Concorrência em prefeituras e câmaras é bem menor

Uma boa pedida para amenizar o problema da concorrência é optar por concursos promovidos por prefeituras ou câmaras municipais

Redação
Publicado em 14/11/2011, às 15h58

Paulo de Freitas
Recentemente comentei nesse espaço uma reportagem que mostrava uma tendência dos candidatos a concursos públicos que possuem nível superior em se inscreverem em cargos que a que exigem um nível de escolaridade menor do que sua formação para escapar da concorrência. O raciocínio é simples: escolaridade menor, chances maiores de ser bem sucedido nas provas. Assim, na teoria, candidatos que possuem nível superior teriam menos dificuldade para se aprovado em concursos que exigem o ensino médio.
Na ocasião, a própria matéria mostrava que não era tão simples como se pensa porque as questões em concursos públicos estão mais complexas e a concorrência, cada vez mais acirrada, não faz dos concursos de nível médio um caminho menos árduo. Estou retomando este assunto porque estive analisando alguns concursos ocorridos recentemente e constatei algo que pode interessar muito aos candidatos de nível superior. Uma boa pedida para amenizar o problema da concorrência é optar por concursos promovidos por prefeituras ou câmaras municipais.
Para que o leitor entenda bem o que estou querendo, vou exemplificar com algumas estatísticas de inscritos em concursos ocorridos recentemente. Muitos candidatos que possuem formação em direito têm optado por disputar uma vaga de oficial de justiça e escrevente técnico judiciário do Tribunal de Justiça de São Paulo, oficial de promotoria do Ministério Público Paulista ou técnico judiciário da Justiça Federal, por exemplo.
O concurso de oficial de justiça para a capital teve 87.120 candidatos inscritos disputando as 100 vagas disponibilizadas. Em uma simples conta de matemática, constata-se que foram mais de 870 candidatos por vaga. No caso de escrevente para a Comarca de Campinas, o Tribunal de Justiça ofereceu 42 vagas e se inscreveram mais de 22.300 candidatos. Nesse caso, a concorrência ficou em torno de 530 candidatos por cada vaga ofertada.
Concluindo, a relação candidato/vaga no concurso público para oficial de promotoria do Ministério Público do Estado de São Paulo para a capital e Grande São Paulo também apontou uma concorrência de 555 candidatos por cada uma das 40 vagas oferecidas. Ou seja, 22.200 candidatos se inscreveram para este concurso. Apenas nestes três exemplos, percebemos que a relação candidato/vaga sempre foi superior a 500.
Essa concorrência cai drasticamente quando comparada com concursos para prefeituras e câmaras municipais do interior paulista. No concurso da Câmara Municipal de Itatiba, realizado no ano passado, foi oferecida uma vaga de assistente jurídico e se inscreveram apenas 97 candidatos. A prefeitura de Jaguariúna, em concurso realizado recentemente, disponibilizou duas vagas para advogado e computou 321 inscritos, o que representa em torno de 160 candidatos disputando cada vaga ofertada. Na Câmara de Louveira, 195 candidatos concorreram a uma vaga de consultor jurídico. Completando, na Câmara de Juquitiba, também foi aberto concurso para uma vaga de assistente jurídico, que foram disputadas por apenas 36 candidatos.
Como deu para perceber, apesar da pequena oferta de vagas, a concorrência é infinitamente inferior aos principais concursos de nível médio. Outra vantagem de se optar pelos certames de prefeituras e câmaras municipais é que os vencimentos são iguais ou superiores aos oferecidos pelos cargos de escrevente técnico judiciário, oficial de promotoria ou técnico judiciário da Justiça Federal. Além disso, em muitos casos, os concursos de prefeituras e câmaras oferecem cargas horárias de trabalho menores. Na Câmara de Juquitiba, o vencimento inicial é de R$ 3.435 para uma carga horária de 30 horas semanais. Em Louveira, os vencimentos são de R$ 4.200 para uma carga horária de 20 horas semanais.
Os exemplos apontados acima se restringem apenas às ofertas de concursos para quem possui nível superior em direito, mas há diversas oportunidades também para profissionais de outras áreas como contador, arquiteto, jornalista e engenheiro. A opção por este tipo de concurso em detrimento dos certames para nível médio pode ser vantajoso em pelos menos dois aspectos: o candidato terá menor concorrência e vai trabalhar na área em que se formou. Sem falar nos vencimentos que não deixam de ser bem atraentes.
Minha dica para você, meu caro leitor, é que comece a dar maior atenção a esses concursos. Atualmente, há duas boas opções de certames com inscrições abertas. A primeira é para Câmara Municipal de Guarulhos, localizada na Grande São Paulo e a outra para a Prefeitura de Joanópolis, no Interior Paulista. Ambos oferecem vagas para procurador jurídico (bacharéis em direito) e muitos outros cargos com salários atraentes. Não deixe escapar oportunidades como estas.        Paulo de Freitas é jornalista e funcionário público. Tem mais de 13 anos de experiência na área de concursos públicos. E-mail: paulokassaco@ig.com.br

Comentários

Mais Lidas