MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | Sociedade | youtube jc | WEBSTORIES

Estudo alerta sobre riscos de combinar medicamentos para disfunção erétil e dor no peito

Medicamentos comuns no tratamento da disfunção erétil podem resultar em complicações graves quando administrados em conjunto com nitratos, comuns no tratamento de dores no peito

Especialistas enfatizam a importância de uma análise mais aprofundada
Especialistas enfatizam a importância de uma análise mais aprofundada - Divulgação/JC Concursos
Pedro Miranda

Pedro Miranda

redacao@jcconcursos.com.br

Publicado em 16/01/2024, às 21h45

WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmailGoogle News

Um novo estudo, publicado no Journal of the American College of Cardiology na segunda-feira (15), destaca os riscos associados à combinação de medicamentos inibidores da fosfodiesterase tipo 5 (PDE5) com nitratos em pacientes com doença cardiovascular.

Esses medicamentos, comuns no tratamento da disfunção erétil, podem resultar em complicações graves, incluindo insuficiência cardíaca e morte prematura, quando administrados em conjunto com nitratos, comuns no tratamento de dores no peito.

O estudo, liderado pelo Dr. Daniel Peter Andersson, professor associado do departamento de medicina do Instituto Karolinska em Estocolmo, analisou dados de 61.487 homens com doença arterial coronariana estável entre 2005 e 2013, incluindo aqueles com histórico de infarto do miocárdio (um ataque cardíaco) ou intervenção coronária percutânea. 

🏥 Especialistas enfatizam a importância de uma análise mais aprofundada

Os resultados indicaram que o grupo que recebeu tanto nitratos quanto inibidores de PDE5 teve um risco ligeiramente maior de morte prematura por todas as causas e um risco duas vezes maior de revascularização, em comparação com o grupo que recebeu apenas nitratos.

Embora estudos anteriores tenham mostrado riscos potenciais dessa combinação, o novo estudo destaca a crescente prevalência desse padrão de prescrição. O Dr. Howard C. Herrmann, professor de doenças cardiovasculares da Universidade da Pensilvânia, expressou surpresa com a alta frequência (9%) de pacientes que receberam prescrição de ambos os medicamentos, destacando a necessidade de conscientização entre os médicos sobre os riscos associados a essa prática.

No entanto, o estudo tem limitações, e os especialistas enfatizam a importância de uma análise mais aprofundada. Os pacientes que tomam inibidores de PDE5 e nitratos são aconselhados a discutir opções de tratamento alternativas com seus médicos e receber orientações claras sobre o momento adequado para tomar esses medicamentos, minimizando assim os riscos associados.

Siga o JC Concursos no Google NewsSociedadeBrasil

JC Concursos - Jornal dos Concursos. Imparcial, independente, completo.