Concursos em outras localidades pode ser uma boa opção

Vale a pena participar de concursos em outras cidades ou estados?

Redação
Publicado em 18/10/2011, às 16h00

Paulo de Freitas
Um colega meu passou na primeira fase do concurso para o cargo de delegado da Polícia Civil de São Paulo. Enquanto ele se prepara para a segunda etapa, está pensando em participar também do concurso para o mesmo cargo na Polícia Civil de Minas Gerais, com inscrições abertas até o próximo dia 26. A dúvida dele é em ter de mudar de cidade e Estado caso seja aprovado em Minas. Os vencimentos iniciais em ambos os Estados são parecidos e há uma expectativa de aumento salarial em virtude de projetos de lei que tramitam nas respectivas Assembleias Legislativas.
Essa dúvida é uma boa oportunidade para que eu possa retomar um assunto que já abordei nesse espaço: participar de concursos em outras cidades ou estados. Outro dia recebi um e-mail de um leitor solicitando informações sobre concursos que estão para acontecer próximo ao seu município. A questão é que as boas oportunidades nem sempre estão próximas de nós. Se estabilidade e salário é o objetivo principal de quem pretende ingressar no funcionalismo público, então uma boa dica é buscar as oportunidades onde elas estão. Em muitas ocasiões elas podem estar um pouco mais distantes do que desejávamos, mas podem ser o pontapé inicial para uma carreira promissora.
Se olharmos as ofertas de concursos publicadas na versão impressa ou site do Jornal dos Concursos & Empregos, vamos encontrar uma infinidade de concursos para todos os níveis de escolaridade e com excelentes salários.  Além do concurso para o cargo de delegado em Minas Gerais, há boas oportunidades no Ministério Público do Rio de Janeiro que está com inscrições abertas para os cargos de técnico e analista. A remuneração inicial de analista é de R$ 5.143,19, com exigência de nível superior. No caso de técnico o inicial é de R$ 3.157,47 e exige-se do candidato apenas o nível médio.
Já o Banco Nacional de Desenvolvimento Social – BNDES está oferecendo vencimento inicial de R$ 8.423,86 para os cargos de nível superior (diversas áreas) e R$ 2.683,83 para os candidatos que possuem o nível médio. Nesse caso, são 270 vagas e o aprovado poderá ser lotado em unidade do BNDES localizada em qualquer outra cidade onde o órgão atue ou venha a atuar, inclusive no exterior, conforme afirma o edital de abertura.
No Nordeste do país encontramos duas boas oportunidades de concursos, ambas no Estado de Pernambuco. A primeira é para o Tribunal de Justiça, que tem oferta de 203 vagas para técnico (ensino médio) e analista (nível superior) com iniciais de R$ 2.595,39 e R$ 3.452,45, respectivamente. A segunda grande oportunidade é no Tribunal Regional Eleitoral que disponibilizou 32 vagas também para técnico e analista. Neste concurso, os vencimentos são mais generosos, com iniciais de R$ 6.611,39 para analista e R$ 4.052,96 para técnico.
No caso dos concursos do Judiciário Federal, a exemplo do TRE de Pernambuco, uma das vantagens é que o servidor pode pedir transferência para o mesmo órgão em outro Estado depois de certo período. Normalmente, exige-se, no mínimo, três anos na função para que o servidor tenha direito a esta transferência. 
Além disso, o funcionário pode optar também pela permuta com servidor de outra região. Assim, quem trabalha em Pernambuco pode trocar de local de trabalho com um funcionário lotado em São Paulo ou qualquer outro Estado da Federação. Basta que a chefia dos interessados estejam de acordo. Como a reposição de funcionário é imediata, a permuta não precisa esperar o tempo mínimo exigido. Pode acontecer a qualquer momento.
Por isso, a melhor opção para os interessados em tentar concursos em outros Estados, são os concursos do Judiciário Federal, como os Tribunais Regionais (do Trabalho, Federais e Eleitorais) e Ministério Público da União. São concursos que estão sempre acontecendo e costumam abrir vagas para analista e técnico judiciário com vencimentos iguais aos citados acima. E o melhor de tudo é que o conteúdo programático de todos estes concursos è muito semelhante. Em outras palavras, quem se prepara para um está apto para participar dos outros.
Paulo de Freitas é jornalista e funcionário público. Tem mais de 13 anos de experiência na área de concursos públicos. E-mail: paulokassaco@ig.com.br

Comentários

Mais Lidas