Resolver provas anteriores é muito útil na preparação

Para os estudantes solitários, uma das maneiras mais eficazes na preparação para concursos é a resolução exaustiva de exercícios. A melhor forma de se fixar a matéria é escrevendo e resolvendo exercícios

Redação
Publicado em 20/08/2012, às 14h36

Paulo de Freitas


Nos últimos dias recebi uma série de e-mails de leitores questionando se há possibilidade de uma pessoa ser bem sucedida em concurso público estudando sozinho, sem a ajuda de um cursinho preparatório ou de alguém para auxiliá-lo nas frequentes dúvidas que surgem durante a preparação. Estudar sem ajuda é uma tarefa árdua porque o esforço deve ser redobrado para que o desânimo não tome conta. É claro que o ideal seria se matricular em um curso preparatório, mas nem sempre as condições financeiras são favoráveis.


Acredito que para os concursos que exigem o ensino fundamental ou médio, é possível obter êxito estudando sozinho, com ajuda de livros e apostilas. Para os certames que exigem nível superior a situação é um pouco mais complicada, mas também não é impossível de se conseguir sucesso. Vai depender muito do esforço e dedicação empreendidos pelo candidato. Tem de haver comprometimento total do interessado para compensar a falta de um auxílio profissional na preparação. Conheço muitas pessoas que foram aprovadas estudando sozinhas, mas também conheço outras que só conseguiram chegar lá após frequentar cursos especializados.


Para os estudantes solitários, uma das maneiras mais eficazes na preparação para concursos é a resolução exaustiva de exercícios. A melhor forma de se fixar a matéria é escrevendo e resolvendo exercícios. Não basta ler freneticamente diversos livros e apostilas sobre determinada matéria exigida no conteúdo programático. O ideal é resolver as questões relacionadas ao programa do concurso.

No caso de português, por exemplo, não adianta muita coisa ler diversas vezes as regras da crase se não houver, na sequência, uma bateria de resolução de testes sobre o assunto. O mesmo acontece com matemática. Ficamos muito preocupados em memorizar a fórmula e não investimos na resolução de problemas que exigem o conhecimento dessas mesmas fórmulas. Lembre-se que estamos em época de Jogos Olímpicos. Nenhum atleta chega com condições de ganhar se não tiver se preparado adequadamente nos treinos que antecedem a competição.


A grande dica para que está se preparando para concursos é resolver as provas de certames anteriores. Não é novidade que cada empresa organizadora de concurso tem um estilo próprio de elaborar suas provas. Muitos candidatos têm um ótimo desempenho com o tipo de prova da Fundação Vunesp, mas não conseguem o mesmo desempenho nos concursos organizados pela Fundação Carlos Chagas ou de outra empresa, por exemplo.


Para que o candidato tenha condições de analisar os diversos tipos de provas, o ideal é resolver os exercícios de concursos anteriores elaborados pelo maior número possível de empresas organizadoras. Com a internet, não é difícil de se adquirir provas realizadas. Algumas organizadoras mantêm em suas páginas eletrônicas links que remetem a provas aplicadas em concursos anteriores.


O Jornal dos Concursos & Empregos também mantém em seu site um arquivo com uma infinidade de provas realizadas nos últimos concursos. Escrevente técnico judiciário do Tribunal de Justiça de São Paulo, técnico e analista dos tribunais federais, auxiliar e oficial de promotoria do Ministério Público do Estado de São Paulo são alguns exemplos de provas que podem ser encontradas no site do JC&E (www.jcconcursos.com.br).


Se você é um candidato que estuda sozinho, não perca essa oportunidade. Adquira esse material o quanto antes e comece a estudar o mais rápido possível. Com dedicação e muito treinamento na resolução dos exercícios você tem plenas condições de alcançar seu objetivo.

           

Paulo de Freitas é jornalista e funcionário público. Tem mais de 14 anos de experiência na área de concursos públicos. E-mail: paulokassaco@ig.com.br.

Comentários

Mais Lidas