2012 traz de volta os concursos públicos

Este ano será bem melhor do que foi 2011 para todos aqueles que sonham com uma vaga no serviço público e estão se preparando para conquistar o seu cargo

Redação
Publicado em 10/01/2012, às 15h43

Wilson Granjeiro

Para não perder o hábito, muito trabalho e diversos concursos nos esperam no novo ano. Particularmente, estou muito feliz, pois começo a ver confirmadas minhas previsões de que 2012 será bem melhor do que foi 2011 para todos aqueles que sonham com uma vaga no serviço público e estão se preparando para conquistar o seu cargo dentro em breve.

A melhor notícia, é claro, veio do Poder Legislativo, com a confirmação do concurso do Senado Federal. A publicação do edital detonou o processo, que vai culminar com a realização das provas objetivas, entre março e abril, a depender do cargo.

A principal novidade desse concurso foi a escolha da banca examinadora: a Fundação Getúlio Vargas, no lugar do Cespe, responsável pelo último certame para consultor legislativo. A opção pela FGV elimina o fantasma que costuma atormentar os concurseiros nas provas do Cespe: a anulação de uma resposta certa a cada resposta errada. Felizmente a FGV não aplica esse sistema. Contudo, a nota de corte será alta – quem não alcançar 60 pontos estará eliminado do concurso.

Segundo o edital, o concurso destina-se a preencher 246 vagas. Mas não há dúvida de que todos os aprovados acabarão sendo chamados durante o prazo de validade, como costuma ocorrer nas seleções para o Senado.

A primeira obrigação de quem decidiu participar é ler o edital atentamente, para escolha da área mais adequada ao perfil e à preparação a que tem se dedicado ou pretende se dedicar. É muito importante não se deixar levar apenas pelos ótimos salários oferecidos, que, no caso do Senado, são realmente tentadores e estão no topo dos vencimentos pagos nas carreiras públicas: R$ 13.833,64 para polícia legislativa e técnico legislativo (nível médio, 25 e 79 vagas, respectivamente), R$ 18.840,64 para analista legislativo (nível superior, 133 vagas) e R$ 23.826,57 para consultor legislativo (nível superior, nove vagas).

Mas as boas notícias não se restringem ao Legislativo federal. Outra área que vai bombar em matéria de concursos públicos é a do Judiciário. A temporada foi aberta pelo Tribunal Superior Eleitoral, com provas em fevereiro. Depois, o cronograma é o seguinte: até março, deve sair o edital para o Tribunal Superior do Trabalho (cadastro de reserva); até abril, sai o do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (número de vagas não informado); e até junho, é a vez do Supremo Tribunal Federal (107 vagas, por enquanto). Ainda no primeiro semestre, também há previsão de concurso para o Tribunal Regional doTrabalho da 10ª Região, para formação de cadastro de reserva. Já no segundo semestre, é aguardado o edital para o Superior Tribunal de Justiça, também para cadastro de reserva – a banca já foi até escolhida: será o Cespe.

E como fica a União nessa história, depois de ter bancado a durona em 2011 e suspendido concursos e nomeações para economizar R$ 50 bilhões no Orçamento? Em 2012 tudo será diferente, e não se trata de figura de retórica. A necessidade vai obrigar o governo federal a abrir dezenas de concursos ao longo do ano, alguns com milhares de vagas. É o caso do Ministério da Educação, com 12 mil vagas; do Ministério da Agricultura, com 3.204; da Defensoria Pública, com 1,5 mil para a área administrativa e 600 para defensor; da Polícia Federal, com 1,2 mil (portaria 559, de 09.12.11); da Polícia Rodoviária Federal, com 1,3 mil; e do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, com 157 vagas para analista de comércio exterior (portaria 157, de 29.12.11).

Além desses, outros órgãos e outras entidades abrirão seleções entre o primeiro e o segundo semestre. Apesar de oferecerem menos vagas, esses concursos sempre atraem muitos candidatos porque os felizes aprovados farão parte de algumas das melhores carreiras públicas brasileiras. Refiro-me ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, (149 vagas para analista de infra-estrutura, portaria 597, de 27.12.2011), ao Banco Central, à Receita Federal, à Controladoria-Geral da União, à Câmara dos Deputados e a todas as agências reguladoras (a Anatel já recebeu autorização para realizar o seu concurso que preencherá 46 vagas – portaria 600, de 28.12.11).

São tantos os concursos previstos que não dá para falar de todos neste artigo. Apenas menciono, para encerrar, o do Itamaraty, que vai selecionar centenas de diplomatas e oficiais de chancelaria, e o da Caixa Econômica Federal. Ambos estão previstos para a primeira metade do novo ano. Fora da área federal, destaco o concurso da Polícia Civil de São Paulo, com três mil vagas, e o das Polícias Militares de Goiás e do Distrito Federal, ambos com mil vagas, todos previstos também para os próximos seis meses.

Aí está, amigo leitor, um resumo do que nos aguarda nos próximos meses, no setor de concursos públicos. Agora, findas as festas e após o merecido descanso, é hora de retomar a rotina do estudo diário, se é que você deseja mesmo se tornar um servidor público este ano. Tenho certeza de que seu objetivo será alcançado. Portanto, desejo-lhe um FELIZ CARGO NOVO!

J. W. Granjeiro é Diretor-Presidentedo Gran Cursos; coordenador do Movimento pela Moralização dos Concursos - MMC. www.professorgranjeiro.com. Twitter: @jwgranjeiro.

Comentários

Mais Lidas