Que tal trabalhar na Receita Federal?

O momento é ideal para iniciar a preparação, pois foram divulgadas as autorizações da realização de concurso público para 200 vagas de auditor-fiscal e de 750 vagas para analista-tributário

Redação
Publicado em 12/06/2012, às 15h18

De Lucca

Devido ao prestígio da carreira, boas remunerações e condições de trabalho, um dos concursos mais aguardados por candidatos a área pública de todo o Brasil é o da Receita Federal. O momento é ideal para iniciar a preparação, pois foram divulgadas as autorizações da realização de concurso público para 200 vagas de auditor-fiscal e de 750 vagas para analista-tributário da Receita Federal do Brasil. As remunerações iniciais previstas são de R$ 13.600 e R$ 7.996, respectivamente. Os cargos exigem nível superior em qualquer área.

Os últimos concursos foram realizados em 2009 e organizados pela Escola de Administração Fazendária (Esaf). Tiveram várias matérias comuns e, como as provas foram aplicadas em datas diferentes, vários candidatos inscreveram-se para as duas carreiras.

A autorização atual foi publicada em 25 de maio e o prazo para a publicação do edital de abertura do concurso público será de até seis meses, contado a partir da publicação da portaria, ou seja, até o final de novembro. Mas a expectativa é que o edital seja publicado antes deste prazo, até setembro.

Assim, este é um bom momento para iniciar ou rever as matérias. Uma estratégia interessante é iniciar os estudos pelas matérias comuns aos dois concursos. Somente depois, iniciar os estudos das matérias específicas para cada carreira.

As matérias comuns aos dois editais foram: língua portuguesa, inglês (ou espanhol, a escolher pelo candidato), raciocínio lógico (além dos assuntos típicos, o conteúdo programático abordou estatística e matemática financeira), direito constitucional, direito administrativo, direito tributário, direito previdenciário, contabilidade e comércio internacional.

As matérias específicas cobradas para cada cargo foram:

Analista: direito internacional público, administração financeira e orçamentária e administração geral;

Auditor: direito civil, direito penal, direito comercial, contabilidade avançada, auditoria, administração pública, economia e finanças públicas.

Uma novidade na prova de auditor, que deverá ser mantida, foi a inclusão de duas provas discursivas (escritas). Em cada uma, o candidato teve que desenvolver um tema (mínimo de 40 e máximo de 60 linhas), e responder a duas questões (mínimo de 15 e máximo de 30 linhas) sobre as disciplinas: direito constitucional, direito administrativo, direito tributário, comércio internacional, auditoria, administração pública, economia e finanças públicas. A correção foi feita sob dois aspectos:

a) quanto à capacidade de desenvolvimento (a compreensão, o conhecimento, o desenvolvimento e a adequação da argumentação, a conexão e a pertinência, a objetividade e a sequência lógica do pensamento, o alinhamento ao tema e a cobertura dos tópicos apresentados);

b) quanto ao uso do idioma (a utilização correta do vocabulário e das normas gramaticais).

É muito importante que os interessados na carreira de auditor comecem a praticar a responder a esse tipo de questão. Inicie resolvendo as questões discursivas do último concurso. Depois, responda às questões de múltipla escolha do último concurso, das matérias que serão exigidas, como se fossem discursivas. Será um bom treino.

Bons estudos e sucesso na carreira pública.

Carlos Alberto De Lucca é professor e desde 1979 prepara candidatos para concursos públicos.  cdelucca@uol.com.br.

Comentários

Mais Lidas