MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | Sociedade | youtube jc | WEBSTORIES

Argentina recua da adesão ao Brics em decisão do presidente Milei

'Zero surpresa', diz Brasília sobre anúncio do presidente Milei. Adesão da Argentina ao Brics havia sido acordada durante a cúpula do bloco em agosto

Recusa não surpreendeu, uma vez que a futura ministra das Relações Exteriores havia anunciado a posição
Recusa não surpreendeu, uma vez que a futura ministra das Relações Exteriores havia anunciado a posição - Agência Brasil
Pedro Miranda

Pedro Miranda

redacao@jcconcursos.com.br

Publicado em 29/12/2023, às 14h09

WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmailGoogle News

O governo argentino, sob a liderança do presidente Javier Milei, anunciou nesta sexta-feira (29) sua decisão de não participar do grupo de nações emergentes Brics, composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

A carta formalizando a retirada foi enviada aos líderes dos países membros do Brics, incluindo o presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, e justifica a decisão com a alegação de divergências nos eixos da política exterior em relação à administração anterior.

"Algumas decisões tomadas pela gestão anterior (do ex-presidente Alberto Fernández) serão revisadas. Entre elas, encontra-se a criação de uma unidade especializada para a participação ativa do país (Argentina) no Brics (...)", escreveu Milei.

A adesão da Argentina ao Brics havia sido acordada durante a cúpula do bloco em agosto, na África do Sul, quando o país era presidido por Alberto Fernández. Caso a decisão de Milei não tivesse sido tomada, a Argentina se tornaria membro do Brics a partir de 1º de janeiro de 2024.

Recusa não surpreendeu, uma vez que a futura ministra das Relações Exteriores havia anunciado a posição 

Na carta enviada ao Brasil, maior parceiro comercial da Argentina, Milei reiterou o compromisso do governo nacional com a intensificação dos laços bilaterais, destacando o aumento dos fluxos de comércio e investimento.

A carta enviada pelo governo argentino ao brasileiro negando convite para aderir ao Brics, em 22 de dezembro de 2023. — Foto: Reprodução

Carta enviada pelo presidente da Argentina ao governo Lula. Foto: Reprodução

A recusa não surpreendeu, uma vez que a futura ministra das Relações Exteriores, Diana Mondino, já havia anunciado a posição em novembro, dez dias antes da posse de Milei. O governo atual justifica a decisão, ressaltando as diferenças na política externa em relação à administração anterior.

Fundado em 2006, o Brics tem uma população de cerca de 3,2 bilhões de pessoas e um Produto Interno Bruto (PIB) conjunto de US$ 24,7 trilhões. A China lidera o PIB do bloco, seguida pela Índia, Rússia, Brasil e África do Sul. A decisão argentina representa uma mudança significativa nas dinâmicas geopolíticas na região.

+ Acompanhe as principais informações sobre Sociedade e Brasil no JC Concursos

Siga o JC Concursos no Google NewsSociedadeBrasil

JC Concursos - Jornal dos Concursos. Imparcial, independente, completo.