Secretaria da Educação/SP: criados mais 818 cargos

Ofertas para analista administrativo (418) e analista de tecnologia (400); salário inicial para ambas as carreiras é de R$ 2.169

Renan Abbade
Publicado em 28/06/2013, às 11h15

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, sancionou lei que cria mais 818 cargos na educação. As oportunidades serão para duas carreiras de nível superior: analista de tecnologia (400) e analista administrativo (418).
O posto de analista de tecnologia é uma nova função na rede estadual e terá salário de R$ 2.169 para jornada de trabalho de 40 horas semanais. Para a convocação destes servidores, a SEE organiza novo concurso, com edital e datas de prova a serem definidos por sanção do governador.
O analista de tecnologia será responsável pelo desenvolvimento de atividades especializadas em informatização dos processos administrativos e em infraestrutura. A atuação terá foco nos núcleos de informática e de edificação, departamento importante para a execução das obras, por exemplo.
Além do novo cargo, a Secretaria também vai ampliar a contratação de analistas administrativos. Serão mais 418 profissionais na área e a remuneração é a mesma do analista de tecnologia. A seleção para esta categoria já está em andamento. Os interessados fizeram a prova no dia 19 de maio e, inicialmente, estavam previstas 182 vagas. Com a ampliação, serão 600 oportunidades para estes servidores.
O analista administrativo tem a responsabilidade de auxiliar na gestão de recursos humanos, de compra de material, além da gestão financeira.
O atual certame teve edital publicado em março e conta com um total de 375 ofertas de nível superior, distribuídas entre os órgãos centrais e regionais da Secretaria, em diversos municípios paulistas, entre eles São Paulo, Guarulhos, Diadema, Osasco, São Bernardo, Santos, Bauru e Presidente Prudente.
As oportunidades estão dividas entre as carreiras de analista sociocultural – biblioteconomia (97), agente técnico da assistência à saúde (96) e analista administrativo (182). A organização do processo seletivo é de responsabilidade da Fundação Vunesp e a seleção é composta por prova objetiva com 80 questões sobre conhecimentos gerais (40) e conhecimentos específicos (40), além de redação.
As novas vagas foram anunciadas pelo governador no dia 17 de abril. A criação dos 818 postos de analistas tem como objetivo a retirada dos professores de cargos administrativos, para que tenham mais tempo de se dedicar ao trabalho pedagógico. Os novos servidores atuarão nas 91 diretorias regionais de ensino do Estado.

Comentários

Mais Lidas