Aproveite a estrada

Recentemente, recebi mensagem de uma leitora curiosa sobre como eu administro o meu tempo para que ele renda tanto. Essa é uma questão bastante importante para quem está se preparando e, por isso, reproduzo na coluna de hoje minha resposta

William Douglas
Publicado em 09/08/2016, às 14h58

Recentemente, recebi mensagem de uma leitora curiosa sobre como eu administro o meu tempo para que ele renda tanto. Ela, candidata a magistratura federal e procuradora municipal – ou seja, uma concurseira já há algum tempo na estrada – começou a sentir, novamente, dificuldade em se concentrar e dinamizar o tempo.
Essa é uma questão bastante importante para quem está se preparando e, por isso, reproduzo na coluna de hoje minha resposta:
“As aprovações já colhidas confirmam que você está no caminho certo. No geral, descontando um ou outro concurso em que temos todo o direito de ter um resultado desastroso, a verdade é que a média (a curva) de desempenho nos concursos pode nos mostrar se estamos no caminho certo ou não, e o quanto e onde precisamos melhorar. O dia do concurso pode gerar, por mil fatores distintos, um aumento ou decréscimo de 10 a 30% na nota, mas em geral a média delas indica um perfil. Às vezes quem erra é a banca. Eu, no mesmo mês, tirei 68, 67 e 25 em três concursos de mesmo perfil, o que mostra que o ‘25’ era o ponto fora da curva. Imagina se eu só tivesse feito esse de 25, depois de já ter tirado um 42 e um 46,5? Em suma, mesmo quem ainda não passou pode ver como está indo pelos resultados, e no seu caso isso é ainda mais tranquilo. Você está no caminho certo. Se não se desviar dele, chegará ao destino desejado.
Dinamizar o tempo é um desafio constante e ciclópico, enorme, extraordinário. E, igualmente, necessário e indispensável. O tempo é nosso bem mais precioso, mais escasso e menos renovável. Todo dia recebemos mais 24 horas, toda semana mais sete dias, todo ano mais 12 meses... mas o que se passou está irremediavelmente perdido. O que passou pode nos legar apenas lições, lembranças e o trabalho e alegria lá atrás implementados. Eu não tenho mais o tempo que passou, como dizia Renato Russo, mas tenho a colheita de tudo o que semeei lá atrás. 
Como diz Morpheus, em Matrix, ‘Cedo ou tarde você vai perceber, como eu, que há uma diferença entre conhecer o caminho e percorrer o caminho’. Jesus falou isso em Mateus capítulo 7, versos 24 a 29.
Você está viva, tem todo o tempo do mundo! Você pode mudar o rumo agora, ou ir mais fundo no rumo que já escolheu e que sabe que realmente quer. E mesmo quem não sabe se é isso mesmo, quando caminha acaba descobrindo. 
Não dispense um abraço forte nas pessoas que ama (isso ajuda muito no preparo emocional e outras coisas), e não ache que está muito ‘distante de tudo’. Tudo o que adicionar de sabedoria e disciplina ao seu dia estará criando seu ‘próprio tempo’ e seu futuro. Você não precisa ter ‘medo do escuro’ porque as luzes estão acesas. A sabedoria é uma luz, é lâmpada para os seus pés. Vamos em frente, guria: enquanto estivermos vivos somos jovens o bastante para empreender a jornada. Word hard, have fun, no drama, no mimimi, keep cool, keep walking, just do it, be happy, be gentle, make a difference, carpe diem, tempus fugit.
Você fala em ‘cansaço’? Eu digo que ainda bem que está tendo isso, pois concordo com a expressão ‘No pain, no gain’. A dor precisa existir, apenas o sofrimento é opcional. Se aprendermos a trabalhar com sabedoria, a dor não será além da necessária, nem o cansaço, mas nunca vi nenhuma vitória perene e digna sem alguma dose de cansaço e dor.
A sabedoria da Bíblia, que se aplica a qualquer pessoa independentemente de religião, diz muito sobre isso.
O profeta Isaías diz que ‘É preciso moer o cereal para fazer pão’ (Isaías 28:24-29), e Paulo diz que ‘Semelhantemente, nenhum atleta é coroado como vencedor, se não competir de acordo com as regras’ e que o ‘lavrador que trabalha arduamente deve ser o primeiro a participar dos frutos da colheita’ (2 Timóteo 2:5,6), que ele deve trabalhar ‘na esperança de participar da colheita’ (1 Coríntios 9:10).
O mesmo Paulo ainda fala: ‘Vocês não sabem que dentre todos os que correm no estádio, apenas um ganha o prêmio? Corram de tal modo que alcancem o prêmio. Todos os que competem nos jogos se submetem a um treinamento rigoroso [...]. Sendo assim, não corro como quem corre sem alvo, e não luto como quem esmurra o ar. Mas esmurro o meu corpo e faço dele meu escravo, para que, [...] eu mesmo não venha a ser reprovado’ (1 Coríntios 9:24-27).
O que posso dizer para você é que se aprender a administrar seu tempo vai diminuir um pouco da dor e do cansaço, vai eliminar a dor e o cansaço desnecessários, mas ainda assim vai ter que suar a camisa, sentir alguma dor e algum cansaço. Mas será como o lavrador e o atleta nos jogos, que se esforçam para conquistar o que aspiram. E se movem de esperança, sabendo que irão participar da colheita. Quando colhemos, quando vencemos, somos os primeiros participantes, mas não os únicos: todo mundo em torno é impactado pela nossa vitória.
Aprenda a ter disciplina. Isso inclui a disciplina de realizar o shabat e o WDPTS. Disponíveis em meus livros e site. E não esqueça que, como dizia Renato Russo, ‘disciplina é liberdade’. Espero que se divirta na estrada!”
E espero que você que se identificou com essa leitora também siga os conselhos e se divirta na estrada. Concursos são oportunidades, abrace-as!
William Douglas é juiz federal, professor universitário, palestrante e autor de mais de 40 obras, dentre elas Como Passar em Provas e Concursos e As 25 Leis Bíblicas do Sucesso. Site: www.williamdouglas.com.br. Acompanhe-o nas redes sociais (@site_wd, @site_wd2 e William Douglas - Facebook).

Comentários

Mais Lidas