Quase 5 mil vagas esperam por você!

"Como de costume, oriento candidatos que começam a estudar agora e também aqueles que já estão na estrada há algum tempo".

Redação
Publicado em 27/01/2011, às 14h45

Por Fabio Gonçalves*

O grande destaque dos últimos dias em termos de concurso público, por conta do elevado número de vagas oferecidas, foi o lançamento dos editais da Cobra Tecnologia S/A, empresa vinculada ao Banco do Brasil que trabalha com soluções em tecnologia de informação, tanto na área de criação de software e desenvolvimento de sistemas quanto na área de hardware; tecnologia de ponta. São cargos de analista administrativo (nível superior), auxiliar de operações (nível médio), técnico administrativo (nível médio) e técnico de operações (nível médio). Os salários chegam a R$ 2.994,56.

São quase 5 mil vagas - 215 imediatas e 4.798 em cadastro de reserva – que provocaram uma corrida  às salas de aula com candidatos interessados na disputa. E a cada dia mais ainda, já que pela segunda vez o número de vagas foi ampliado nos últimos dias. Sabe por quê? Porque quem trabalha na Cobra Tecnologia é um empregado público que, embora contratado sob as normas da CLT, sem histórico de demissões em massa até mesmo quando o mercado está com problemas. Ou seja: mesmo que o empregado não tenha a estabilidade garantida pelo regime estatutário, é “estável” porque não fica à mercê do vaivém característico de um emprego privado.

Como de costume, oriento candidatos que começam a estudar agora e também aqueles que já estão na estrada há algum tempo. No primeiro caso, não há outra alternativa a não ser estudar todo o conteúdo. Sendo assim, a hora é de pegar questões de provas anteriores e fazer. Desta forma você conseguirá pegar o conteúdo das questões realizadas para começar a estudá-los.

Quando você tem esse tipo de atitude passa a ter noção de todo o conteúdo que é cobrado na prova, até porque o que nunca caiu será surpresa para todos, não é mesmo? Se você já vem se preparando há algum tempo, já tem uma carga de conteúdo acumulado. Assim, vai realizar uma massa de questões muito maior e adquirir muito mais prática. Se você é o tipo de candidato que já vinha estudando, com o lançamento dos editais só vai voltar a estudar o conteúdo teórico das questões que errou. Assim, terá mais tempo para se aprofundar em conteúdos específicos que caíram nas provas anteriores. 

Vamos então ao que estudar e como estudar. Em primeiro lugar, se você disputa no nível médio, fique atento à disciplina de matemática, que vem com o conteúdo bastante extenso e relativamente complexo, e português, porque ambas valem 15% da prova. Os conhecimentos específicos valem 70% da prova, por isso devem ser a maior preocupação por parte do candidato. Esses conhecimentos específicos são formados por conceitos de contabilidade, direito administrativo, sistema tributário nacional, recursos humanos, direito do trabalho, sistema financeiro nacional, além de alguns pontos de matemática financeira. Logo, é interessante dedicar a maior parte do tempo disponível para esses conteúdos que não devem ser cobrados com uma intensidade muito grande mais são bem pulverizados.

Sugiro ao candidato que inicia os estudos agora que o faça através de um curso preparatório que mais seja adequado as suas condições. O curso vai mostrar onde focar em cada disciplina, porque não há muito tempo até a prova. Sozinho você certamente levará muito tempo para aprender o que exatamente estudar, então esse contato com o curso serve como catalizador, pois você passará a ter um conhecimento adquirido mais focado do que costuma cair em concurso publico.

Nunca vá para uma prova sem saber como a banca organizadora do processo seletivo se comporta. Neste caso, é a Empresa de Seleção Pública e Privada (www.esppconcursos.com.br). As questões são distribuídas de forma aleatória entre os itens do edital, são bastante simples, os enunciados relativamente curtos e de respostas diretas, não necessitando de uma grande capacidade de interpretação, o que acelera a resolução e o tempo passa a não ser um fator limitante da prova. É o que eu chamaria de uma “prova seca”. Em caso de dificuldade em obter questões dessa banca, pode buscas questões da Fundação Carlos Chagas e antigas da Cesgranrio que suprem essa deficiência.

Se você ainda não decidiu ter um emprego público, talvez essa seja hora. Bons estudos!

*Fabio Gonçalves é consultor e especialista em concurso público. Empresário no ramo da Educação e presidente da Abece (Academia Brasileira de Educação, Cultura e Empregabilidade) / Meta Concursos/SP e Academia do Concurso/RJ.

Veja também:

Cobra Tecnologia: nova alteração amplia número de vagas para 5.013

Concurso Cobra Tenologia: Dicas para o cargo de técnico administrativo

Comentários

Mais Lidas