Concurso Receita Federal Encerrado

Orgão: RFB - Receita Federal do Brasil
Nº vagas: 700
Taxa de inscrição: R$ 100
Cargos: Não definido
Áreas de Atuação: Administrativa
Escolaridade: Ensino Superior
Faixa de salário: Até R$ 7624,56
Organizadora: Esaf
Estados com Vagas: AC, AL, AM, AP, BA, CE, DF, ES, GO, MA, MG, MS, MT, PA, PB, PE, PI, PR, RJ, RN, RO, RR, RS, SC, SE, SP, TO

Publicado em 08/10/2009, às 10h26 - Atualizado em 18/06/2019, às 18h00



Cronograma

Abertura das inscrições
Abertura das Inscrições
19/10/2009
Encerramento das inscrições02/11/2009
Prova
Prova
20/12/2009
Divulgação do Resultado
Estimativa
20/12/2010

Notícias do concurso Receita Federal

Edital e Anexos

Resultado (22/01/2010) Prova objetiva
Resultado (19/04/2010) Prova dissertativa
Gabarito (21/12/2009) Gabarito
Abertura (08/10/2009) Edital
Resultado (27/01/2010) Prova objetiva - retificação
Resultado (10/03/2010) Prova discursiva (provisório)
Estatísticas (16/11/2009) Estatística de inscritos

Provas RFB - Receita Federal do Brasil

Nenhuma prova encontrada

Provas Esaf

Orgão, Cargos e OrganizadoraAnoAnexo
MPOG Analista de Planejamento e Orcamento Gestao de Infraestrutura de TI
Esaf
2015 Prova / Gabarito
MPOG Analista de Planejamento e Orcamento Gestao e Desenvolvimento de Sistemas
Esaf
2015 Prova / Gabarito
MPOG Analista de Planejamento e Orcamento Gerencia de Projetos e Governanca de TI
Esaf
2015 Prova / Gabarito
Ministério da Fazenda Procurador da Fazenda Nacional
Esaf
2015 Prova / Gabarito
MPOG Analista de Planejamento e Orcamento
Esaf
2015 Prova / Gabarito

» Ver lista completa

Sobre RFB - Receita Federal do Brasil

A Secretaria da Receita Federal do Brasil é um órgão específico, singular, subordinado ao Ministério da Fazenda, exercendo funções essenciais para que o Estado possa cumprir seus objetivos. É responsável pela administração dos tributos de competência da União, inclusive os previdenciários, e aqueles incidentes sobre o comércio exterior, abrangendo parte significativa das contribuições sociais do País. A Receita Federal também subsidia o Poder Executivo Federal na formulação da política tributária brasileira, previne e combate a sonegação fiscal, o contrabando, o descaminho, a pirataria, a fraude comercial, o tráfico de drogas e de animais em extinção e outros atos ilícitos relacionados ao comércio internacional.

Até 1 de janeiro de 2019 era subordinado ao Ministério da Fazenda, e a partir daí passou a ser subordinado ao novo Ministério da Economia do Governo Jair Bolsonaro.


Comentários

Mais Lidas