E você? Qual o seu motivo?

A motivação é o principal motor que empurra alguém rumo aos seus objetivos. Ninguém consegue fazer algo por muito tempo se não tiver vontade. Ninguém consegue permanecer firme em um projeto se não tiver motivo para isso.

Redação
Publicado em 06/08/2014, às 11h20

Daniel Sena


Há algum tempo tenho desenvolvido um projeto muito interessante de consultoria com alunos. Eu o nominei de “Divã com Daniel Sena”. Peço licença poética aos excelentes profissionais da área de psicologia para o uso do termo, mas ele pareceu ser bem apropriado à função que tenho desempenhado. Esse projeto visa conhecer o aluno, sua realidade, suas expectativas e auxiliá-lo ao longo da caminhada rumo à aprovação no concurso dos seus sonhos. 

Quando um aluno participa do “Divã” ele chega, geralmente, com muitas dúvidas sobre a forma de estudar, quais disciplinas priorizar, qual concurso prestar e outras relacionadas com a vida de um concurseiro. Mas a principal demanda que tenho enfrentado está ligada a motivação. A pessoa quer passar em um concurso, mas não tem vontade de percorrer o caminho para alcançar a aprovação; deseja o sucesso, mas não tem vontade de trabalhar em prol disso.

A motivação é o principal motor que empurra alguém rumo aos seus objetivos. Ninguém consegue fazer algo por muito tempo se não tiver vontade. Ninguém consegue permanecer firme em um projeto se não tiver motivo para isso. Cada aluno que entra em minha sala vem com um anseio de descobrir como manter-se sempre motivado.

As minhas perguntas são sempre as mesmas. Qual o seu motivo? Por que você estuda para concurso? Qual a razão que te faz querer tanto ser um servidor público?

As razões são as mais variadas possíveis. Alguns desejam a estabilidade de um cargo público, pois já se cansaram da insegurança da iniciativa privada. Outros buscam uma remuneração maior do que a oferecida pelo mercado privado. Há aqueles que sonham com determinada carreira, como os policiais. Geralmente, quem quer ser policial deseja a profissão (usar farda, distintivo, arma, fazer justiça, “pé na porta”) e não troca esse sonho por nenhum outro.

Quando pergunto qual motivo faz um aluno estudar para concurso, o que estou procurando é a verdadeira razão que o move em direção ao seu objetivo. Eu tento encontrar junto com ele o motivo que o fará acordar cedo e dormir tarde. Eu busco descobrir qual força é tão relevante que o fará abandonar as festas de final de semana, as viagens e o descanso, tudo isso para estudar. O que será capaz de fazê-lo estudar como nunca o fez?

Descobrir essa força motriz é algo muito mais importante do que simplesmente estudar. Se alguém começa a estudar sem motivo para isso, com o passar do tempo acaba desanimando, pois perde o sentido de ser daquela ação. 

Na maior parte das vezes, as pessoas começam a estudar para concurso por necessidade. Ou foram demitidas, ou estão cansadas das exigências da iniciativa privada, ou estão endividadas e precisam ganhar mais. A necessidade é a força motivadora mais relevante na vida de um ser humano. Quando precisamos, fazemos coisas incríveis, surpreendemo-nos com atitudes que avançam além dos nossos limites, encontramos força onde achávamos que não tínhamos. 

Essa é a minha principal tarefa: descobrir qual a necessidade do concurseiro. Uma vez detectada essa necessidade, bastará invocá-la todos os dias para que sua motivação de estudante não cesse. 

A necessidade de motivação nunca cessa. Ela é uma exigência constante e todo concurseiro que deseja passar em um concurso tem que alimentar essa força todos os dias! Não importa muito qual seja o motivo, o que importa é que haja um motivo.

Deixo aqui uma dica: ao acordar, todos os dias, lembre-se dos motivos que o fizeram escolher esse caminho. Ao longo do seu dia, repita para você mesmo o porquê de todo esse sacrifício. E a cada momento em que você pensar em desistir, relembre os motivos que o fizeram escolher essa vida. De uma coisa eu tenho certeza: com os motivos certos, você chegará onde quiser! E quando você chegar, a única sensação que restará é de que tudo valeu a pena.


Daniel Sena é diretor do AlfaCon São Paulo, professor de direito constitucional e especialista em concursos públicos.


Comentários

Mais Lidas