Escolher a carreira exige informação e planejamento

Escolher uma carreira pública como profissão representa esboçar um projeto de vida, questionar valores, habilidades, o que se gosta de fazer, a qualidade de vida que se pretende ter e oferecer aos seus familiares.

Redação
Publicado em 01/06/2012, às 17h16

Marco Antonio Araujo Junior Assustados, confusos, indecisos. É assim que muitos candidatos às diversas carreiras públicas se sentem no momento de escolher sua profissão ou, em alguns casos, mudar de profissão. Aquela certeza que se tinha, desde pequeno, do que se ia ser quando crescesse não existe mais, então, surge o medo de não dar certo. E a angústia aperta mais diante do variado leque de possibilidades e alternativas de concursos públicos nas diversas esferas de Poder e regiões e dos níveis de escolaridade. 
São quase 100 mil vagas por ano. A cada dia, surgem novas ofertas de carreiras e de oportunidades de trabalho por meio da Administração Pública. O que fazer? Essa dúvida não deve ser encarada como um problema grave; a insegurança diante da escolha da carreira em busca da estabilidade profissional é um sintoma saudável e produtivo. Com várias opções disponíveis à sua frente, o indeciso tem mais chances de escolher melhor do que quem apoia sua certeza em fantasias. Por isso, recomenda-se que essa fase da vida seja enfrentada pelos concurseiros com foco e disciplina e, também, por sua família. Afinal, a decisão de se preparar para um concurso público pressupõe uma dose de risco. E esse é o primeiro grande desafio do candidato diante do novo e do desconhecido.
Novos desafios vão surgir durante a preparação, como definir a rotina de estudos, fazer ou não um curso preparatório, conciliar os momentos de lazer com a família, estabelecer uma rotina diária de exercícios físicos etc. Essa escolha pela carreira pública pode exigir adaptações para a grande guinada na vida do candidato e, por consequência, de sua família. A coragem de mudar, de sair da zona de conforto não significa fracasso nem frustração, mas sim a aceitação de desafios que a vida apresenta. 
Escolher uma carreira pública como profissão representa esboçar um projeto de vida, questionar valores, habilidades, o que se gosta de fazer, a qualidade de vida que se pretende ter e oferecer aos seus familiares. Esse momento de reflexão pode render bem mais se for compartilhado com a família. 
Um passo importante para o candidato indeciso é investigar, reunir informações sobre as carreiras e os cursos preparatórios estabelecidos. Eles se renovaram e consolidam áreas e metodologias de atuação que contribuem para o sucesso e o bom rendimento dos candidatos. 
Com tantas opções, o candidato deve ficar atento a algumas armadilhas. A primeira delas é acreditar que apenas fazer um curso preparatório vai assegurar a aprovação e o sucesso profissional. Um bom curso preparatório, aliado a um material didático adequado, somado à disciplina e foco, é o roteiro de sucesso. A aprovação depende 30% de conhecimento e 70% de atitude. Da mesma forma, decidir-se por uma carreira pública apenas porque ela confere estabilidade financeira pode ser o caminho mais rápido para o abandono da profissão. A frustração é garantida.
Quem não leva em conta sua afinidade com a carreira ao fazer uma escolha fatalmente desistirá dela. É necessário e fundamental para os candidatos que se informem a respeito e familiarizem com as carreiras de seu interesse, a fim de se certificarem da escolha. O autoconhecimento, portanto, só pode contribuir para a aprovação e permanência no cargo, exercendo sua atividade com ânimo, ética e a lisura que a investidura em um cargo público requer.
Foco no seu objetivo, disciplina, organização e persistência certamente o levarão ao caminho da aprovação. Sucesso! Marco Antonio Araujo Junior é Vice-Presidente Acadêmico do Damásio Educacional - @profmarcoant

Comentários

Mais Lidas