TRF da 3ª Região: interessados não podem perder tempo

Em abril venceu o prazo de validade do concurso público para preenchimento de vagas para os cargos de analista e técnico judiciário do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, que compreende os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul. A expectativa

Redação
Publicado em 22/05/2012, às 15h51

Paulo de Freitas
Em abril venceu o prazo de validade do concurso público para preenchimento de vagas para os cargos de analista e técnico judiciário do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, que compreende os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul. A expectativa é de que o novo edital seja publicado nos próximos meses. É um concurso muito esperado, por isso, os interessados devem iniciar os estudos o mais breve possível porque a concorrência deve ser muito acirrada.
O interesse pelo concurso se justifica principalmente por causa dos bons salários oferecidos pela Justiça Federal. O de analista (que exige nível superior) oferece vencimentos de aproximadamente R$ 6.500. Para o cargo de técnico, que estabelece apenas o nível médio (antigo 2º grau), o salário inicial gira em torno de R$ 4.000. O último certame, realizado em 2007, foi organizado pela Fundação Carlos Chagas, que tem grandes possibilidades de realizar o próximo também já que tem sido a organizadora dos últimos concursos da Justiça Federal.
O candidato deve ficar atento ao conteúdo programático. Não se deve levar em conta o exigido no último concurso porque devem ocorrer mudanças significativas. Só para exemplificar, comparei o conteúdo programático do concurso de 2007 do TRF da 3ª com um concurso mais recente (TRF da 2ª Região, que compreende os estado do Rio de Janeiro e Espírito Santo), que está em andamento. 
Na parte de Conhecimentos Gerais, nada mudou. O exigido continua sendo português, matemática e raciocínio lógico. Já na parte dos conhecimentos específicos, além de noções de direito administrativo e direito constitucional, foram acrescentadas as matérias de noções de direito processual civil de direito processual penal. Nesse caso foi excluída a disciplina de direito penal. Por isso, uma boa pedida é estudar pelo conteúdo do concurso do Tribunal Regional Federal da 2ª Região que deve ser igual ou muito próximo do concurso que está para sair.
Ainda não se sabe qual a quantidade de vagas que será oferecida, mas quero alertar aos candidatos que essa não deve ser a preocupação no momento. Mesmo porque a Justiça Federal costuma chamar muito mais candidatos do que o número de vagas oferecido no edital de abertura do certame. No concurso de 2007, por exemplo, foram oferecidas 26 vagas de analista judiciário – área judiciária e foram convocados 107 candidatos. Para o cargo de técnico judiciário – área administrativa a diferença foi ainda maior. Neste caso, o edital previa 55 vagas, mas 230 foram chamados durante a validade do certame.
Como deu para perceber, é um concurso que vale a pena investir. Excelentes salários e quantidade de vagas razoável não aparecem todo o dia. O concurso vai exigir muito esforço e dedicação dos interessados, mas a recompensa será grande.
Paulo de Freitas é jornalista e funcionário público. Tem mais de 14 anos de experiência na área de concursos públicos. E-mail: paulokassaco@ig.com.br.

Comentários

Mais Lidas