O 1º semestre de ano eleitoral é bom para concursos

Os dados são estatísticos: no primeiro semestre de um ano eleitoral há a divulgação de vários editais para concursos públicos. Um número maior do que a média de anos não eleitorais

Redação
Publicado em 24/10/2011, às 15h44

De Lucca
Os dados são estatísticos: no primeiro semestre de um ano eleitoral há a divulgação de vários editais para concursos públicos. Um número maior do que a média de anos não eleitorais. Alguns motivos para este fato são:
- em ano eleitoral o candidato não poderá ser empossado 3 meses antes ou 3 meses após a realização da eleição (é permitido realizar as outras fases como divulgação de editais e aplicação das provas). Assim, os órgãos públicos procuram realizar seus concursos no primeiro semestre para que os candidatos sejam empossados ainda no mesmo ano;
- os políticos gostam de ser lembrados como aqueles que realizaram concursos, contratando novos funcionários públicos. É bom para a reeleição ou para os candidatos que estiverem apoiando.Mesmo sendo eleições municipais, surgem novas oportunidades nos governos estaduais e federal. A prova deste fato é o aumento de autorizações para novos concursos, em que a maior parte deverá ocorrer no próximo semestre. Algumas destas notícias são:
Administração Federal:- A ministra do Planejamento Miriam Belchior afirmou, em 14 de setembro, que está prevista a contratação de 55 mil servidores públicos em 2012. "É um número bastante criterioso o que foi estabelecido no Orçamento do próximo ano. Não há incoerência sobre a não contratação e ajuste".
- Vera Lúcia Ribeiro de Albuquerque, representante do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), anunciou que haverá concurso de 600 vagas de auditor fiscal do trabalho em 2012. O cargo exige nível superior em qualquer área e remuneração inicial de R$ 13.600,00.
- A receita Federal também enviou pedido para a realização de concurso. Segundo o pedido, os cargos solicitados foram: técnico-administrativo (ensino médio – inicial de R$ 2.386,00), analista técnico-administrativo (ensino superior – inicial de R$ 3.225,00), analista tributário (ensino superior – inicial de R$ 7.996,00) e de auditor fiscal (ensino superior – inicial de R$ 13.600,00). 
- o Tribunal de Contas da União anunciou que deverá realizar em breve concurso para preenchimento de 70 vagas de auditor federal e controle externo (ensino superior – inicial de $ 11.187,97). Com vagas para o Distrito Federal e seis Estados da região Norte e Nordeste. 
Administrações Estaduais:Os governos estaduais também estão divulgando várias autorizações. Destaque para o governo de São Paulo que autorizou: 9.932 vagas de agente de organização escolar (ensino médio – inicial de R$ 800,00); 283 vagas na Polícia Civil (ensino médio ou superior – inicial de até R$ 5.100,00); o TRE-SP realizará concursos para 42 para técnico judiciário (nível médio) e 40 para analista judiciário nas áreas judiciária e administrativa (superior) com salários iniciais de R$ 3.993,09 para técnico e de R$ 6.551,52 para analista, acrescidos de benefícios.
Administrações MunicipaisAs administrações municipais devem anunciar diversas vagas. Destaque para a recente autorização da Prefeitura de São Paulo para 52 vagas (podendo chegar a 120) para auditor fiscal tributário da prefeitura (ensino superior – inicial de R$ 12.967,67).Portanto, a dica é estudar e rever as matérias básicas para aproveitar as próximas oportunidades.
Bons estudos e sucesso na carreira pública.
Carlos Alberto De Lucca é professor e desde 1979 prepara candidatos para concursos públicos. cdelucca@uol.com.br .

Comentários

Mais Lidas