Água mole em pedra dura

Se você realmente deseja ser aprovado em algum concurso público, precisa estar preparado para perseguir esse objetivo até conseguir, sem parar, com disciplina e consistência

Daniel Sena
Publicado em 25/08/2017, às 14h36

Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura. Quem nunca ouviu esse ditado? Ele retrata bem o que eu chamo de princípio da insistência. Esse princípio se revela na capacidade humana de ser persistente em um determinado comportamento ideal para se atingir um resultado esperado. É indispensável para quem possui metas e objetivos a serem cumpridos. Funciona em todas as áreas da vida, seja em um relacionamento amoroso, no empreendedorismo, ou até mesmo nos estudos, que é a área que me interessa nesse artigo. 
Costumo dizer que a capacidade de insistir é um dos valores mais importantes na caminhada rumo a aprovação. Aprendi isso na prática quando consegui ser aprovado em 7 concursos após mais de 70 reprovações. Ela se confirmou ainda na história de todos aqueles que conheço e que atingiram seus objetivos. Posso te garantir que a capacidade de insistir é o ponto comum entre todos os que já foram aprovados em algum concurso público. 
Ao contrário, todos os que tiveram a chance de passar e não conseguiram, não conseguiram pelo simples fato de terem desistido antes de alcançar o objetivo. Ou seja, se você realmente deseja ser aprovado em algum concurso público, precisa estar preparado para perseguir esse objetivo até conseguir, sem parar, com disciplina e consistência. 
Depois do concurso do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP), percebi que muitos alunos que estavam bem preparados para esse concurso, mas que não obtiveram êxito na prova, desistiram de estudar para ele e iniciaram seus estudos para outro, como por exemplo, o do Ministério Público da União (MPU). Não que isso seja errado, mas certamente é uma mudança de estratégia não tão eficiente quanto a de manter seus estudos focados no próprio TJSP que lançará em breve outro edital com o mesmo conteúdo para as vagas do interior e do litoral do Estado. “Mas Daniel, eu não quero sair da capital, por isso mudei o meu foco”. Tudo bem, essa pode ter sido a escolha de algumas pessoas, mas eu tenho certeza que a maioria que mudou de foco, o fez pela simples incapacidade de lidar com a derrota no TJSP.
Todas as pessoas que conheço e que de alguma forma atingiram seus objetivos investiram nas suas derrotas. Sim, quem investe em fracassos coleciona uma experiência muito maior do que aqueles que só arriscam quando tem certeza que vão acertar. Por isso muitos alunos me perguntam diariamente se eu acho que conseguirão a sua aprovação, como se eu soubesse a resposta. Respondo sempre da mesma forma: se você quiser e fizer o que precisa ser feito, você conquistará sua aprovação, tudo depende das suas escolhas e da sua capacidade de insistir até conseguir. 
Quando você fracassa em um concurso, sua experiência e aprendizado são potencializados. Você passa a enxergar com mais clareza onde é possível melhorar, quais as forças e fraquezas que possui, qual matéria necessita de um pouco mais de atenção, se seu foco e concentração na hora da prova estão adequados, se o nível de ansiedade está controlado. Veja, a derrota não é tão ruim quanto parece. Ela é necessária para construir um caminho de vitória. Ela é estrategicamente relevante para quem continua buscando.
Peguemos como exemplo o próprio concurso do TJSP. O cara que estudou com qualidade, mas fez apenas 60 pontos tem a chance após a prova de descobrir o que faltou para ele fazer uma pontuação melhor na próxima oportunidade. Se existe outra chance no curto espaço de tempo para ele fazer outra prova com o mesmo conteúdo, então isso será incrível pois ele chegará necessariamente na outra prova muito mais preparado do que estava na primeira. Primeiro porque ele terá a oportunidade de corrigir seus erros, mas também porque ele repetirá todo o conteúdo elevando o seu nível de aprendizado.
Então deixo aqui o meu conselho. Se você é destes que desistem depois de uma derrota, repense o seu projeto de estudo para concurso. Esse caminho não é para os que são incapazes de suportar os fracassos naturais da vida. Se realmente o que você deseja é ser aprovado, então continue batendo até a porta se abrir, pois concurseiro mole em prova dura, tanto bate até que fura! E vamos que vamos rumo à aprovação!
Daniel Sena é advogado, professor de direito constitucional, palestrante e coach para concurso público. Site: www.institutodanielsena.com.br

Comentários

Mais Lidas