Férias: tempo de estudar ou de lazer?

Artigo de Claudia Jones.

Redação
Publicado em 03/01/2013, às 15h23

Essa época do ano nos remete a férias, viagens... É comum nesse período estarmos envolvidos com o planejamento do merecido descanso após um ano de trabalho intenso, faculdade, compromissos. No entanto, relaxar nos estudos pode significar por a perder todo o planejamento e empenho desenvolvido ao longo do ano.

Boa parte dos candidatos tem como hábito preparar um cronograma de estudos para, ao longo do ano, ser cumprido gradativamente. É assim que se costuma “profissionalizar”, como costumo dizer, o hábito de estudar: seja em um curso ou em casa, mas com organização necessária a quem pretende mesmo conquistar uma vaga no serviço público.

Um planejamento cuidadoso prevê momentos de lazer, de descanso, férias, sem dúvida. É importante “parar” em alguns momentos para conseguirmos o “combustível” necessário para dar continuidade a nossos objetivos. No entanto, esses momentos de folga não devem prejudicar tudo o que planejamos para sermos bem sucedidos no momento da prova.

Essa tem sido uma dúvida recorrente junto aos meus alunos. Não há como obrigar ninguém a usar o tempo livre das férias para se debruçar sobre livros e apostilas, até porque sabemos o quanto é difícil sonhar tanto com essa época e de repente se ver obrigado a abrir mão dela. De fato, ninguém é obrigado a nada – e nem será de bom tamanho você se sentir forçado a estudar estando seu pensamento voltado para a praia, chope com amigos, futebol, passeios... Porém, é necessário estabelecer prioridades na vida e passar em concurso público deve ser a sua meta número 1.

Imagine que, nos próximos meses, você de fato estará sem ou, no máximo, com pouco tempo disponível, mas quando ingressar na administração pública – o que, dependendo do seu mérito, exclusivamente, poderá ocorrer em breve – todos os seus esforços terão sido recompensados. Aí, com salário à altura, poderá desfrutar merecidas férias sem uma preocupação muito comum a trabalhadores da iniciativa privada: se quando retornar ainda terá mesmo o emprego garantido.

Assim, aconselho todos os candidatos a não perderem o foco, o objetivo. Ter um tempo a mais para se preparar adequadamente, mesmo no período de férias, pode ser fundamental e fazer a diferença entre você e seus concorrentes. Esse tempo pode ser aproveitado para aprofundar seus conhecimentos ou apenas tirar dúvidas, refazer exercícios, provas da mesma banca, simulados, tudo de acordo com o processo seletivo que se candidatou ou se candidatará.

Não vale a pena desperdiçar oportunidades. Imagine tudo o que deixou de lado – família, namorado(a), amigos – e faça mais esse esforço. Respire fundo e vá em frente. Aproveite o tempo disponível e se reúna com outros candidatos, monte grupos de estudo para que uns auxiliem os outros nas disciplinas com maior grau de dificuldade. Se, até agora, teve o hábito de estudar, digamos, quatro horas diárias, mantenha esse ritmo. Ainda ficarão outras 20 horas e, nelas, estando de férias, terá tempo de sobra para se divertir. Ao longo do mês, sugiro até mesmo que chegue a seis horas diárias, já que nenhum outro compromisso sério o deixará cansado.

Se você faz parte do time que ainda não se decidiu sobre garantir seu futuro prestando um concurso público, essa é a hora. Nunca é tarde para alcançar a tão sonhada estabilidade financeira. E, cá entre nós, depois não faltará dinheiro no bolso para você aproveitar merecidas férias. Pense nisso e bons estudos!

Cláudia Jones, especialista da Academia do Concurso

Comentários

Mais Lidas