Barueri: Manole, 2016. GOMES, M.J.V.M e REIS, A.M.M. Ciências Farmacêuticas: Uma Abordagem em Farmácia Hospitalar. 1ªed. São Paulo: Editora Atheneu, 2016. Manual de Farmacovigilância – OPAS COMISSÃO DA FARMACOPÉIA DA ANVISA. Farmacopéia Brasileira. Vols 1 e 2, 5ªed. Brasília. Editora Fiocruz, 2010. COMISSÃO DA FARMACOPÉIA DA ANVISA. Farmacopéia Brasileira. Primeiro Suplemento, 5ªed. Brasília. 2016. COMISSÃO DA FARMACOPÉIA DA ANVISA. Farmacopéia Brasileira. Segundo Suplemento, 5ªed. Brasília. 2017. GIL, Eric S. Controle Físico-Químico de Qualidade de Medicamentos. 3ª ed. São Paulo: Pharmabooks Livraria e Editora, 2010. FERRACINI, Fábio T.; BORGES FILHO, Wladmir M. Prática Farmacêutica no Ambiente Hospitalar. 2ª ed. São Paulo: Editora Atheneu, 2010. KATZUNG, Bertran G. et al. Farmacologia Básica e Clínica. 13ª ed. Porto Alegre: AMGH Editora Ltda, 2017. KOROLKOVAS, A. Química Farmacêutica, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1988. MCPHERSON, Richard A. et al. Diagnósticos Clínicos e Tratamento por Métodos Laboratoriais de Henry. 21ª ed. Barueri: Editora Manole, 2012. MOREAU, Regina L.; SIQUEIRA, Maria Elisa P. Toxicologia Analítica. 2.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2016. OGA, Seizi et al. Fundamentos de Toxicologia. 4.ed. São Paulo: Atheneu, 2014. OPAS. Organização Pan-Americana da Saúde, 2011. “Boas práticas de farmacovigilância para as Américas”. Washington, D.C.: OPAS, © 2011. (Rede PAHRF Documento Técnico Nº 5). SIMÕES, Claudia M. O. Farmacognosia: da Planta ao Medicamento. São Paulo: Artmed, 2016. WILLIAMSON, Mary A. et al. Wallach: Interpretação de Exames Laboratoriais. 9ªed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.
  • Legislação específica – BRASIL. Presidente da República. Lei nº 13.021, de 8 de agosto de 2014. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 11 ago 2014 - Dispõe sobre o exercício e a fiscalização das atividades farmacêuticas. BRASIL. Presidente da República. Lei Federal nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 3 ago 2010 - Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. BRASIL. Presidente da República. Decreto nº 7.404, de 23 de dezembro de 2010. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 23 dez 2010 – Regulamenta a LEI nº12.305, de 2 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, cria o Comitê Interministerial da Política Nacional de Resíduos Sólidos e o Comitê Orientador para a Implantação dos Sistemas de Logística Reversa, e dá outras providências. BRASIL. Presidente da República. Decreto nº 9.177, de 23 de outubro de 2017. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 24 out 2017 - Regulamenta o art. 33 da Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, e complementa os art. 16 e art. 17 do Decreto nº 7.404, de 23 de dezembro de 2010 e dá outras providências. BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria MS/SVS nº. 344, de 12 maio 1998, e suas atualizações. - Aprova o Regulamento Técnico sobre substâncias e medicamentos sujeitos acontrole especial. BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC nº 17, de 16 de abril de 2010. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 19 abr 2010 – Dispõe sobre as Boas Práticas de Fabricação de Medicamentos. BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC nº 33, de 04 de agosto de 2015. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 05 ago 2015 – altera a Resolução – RDC nº 17, de 16 de abril de 2010, que dispõe sobre as Boas Práticas de Fabricação de Medicamentos. BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC n° 31, de 11 de agosto de 2010. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 12 ago 2010 - Dispõe sobre a realização dos Estudos de Equivalência Farmacêutica e de Perfil de Dissolução Comparativo. BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. IN n° 10, de 29 de setembro de 2016. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 30 set 2016 - Determina a publicação da "Lista de fármacos candidatos à bioisenção baseada no Sistema de Classificação Biofarmacêutica (SCB)" e dá outras providências. BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC nº 37, de 03 de agosto de 2011. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 04 ago 2011 – Dispõe sobre o Guia para isenção e substituição de estudos de biodisponibilidade relativa/bioequivalência e dá outras providências. BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC nº 73, de 07 de abril de 2016. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 08 abr 2016 – Dispõe sobre mudanças pós-registro, cancelamento de registro com princípios ativos sintéticos e semissintéticos, e dá outras providências. BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC nº 121, de 04 de novembro de 2016. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 07 nov 2016 – Altera a Resolução – RDC nº 73, de 07 de abril de 2016 que dipõe sobre mudanças pós-registro, cancelamento de registro com princípios ativos sintéticos e semissintéticos, e dá outras providências. BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC Nº 166, de 24 de julho de 2017. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 25 jul 2017 e republicada 15 ago 2017 - Dispõe sobre a validação de métodos analíticos e dá outras providências. BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC Nº 53, de 4 de dezembro de 2015. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 7 dez 2015, republicada 8 dez 2015 - Estabelece parâmetros para a notificação, identificação e qualificação de produtos de degradação em medicamentos com substâncias ativas sintéticas e semissintéticas, classificados como novos, genéricos e similares, e dá outras providências. BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC Nº 171, de 22 de agosto de 2017. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 24 ago 2017 - Revisa a aplicabilidade da Resolução da Diretoria Colegiada - RDC nº 53, de 4 de dezembro de 2015, para alterações pós-registro e os prazos desta Resolução para produtos já registrados. BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC Nº 222, de 28 de março de 2018. Regulamenta as Boas Práticas de Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e dá outras providências. Conselho Federal de Farmácia - Resolução nº 596, de 21 de fevereiro de 2014 - Dispõe sobre o Código de Ética Farmacêutica, o Código de Processo Ético e estabelece as infrações e as regras de aplicação das sanções disciplinares.BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Guia Nº 04/2015 versão 1. de 04/12/2015. Guia para obtenção do perfil de degradação, e identificação e qualificação de produtos de degradação em medicamentos. BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Guia nº 14 - versão 1. de 08/02/2018 - Guia de Dissolução Aplicável a Medicamentos Genéricos, Novos e Similares. BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Guia nº 2 versão 1 de 07/10/2015 - Guia para Qualificação dos Procedimento de Transporte dos Produtos Biológicos.

Cronograma

Abertura das inscrições15/07/2019
Encerramento das inscrições16/08/2019
Prova20/10/2019
Divulgação do Gabarito23/10/2019
Divulgação do Resultado16/04/2020

Notícias do concurso Exército (2019) - EsSEx

Edital e Anexos

Abertura (11/07/2019) Edital de abertura de inscrições

Provas Exército

Orgão, Cargos e OrganizadoraAnoAnexo
Exército Professor Biologia
O próprio órgão
2013 Prova / Gabarito
Exército Professor Educacao Fisica
O próprio órgão
2013 Prova / Gabarito
Exército Professor Quimica
O próprio órgão
2013 Prova / Gabarito

» Ver lista completa


Comentários

Mais Lidas