Em concurso todo o esforço terá a sua recompensa

Uma boa pedida é visualizar as vantagens que serão usufruídas no cargo público, como bons salários e a estabilidade no emprego

Redação
Publicado em 19/01/2012, às 09h46

Paulo de Freitas

No último dia do ano passado eu resolvi fazer algo que há algum tempo eu não fazia: participar da Corrida de São Silvestre. Eu fiz a inscrição em novembro, mas uns dois meses antes eu já havia entrado em um processo de preparação para que pudesse estar apto. Comecei a treinar diariamente, procurei dar uma atenção maior à alimentação e realizar atividades físicas que proporcionassem maior resistência ao organismo.

Não é fácil treinar todos os dias. Às vezes dá preguiça, de vez em quando aparecem outros compromissos. Não raro pintava um desânimo porque eu treinava sozinho, sem ninguém ao lado para apoiar.

Um dia antes da corrida, no dia 30 de dezembro, choveu muito. Essa chuva se prolongou até a manhã da competição. Eu já estava pensando em desistir, porque moro no interior do Estado e teria de me deslocar até a capital para correr e voltar a tempo de participar da ceia com a família. Resumindo, a chuva deu uma trégua e eu fui até São Paulo.

Até dez minutos antes da corrida o tempo estava agradável, sem chuva. Bastou o locutor anunciar a largada e os pingos começaram a cair, se intensificando cada vez mais. Tivemos de correr todo o percurso embaixo de uma chuva tão forte que, às vezes, ficava até difícil enxergar os adversários que corriam à frente. Se não bastasse a chuva, o percurso foi modificado e foram incluídas muitas subidas e descidas, além das que já existiam.

Meu principal objetivo era chegar até o final da corrida bem fisicamente. Apesar de todas as dificuldades, eu consegui meu intento. O prêmio foi uma medalha de participação que vai me fazer lembrar que valeu a pena todo o esforço.

Minha intenção em contar essa experiência é mostrar a semelhança entre um cidadão comum que participa de um evento esportivo como a Corrida de São Silvestre e os candidatos a concursos públicos. A primeira coisa em comum é a preparação. O candidato a concurso deve proceder da mesma forma. Não se deve esperar a publicação do edital para dar início aos estudos.

Outro ponto importante é manter-se motivado, independentemente do que aconteça. Assim como na preparação para uma corrida, vai pintar o desânimo, a preguiça e o sono, além de diversos obstáculos que podem fazer com que o candidato perca o foco. Uma boa pedida é visualizar as vantagens que serão usufruídas no cargo público, como bons salários e a estabilidade no emprego.

A vantagem que o candidato de concurso público leva em relação a um corredor amador é que ele não precisa ser o primeiro colocado para levar o prêmio máximo. Basta que chegue entre os classificados dentro do número de vagas ofertadas no edital. Nas competições, todos lembram apenas do primeiro colocado. Nos concursos públicos, até quem conseguiu a última vaga recebe o reconhecimento.

Paulo de Freitas é jornalista e funcionário público. Tem mais de 13 anos de experiência na área de concursos públicos. E-mail: paulokassaco@ig.com.br.

Comentários

Mais Lidas