Candidatos devem ficar atentos às tarefas do cargos

O ideal é que o pretendente se inscreva em um concurso onde as atribuições estão mais próximas da formação profissional ou da que pretende seguir

Redação
Publicado em 04/09/2012, às 16h01

Paulo de Freitas
Não é novidade para ninguém que concurso público é o caminho mais garantido para um emprego estável. Não é à toa que o número de pessoas interessadas em ingressar no funcionalismo público aumenta a cada dia. Ao contrário da iniciativa privada, o candidato a um cargo público não precisa comprovar experiência anterior no cargo. Basta somente ter a escolaridade exigida e condições físicas e psicológicas, dependendo da função que irá desempenhar. De resto, é só estudar com o máximo de dedicação para atingir o objetivo.
Apesar de o concurso ser uma das formas mais democráticas de ingresso no mercado de trabalho, preciso chamar a atenção para algo que pode ajudar muito o candidato na escolha para o concurso mais apropriado. Todo edital traz as atribuições dos cargos disponíveis. O candidato não deve deixar de ler atentamente estas atribuições. Através delas é possível saber exatamente o que o futuro servidor vai enfrentar em sua jornada diária de trabalho.
O ideal é que o pretendente se inscreva em um concurso que oferece cargo onde as atribuições estão mais próximas com a sua formação profissional ou a que pretende seguir. Não é incomum um candidato ser nomeado em determinado emprego público, que paga um excelente salário, mas que não lhe traz satisfação profissional. Em pouco tempo, apesar dos vencimentos atraentes, ele ficará enfadado de sua função e tende a desanimar, tornando-se um péssimo servidor público, prejudicando muito a população que necessita de seus serviços.
Candidatos que pretendem se formar em direito, por exemplo, devem optar por concursos públicos na área jurídica como os de oficial de promotoria, escrevente técnico judiciário, oficial de justiça, técnico judiciário federal, procurador, defensor público e analista judiciário federal. Nas áreas de economia e administração, o ideal é o candidato procurar concursos oferecidos pelas instituições financeiras como Banco Central, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e outros.
Por isso, meu caro candidato, a partir de agora, preste mais atenção nas atribuições dos cargos para que você tenha a certeza absoluta daquilo que quer e do que vai enfrentar no seu cotidiano profissional. Muitas vezes nós nos aborrecemos com aquilo que gostamos de fazer, imagine realizar uma tarefa que não nos agrada por anos a fio. Esse é um dos casos onde dinheiro não é tudo. Pense muito bem nisso.
Paulo de Freitas é jornalista e funcionário público. Tem mais de 14 anos de experiência na área de concursos públicos. E-mail: paulokassaco@ig.com.br.

Comentários

Mais Lidas