Educação (SP) abrirá 11 mil vagas em janeiro

A Secretaria da Educação/SP definiu o cronograma de atividades do concurso

Redação
Publicado em 27/10/2008, às 11h20

O tão aguardado edital da Secretaria de Estado da Educação/SP, que preencherá 11.749 vagas na função de Agente de Organização Escolar, já tem data marcada para ser publicado. Na última semana, a Secretaria divulgou o calendário oficial do concurso, com as datas previstas para os principais eventos do certame:
• Novembro/08: escolha da empresa organizadora;
• Janeiro/09: período de inscrições;
• Fevereiro/09: provas;
• Abril/09: classificação final;
• Maio/09: nomeação.

O concurso foi autorizado no mês de abril pelo governador do Estado, José Serra. No início do ano, houve processo seletivo temporário para o mesmo cargo, o qual nomeou 13.387 Agentes.

As exigências foram o nível fundamental completo e conhecimentos de informática, entre outros. Na ocasião, o salário foi de R$ 627,49, e, a taxa de participação, de R$ 8,18. Os candidatos foram avaliados nas seguintes disciplinas: Língua Portuguesa, Matemática, Conhecimentos Gerais, Atualidades e Conhecimentos Básicos de Informática.

Mais vagas

Tramita atualmente na Casa Civil um projeto de autoria da Secretaria que prevê a criação de 75 mil vagas para Professores em todo o Estado. Segundo o órgão, “o objetivo é contratar um número maior de profissionais e atrair para as aulas especialistas, como químicos, físicos, matemáticos e historiadores, entre outros”. Se aprovado, as vagas deverão ser preenchidas através de concurso.

A jornada de trabalho prevista é de 10h semanais, o que, segundo a Secretaria, irá beneficiar os estudantes. “Com a criação de jornada de 10 horas semanais, aulas de disciplinas com menor incidência na grade escolar (filosofia, química, física, entre outras) poderão ter professor único, o que irá auxiliar na aprendizagem dos alunos. Com mínimo de 20 horas semanais, muitas vezes o Professor era obrigado a ensinar em mais de uma unidade”, divulgou o órgão, através de sua Assessoria de Imprensa. Segundo dados da Secretaria, atualmente, o Estado conta com 250 mil Professores, que cumprem jornadas de 20 ou 30h semanais.

Além da criação das vagas, o projeto prevê aumento de até 12,2% no salário-base de membros do Quadro de Magistério (Professores, Diretores e Supervisores), de acordo com o cargo e a jornada de trabalho. Por exemplo, o piso mínimo do Professor PEB I (1ª a 4ª série) em jornada de 40h semanais, passará de R$ 1.166,83 para R$ 1.309,17. Para PEB 2 (5ª a 8ª e ensino médio), nesta mesma jornada, irá de R$ 1.350,75 para R$ 1.501,50.

O reajuste de 5% do piso e a incorporação da GTE (Gratificação do Trabalho Educacional), chegando-se a até 12% no salário-base, beneficiam os servidores ativos e inativos, além de incidir nos pagamentos de férias, sexta parte e qüinqüênio, por exemplo. A remuneração dos professores estaduais inclui o salário-base e gratificações, podendo chegar a R$ 3.124,05. Para os Diretores de Escola, o aumento previsto é de cerca de 11% e o salário-base passará de R$ 1.490,26 para R$ 1.648,77 e o dos Supervisores, de R$ 1.638,03 para R$ 1.803,93 (aumento de 10%).

(C.J.)

Comentários

Mais Lidas