Concurso Marinha 2020 - Corpo Auxiliar de Praças Em andamento

Orgão: Marinha - Marinha do Brasil
Nº vagas: 56
Taxa de inscrição: De R$ 46,00 Até R$ 46,00
Cargos: Cabo
Áreas de Atuação: Forças Armadas
Escolaridade: Ensino Médio, Ensino Técnico
Faixa de salário: De R$ 1185,00 Até R$ 2627,00
Estados com Vagas: AC, AL, AM, AP, BA, CE, DF, ES, GO, MA, MG, MS, MT, PA, PB, PE, PI, PR, RJ, RN, RO, RR, RS, SC, SE, SP, TO

Publicado em 24/05/2019, às 09h24 - Atualizado em 29/09/2020, às 18h00


Com 56 vagas destinadas a profissionais que possuem formação técnica de nível médio, o concurso Marinha preencherá postos em 13 especialidades no Corpo Auxiliar de Praças, para funções de gestão administrativa, operativa e de saúde.

Resumo do edital

Distribuição das vagas

Há chances em 13 especialidades: contabilidade (8 postos), eletrônica (3), enfermagem (5), estatística (5), geodésia e cartografia (3), gráfica (4), marcenaria (4), mecânica (4), metalurgia (4), meteorologia (4), motores (4), processamento de dados (4) e química (4).

Conteúdo programático

Confira abaixo os temas para algumas áreas:

  • Técnico em gráfica - PROJETO GRÁFICO - Conhecimento sobre leiaute e arte final; Uso e técnica da cor; e Utilização de softwares gráficos. Componentes gráficos: papel; letras e tipos; caixa, fonte, série e família; Retícula; Identificação, definição e classificação das medidas tipográficas (ponto, cícero e paica); Componentes estéticos: ponto, linha e massas; Cor e luz; Projetos de edição: identidade visual, projeto e diagramação de revista e livro; Planejamento visual e sistema de padrões gráficos; Controle de qualidade em produção gráfica. EDITORAÇÃO ELETRÔNICA - Preparação de originais para diagramação; Imagem digital; Formatos de arquivos; Manipulação de imagens; A cor na imagem digital; Conversão de imagens e formatos de arquivos; Como aplicar imagens na editoração; Fechamento de arquivos para impressão: arquivos abertos, fechados e PDF; Geração de arquivo PostScript; Geração de arquivo PDF para pré-impressão e impressão digital; Construção do arquivo: formato de página, imagem bitmap, ilustrações vetoriais, arte-finalização do arquivo; e Softwares gráficos. IMPRESSÃO - Análise dos originais a reproduzir; Reprodução de originais preto e branco: traço, retícula, tom contínuo; Reprodução de originais a cores: policromia - processo direto e indireto; Uso de imagens em impressão digital; Quadricromia e cores especiais: RGB, CMYK e Pantone; Meios-tons e degradês; Conhecimento do formato e diferentes tipos de papel, classificação dos tipos de dobras dos espelhos e noções de traçado de montagem; Gravação de fotolito; Gravação de chapas offset via CTP (computer to plate); Montagem de filmes nas chapas; Impressão offset: tipos de matrizes impressoras (chapas), tratamento de matriz; Sistema de entintamento de molha; Problemas e soluções práticas na impressão; e Produção gráfica para impressão digital: planejamento, leiaute e pré-impressão. ACABAMENTO - Classificação dos tipos de papel; Formatos de papel; Fabricação do papel, matériasprimas utilizadas e direção das fibras; Características físicas, mecânicas, químicas, funcionais e de superfície; Corte linear: descrição do funcionamento, material de corte, problemas e soluções de corte; Faca: forças que atuam sobre ela, pressão e esquadro; Acessórios para a guilhotina linear; Dobra do papel: tipos, gramatura, composição, imposição, princípio mecânico da dobra em folhas, máquinas dobradeiras e acessórios; Tipos e métodos de encadernação; Material para capas de livros; Problemas e soluções na encadernação; e recursos de acabamento. BIBLIOGRAFIA BAER, L. Produção Gráfica. 2.ed. São Paulo : SENAC, 1999. CARAM ILLO NETO, Mário. Produção Gráfica II. São Paulo : Global, 1997. COLLARO, A. C. Projeto Gráfico - Teoria e Prática da Diagramação. São Paulo : Summus Editorial, 2000. _________. Produção Gráfica : arte e técnica da mídia impressa. São Paulo : Pearson Education do Brasil, 2007. CRAIG, J. Produção Gráfica. São Paulo : Mosaico, 1980. GAMBA JÚNIOR, N. G. Computação Gráfica para Designers: Dialogando com as Caixinhas de Diálogo. Rio de Janeiro : 2AB, 2003. GATTER, Mark. Produção Gráfica para designers. São Paulo : Ateliê Editorial, 2016. HORIE, R. M. Preparação e Fechamento de Arquivos para Artes Gráficas. São Paulo : Érica Ltda., 2005. LOPES, A. B. et al. Impressão Digital - A Tecnologia a Serviço da Comunicação. São Paulo : Abigraf, 2005. LUNARDELLI, A. A.; ROSSI FILHO, S. Acabamento - Encadernação e Enobrecimento de Produtos Impressos. São Paulo : Lunardelli, 2004. MARTINS, N. A Imagem Digital na Editoração. Rio de Janeiro : SENAC, 2003. MULLER, P. Impressão Offset: Problemas e Soluções Práticas. São Paulo : Hamburg, 1973 NIEMEYER, L. Tipografia: uma Apresentação. Rio de Janeiro : 2AB, 2006. RIBEIRO, Milton. Planejamento Visual Gráfico. 8.ed. rev e atualizada, Brasília : LGE Editora, 2003.
  • Técnico em marcenaria - MARCENARIA – Introdução; Matéria-prima; Madeira; Composição do tronco; Corte e transporte; Serragem racional; Classificação; Estados; Propriedades; Secagem; Colagem; Madeira compensada; Classificação comercial; Degradação da madeira; Tratamentos, preservantes e secagem; e Madeiras de reflorestamento ecompósitos. MDF – Histórico; Processo de produção; Armazenamento; e Produtos. FERRAMENTAS E MÁQUINAS DE MARCENARIA – Ferramentas de marcenaria; Serras mecânicas; Máquinas ferramentas; Furadeiras; Máquinas especiais; Tupia; Respigadeira; Disposição das máquinas; Amolagem; e conservação. CONSTRUÇÃO E MATERIAIS DIVERSOS USADOS EM MARCENARIA – Noções gerais; Uso específico da madeira; Junções; Ligações; Ferragens para móveis; Pregos e parafusos; Acabamentos; Colas; Massas; Pinturas; Vernizes; Móveis; Mesas; O que se condena em alta marcenaria; Molduras; Tornearia; Entalhação; e Matemática aplicada. LUSTRAÇÃO – Introdução; Preparação de superfícies; Ferramentas; Produtos; e Procedimentos. SEGURANÇA DO TRABALHO NAS MARCENARIAS: Causas e prevenção de acidentes, Proteção de máquinas; Riscos da serragem; Riscos do acabamento e montagem; Prevenção de incêndios; e Problemas para saúde pública e meio ambiente. BIBLIOGRAFIA BOM, Roberto Pedro, Processo Produtivo de Painéis MDF, Centro Universitário deUnião da Vitória, 2008. Disponível em: <http://engmadeira.yolasite.com/resources/Apostila_MDF.pdf>. GONZAGA, Armando Luiz. Madeira: Uso e Conservação. Brasília, DF: Iphan/Monumenta, 2006. MARCELLINI, Domingos. Manual Prático de Marcenaria. 8.ed. Ediouro Publicações S.A. SOUZA, Telmo Camilo de. Prevenção dos Riscos Laborais nas Marcenarias e Carpintarias. Delegacia Regional do Trabalho/SC – Ministério do Trabalho e Emprego, 2004. Disponível em: livrozilla.com/doc/472447/prevenção-dos-riscos-laborais-nasmarcenarias-e-carpintarias TRIPODI, Antonino. Lustração da Madeira e Pinturas Especiais. São Paulo: CTT Cultural e Editora,2004. PIVA, Ricardo Dal. Processo de Fabricação de Móveis Sob Encomenda. SENAI-RS, Centro Tecnológico do Mobiliário – CETEMO, 2006. Disponível em: <http://sbrt.ibict.br/dossietecnico/downloadsDT/MTE=>.
  • Técnico em processamento de dados - ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES – Conceitos básicos; Sistema de computação; Memória principal; Memória cache; Processadores; Representação de dados; Conjunto de instruções; Memória secundária; Entrada e saída; Sistemas de Numeração; Conversão de bases e aritmética computacional; Conceitos da lógica digital; Execução de programas; e Códigos de representação de caracteres. SISTEMAS OPERACIONAIS – Tipos de sistemas operacionais; Conceitos de hardware e software; Concorrência; Estrutura do Sistema Operacional; Processos; Threads; Sincronização e comunicação entre processos; Gerência do Processador; Gerência de Memória; Gerência de Memória Virtual; Características do Linux; Distribuições do Linux; Conceitos básicos do Linux: arquivos, diretórios, comandos, interpretador de comandos e curingas; Discos; Partições; Execução de Programas; Comando de manipulação de diretório, arquivos, rede e contas; Comandos diversos; Permissões de acesso a arquivos e diretórios; Redirecionamentos e Pipe; e Impressão. REDES DE COMPUTADORES – Usos de redes de computadores; Hardware de rede; Software de rede; Modelos de referência OSI e TCP/IP; A camada física; A camada de enlace de dados; A subcamada de controle de acesso ao meio; A camada de rede; A camada de transporte; A camada de aplicação; e Segurança de redes. ALGORITMOS, ESTRUTURA DE DADOS E LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO – Algoritmos Estruturados; Constantes; Variáveis; Expressões aritméticas, lógicas e literais; Comando de atribuição; Comando de entrada e saída; Estruturas sequenciais, condicionais e de repetição; Estruturas de dados; Variáveis compostas; Arquivos; Modularização; Linguagem de programação JAVA; Bibliotecas de classe do Java; Classes e Objetos; Instruções de controle; Módulos de programa em Java; Arrays e Arraylists; Programação orientada a objetos; Tratamento de exceções; Componentes GUI; Strings, caracteres e expressões regulares; Recursão; Applets e Java Web Start; Multithreading; e Serviços Web. BANCO DE DADOS – Gerenciamento de banco de dados; Conceitos e arquitetura do sistema de banco de dados; Bancos de dados relacionais; Linguagem SQL; Modelo relacional; Dependências funcionais; Normalização; Modelagem semântica; Gerenciamento de transações; Segurança; Otimização; Herança; e Bancos de dados distribuídos. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO – Segurança na Internet; Golpes na Internet; Ataques na Internet; Códigos maliciosos (Malware); Spam; Outros riscos; Mecanismos de segurança; Contas e senhas; Criptografia; Uso seguro da Internet; Privacidade; Segurança de computadores; Segurança de redes; e Segurança em dispositivos móveis. BIBLIOGRAFIA CERT.BR, Cartilha de Segurança para Internet, versão 4.0 – São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2012 – 142 páginas. SILVA, G. M. Guia Foca GNU/Linux: Iniciante. 2020. Versão 5.01. Disponível em: https://guiafoca.org/cgs/download/iniciante/focalinux-1-pdf.zip. FARRER, H. et al. Programação Estruturada de Computadores: Algoritmos Estruturados. 3.ed. Rio de Janeiro: LTC, 1999. DEITEL, Paul; DEITEL, Harvey. JAVA como Programar. 8.ed. [S.l.]: Pearson Prentice Hall, 2010. DATE, C. J. Introdução a Sistemas de Bancos de Dados. 8.ed. [S.l.]: Campus, 2004. ELMASRI, R; NAVATHE, S. B. Sistemas de Banco de Dados. 6.ed. [S.l.]: Pearson Addison Wesley, 2011. MONTEIRO, Mario A. Introdução à Organização de Computadores. 5.ed. [S.l.]: LTC. 2012. TANENBAUM, Andrew S.; WETHERALL, David. Redes de computadores. 5.ed. [S.l.]:Pearson Prentice Hall, 2011. MACHADO, Francis B.; MAIA, Luiz P. Arquitetura de Sistemas Operacionais. 5.ed. [S.l.]: LTC, 2013. 

Curso grátis sobre preparação emocional para o concurso Marinha

Acompanhamento

A equipe JC Concursos apresenta o resumo do concurso Marinha nesta página, com as principais informações do processo seletivo. O conteúdo programático na íntegra pode ser conferido no edital abaixo, disponível entre os anexos. 


Cronograma

Abertura das inscrições09/09/2020
Encerramento das inscrições28/09/2020
Prova20/12/2020

Notícias do concurso Marinha 2020 - Corpo Auxiliar de Praças

Edital e Anexos

Abertura (24/05/2019) Edital de abertura de inscrições (2019)
Abertura (21/08/2020) Edital de abertura de inscrições (2020)

Provas Marinha - Marinha do Brasil

Orgão, Cargos e OrganizadoraAnoAnexo
Marinha Capelao Naval Pastor da Igreja Batista
O próprio órgão
2015 Prova / Gabarito
Marinha Capelao Naval Pastor da Igreja Evangelica Assembleia de Deus
O próprio órgão
2015 Prova / Gabarito
Marinha Arquiteto e Urbanismo
O próprio órgão
2015 Prova / Gabarito
Marinha Cirurgiao Dentista Todas as Areas
O próprio órgão
2015 Prova / Gabarito
Marinha Capelao Naval Pastor da Igreja Catolica Apostolica Romana
O próprio órgão
2015 Prova / Gabarito

» Ver lista completa

Sobre Marinha - Marinha do Brasil

Marinha do Brasil pertence as Forças Armadas do Brasil e é responsável por conduzir operações navais. É a maior da América do Sul e da América Latina e a segunda maior da América, depois da Marinha dos Estados Unidos.

A Marinha esteve envolvida na guerra de independência do Brasil. Por volta de 1880, a Armada Imperial Brasileira era a mais poderosa da América do Sul. Após a rebelião naval de 1893, houve um hiato em seu desenvolvimento, até 1905, quando o Brasil adquiriu dois dos dreadnoughts mais poderosos e avançados da época, o que provocou uma corrida armamentista naval com as nações vizinhas, sobretudo a Argentina e Chile. A Marinha do Brasil participou na Primeira Guerra Mundial e na Segunda Guerra Mundial, participando de patrulhas anti-submarinos no Atlântico.


Comentários

Mais Lidas