Como saber se um concurso é confiável?

De tempos em tempos nos deparamos com alguma notícia de problemas ou até de fraude em concurso público. Por outro lado, a maior parte dos concursos transcorre normalmente, ou seja, felizmente, os concursos com problemas são exceções

Redação
Publicado em 28/06/2012, às 16h30

De Lucca

De tempos em tempos nos deparamos com alguma notícia de problemas ou até de fraude em concurso público. Por outro lado, a maior parte dos concursos transcorre normalmente, ou seja, felizmente, os concursos com problemas são exceções. Mas há como saber, antes da inscrição, se um concurso é confiável e transcorrerá de maneira honesta e organizada?  Uma boa dica é verificar qual a empresa organizadora, ou banca como alguns gostam de dizer, realizará o concurso.

Após a autorização de um concurso, o dirigente do órgão público contrata uma empresa organizadora que analisa o cargo e o perfil do candidato desejado. Toda a responsabilidade do concurso será da empresa organizadora:

• Elaboração do edital e a divulgação do concurso

• Inscrição dos candidatos


• Elaboração e aplicação das provas


• Análise de recursos

•  Correção das provas e divulgação dos resultados


Normalmente, são fundações que, inicialmente, realizavam vestibulares e, com o tempo, passaram a realizar concursos públicos.  A garantia da idoneidade do concurso é da organizadora.

De um modo geral, os órgãos públicos contratam essas empresas pela modalidade do custo zero: a organizadora assume todos os custos da organização do concurso e, em compensação, fica com todos os valores das taxas de inscrição. É um contrato de risco, pois, se os valores arrecadados com as inscrições não cobrirem os custos do concurso, a empresa organizadora fica com o prejuízo, caso contrário, fica com o lucro. Para os órgãos públicos é uma boa opção, pois realizam uma seleção de pessoal de forma legal, profissional e eficiente sem nenhum custo. Para as empresas organizadoras também é bom, pois, hoje em dia, dificilmente um concurso dá prejuízo devido ao grande interesse dos candidatos.

Um órgão público pode contratar uma empresa organizadora sem necessidade de licitação desde que a contratada detenha inquestionável reputação ético-profissional e não tenha fins lucrativos. Esta é uma das possibilidades que dão margem a eventuais fraudes: são criadas empresas organizadoras de fachada, em combinação com algum gestor público mal intencionado e manipulam o resultado do concurso.

No Brasil há mais de 200 empresas organizadoras. Algumas são fundações tradicionais que começaram organizando vestibulares para grandes universidades e depois se especializaram em concursos. Outras, mais recentes, são empresas particulares especialmente criadas para este fim. Geralmente, os concursos mais disputados ficam a cargo das organizadoras mais experientes. A seguir, algumas das organizadoras mais tradicionais na organização de concursos:

ESAF: a Escola de Administração Fazendária é um órgão do Ministério da Fazenda e foi criada em 1973. Com grande experiência no treinamento de servidores públicos também realiza concursos para diversos órgãos públicos como os de auditor e analista da Receita Federal.

Tipo de prova: geralmente, questões do tipo múltipla escolha.

Grau de dificuldade das questões: predominam questões com grau de dificuldade média e difícil

CESPE/UNB: o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos é o órgão da Universidade de Brasília encarregado de realizar os seus vestibulares. Também realiza concursos públicos além de outros projetos de avaliação e treinamento.

Tipo de prova: questões do tipo certo ou errado. Neste tipo de prova é dado um enunciado (chamado de comando da questão) e, por exemplo, 5 itens referentes a este enunciado. Então, cada item poderá estar certo ou errado independente um do outro, ou seja: 1 item certo e 4 errados, 2 itens certos e 3 errados, todos certos, todos errados e assim por diante.

Ainda, neste sistema de prova, cada item que o candidato errar anula um item que acertou. Porém, as questões que não forem respondidas não serão computadas, ou seja, o candidato não é obrigado a chutar. Outra característica deste tipo de prova é que os itens não vêm separados por matéria. Assim, para um mesmo texto dado pode-se fazer perguntas de português, matemática, atualidades ou informática. 

Grau de dificuldade: predominam questões com grau de dificuldade média, apesar de também apresentar questões fáceis e difíceis.

FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS: foi criada em 1964 com o objetivo de realizar vestibular aos candidatos às Escolas Médicas e Biológicas do Estado de São Paulo. Realiza vestibulares, concursos e avaliações de desempenho como Enade e Enem.

Tipo de prova: geralmente, questões de múltipla escolha.

Grau de dificuldade das questões: predominam questões com grau de dificuldade média e difícil.

VUNESP: a Fundação Para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista foi criada em 1979 para realizar os vestibulares da UNESP. Além deste vestibular, organiza pesquisa educacional e concursos públicos.

Tipo de prova: geralmente, questões do tipo múltipla escolha.

Grau de dificuldade: predominam questões com grau de dificuldade média, apesar de também apresentar questões fáceis e difíceis.

CESGRANRIO: a Fundação Cesgrario surgiu em 1971 para realizar o vestibular unificado de 12 instituições universitárias da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Além do vestibular, realiza treinamentos e concursos.

Tipo de prova: geralmente, questões do tipo múltipla escolha.

Grau de dificuldade: predominam questões com grau de dificuldade média, apesar de também apresentar questões fáceis e difíceis.

Portanto, antes da inscrição do concurso verifique a empresa organizadora. Se for tradicional, com muita experiência, faça sua inscrição, estude bastante e fique tranquilo. Se for uma organizadora pouco conhecida verifique no site quais concursos realizou e pesquise no Google as notícias sobre ela, bem como em sites especializados na defesa do consumidor. Uma organizadora nova, com pouca experiência também poderá realizar um bom trabalho, mas, é bom pesquisar.

Bons estudos e sucesso na carreira pública.

Carlos Alberto De Lucca é professor e desde 1979 prepara candidatos para concursos públicos. cdelucca@uol.com.br .



atualizado às 9h30 de 29 de junho de 2012

Comentários

Mais Lidas