MenuJC Concursos
Busca
Últimas Notícias | | Empregos | saúde | Sociedade | youtube jc

Garantia de estabilidade para trabalhador que sofreu acidente de trabalho? Veja prazo

Trabalhador que sofreu acidente de trabalho tem prazo mínimo para estabilidade após retorno às atividades; descubra tempo limite imposto pela lei

Jean Albuquerque | redacao@jcconcursos.com.br
Publicado em 10/07/2022, às 12h56

Uma mulher segura celular aberto com o aplicativo da carteira de trabalho digital
Uma mulher segura celular aberto com o aplicativo da carteira de trabalho digital - Agência Brasil - Acidente de trabalho
WhatsAppFacebookTwitterLinkedinGmail

O trabalhador tem direito ao benefício da garantia de estabilidade após ter sofrido acidente de trabalho. A garantia está prevista no artigo 118 da Lei n. 8.213/91, tendo a estabilidade contada logo depois do fim do auxílio-doença acidentário. Veja o prazo mínimo que precisa ser cumprido pela empresa. 

Mesmo durante o período de afastamento, o empregador deve continuar depositando o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). A lei estipula que "é garantia pessoal, tutelando o direito do trabalhador que, após ter sofrido acidente de trabalho, encontra-se em fase de recuperação, sendo-lhe assegurado o direito à garantia provisória para que possa contar com os meios necessários à sua subsistência e à de sua família". 

+++ Quem estiver NESTAS condições pode perder Auxílio Brasil se não atualizar dados

Veja prazo da garantia de estabilidade

No período mínimo de 12 meses, os trabalhadores que sofreram acidente decorrente da execução do trabalho terão o seu emprego assegurado. Neste caso, é garantido a manutenção do contrato após o encerramento do auxílio-doença em razão de alta médica, que independe do recebimento do auxílio-acidente ou não. 

Câmara quer garantir estabilidade mesmo após encerramento das atividades da empresa 

Tramita na Câmara desde março de 2022, o Projeto de Lei 4598/21, que prevê a garantia à estabilidade provisória após acidente de trabalho mesmo nos casos em que a empresa tenha encerrado suas atividades. O texto em análise altera a Lei de Benefícios da Previdência Social.

O autor da proposta, o deputado licenciado Carlos Bezerra (MT), em publicação da Agência Câmara de Notícias à época disse que “o trabalhador faz jus à indenização substitutiva”. Além de afirmar que a “ estabilidade acidentária constitui garantia pessoal, e cabe à empresa suportar os riscos da atividade econômica e assegurar os meios necessários à subsistência do empregado doente”.

No momento, o projeto tramita em caráter conclusivo e precisará ser analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Trabalho, de Administração e Serviço Público e Constituição; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

+++ Acompanhe as principais informações sobre Sociedade e Brasil no JC Concursos

Siga o JC Concursos no Google News e acompanhe nossos destaquesSociedadeBrasil
Voltar ao topo

+Mais Lidas

JC Concursos, o seu Jornal dos Concursos de sempre. Imparcial, independente, completo.