Tipos de provas: características e peculiaridades

Cada banca organizadora possui seu estilo próprio de prova, mas antes discutir essas características específicas, é necessário saber o básico sobre a realização dos diferentes tipos de provas

Redação
Publicado em 27/04/2012, às 16h28

William Douglas
Cada banca organizadora possui seu estilo próprio de prova, mas antes discutir essas características específicas, é necessário saber o básico sobre a realização dos diferentes tipos de provas, que são, basicamente, quatro: objetivas de múltipla escolha; dissertativas; de esforço; e orais.
• Tipo 1: múltipla escolhaO que é? Muito utilizado nas primeiras fases dos concursos, seleciona os candidatos que têm nível de conhecimento semelhante, tornando a disputa, na segunda fase, mais equilibrada. Na maioria dos casos, aborda os aspectos mais relevantes dos assuntos, sem se aprofundar muito.
Como fazer? Assim que receber a prova, passe os olhos nas páginas, leia perguntas sem se preocupar com as respostas. Essa vista inicial é para saber o tamanho das questões, assuntos abordados, quais são as matérias e sua disposição na prova, quais são as questões que você tem mais ou menos afinidade. Contudo, não faça deste um momento de desespero informando ao seu cérebro se você sabe ou não aquele assunto, isso só gera ansiedade e dá margem ao “branco”.A seguir, comece a resolver as questões. Recomendo separar a prova por matéria e fazer primeiro as que você domina, aquelas que você estudou mais, que você já apontou na primeira leitura. Este deve ser seu ponto de partida para a realização da prova, esses são seus pontos garantidos. Após feitas todas, retome para as que tem dúvida. Releia e revise por uma última vez. Reserve um tempo razoável para a marcação do cartão de respostas.
• Tipo 2: dissertativasO que é? Normalmente, são as provas específicas dos concursos. É a hora de o candidato mostrar tudo que sabe da matéria e de como expressá-la. É hora de escrever atentando para a objetividade. Não encha de devaneios suas respostas, vá direto ao ponto. O texto, tendo ele um ou cinco parágrafos, deve ter início, desenvolvimento e conclusão, e sustentar o seu argumento. Cuide para tampouco ser telegráfico, sua prova não é twitter.
Como fazer? Para não se perder, anote os tópicos referentes a cada uma de suas respostas na folha de rascunho ou ao lado da questão. Organize-os logicamente. Faça um roteiro da resposta. Controle bem o espaço; o que importa é respeitar o direcionamento. Assim, se a questão pede cinco linhas, não passe das cinco linhas.
• Tipo 3: prova de esforçoO que é? Consiste no teste de aptidão física do candidato a cargos que exigem algum tipo de condicionamento físico, como de instituições de segurança (polícias e empresas de segurança privada) e de limpeza (garis). Ao contrário do que muitos acreditam, é uma das que mais reprova, pois o candidato deixa para “prestar atenção” nela após ser aprovados nas fases intelectuais. 
Como fazer? Comece a treinar junto com o estudo das demais matérias, separe sempre um tempo para os exercícios, que, além de prepará-lo para esta etapa vão auxiliar na sua concentração e na sua qualidade de estudo. No meu site www.williamdouglas.com.br dou algumas dicas (WDPTS).A prova, em si, consiste em três testes: barra fixa dinâmica para homens (no mínimo três repetições) e estática para mulheres (no mínimo 12 segundos de suspensão); flexão abdominal (32 repetições por minuto para homens e 20 para mulheres); corrida de 12 minutos (2.400 metros para homens e 1.800 metros para mulheres). É uma etapa eliminatória e, uma vez aprovado o candidato, o resultado nela obtido não constitui diferencial para a nota final do certame.
• Tipo 4: prova oralO que é? Este tipo é bem específico de provas jurídicas, mas seus ensinamentos podem ser aplicados a entrevistas e para falar em público de forma geral. São provas que, mais do que avaliar o conteúdo, medem como você o apresenta. Essencialmente, é uma avaliação de sua postura e de sua segurança ao falar.
Como fazer? Preste muita atenção às perguntas; é essencial que você responda ao que foi proposto. Responda de modo simples e claro; a projeção de voz é importante. Não tente enrolar o examinador. Caso você não saiba especificamente um assunto, fale sobre os conceitos básicos que norteiam seus princípios.A prova não é corrida de 100m, fale com calma e pausadamente. Utilize bem o seu tempo. Se você não entendeu ou quer um pouco mais de tempo para formular sua resposta peça, educadamente, para a banca repetir a pergunta e jamais encerre sua fala com a frase: “Era tudo o que eu tinha a dizer”. Além de diminuir sua exposição, ela demonstra insegurança.
• Tipo 5: Bônus – provas práticasO que é? É o famoso teste de habilidades específicas que alguns concursos exigem para avaliar o conhecimento da prática profissional do candidato. É comum em concursos de desenhista, arquitetura, taxidermia e afins. Só são convocados para esta fase os aprovados na prova objetiva e há, normalmente, a figura da nota de corte.
Como fazer? Para esta prova, leve todos os instrumentos especificados no edital, mesmo que não vá usá-los ou que com eles não tenha muita prática ou identificação. Lembre-se que não poderá pedir nada emprestado na hora da prova e é sempre bom estar prevenido para qualquer eventualidade. Faça-a com calma para não perder pontos por besteiras, são práticas com as quais, normalmente, o concurseiro já está acostumado e as falhas vêm, justamente, da ansiedade e nervosismo.Estabelecidos os tipos de prova, mãos à obra! Faça exercícios de todos os tipos e treine seus conhecimentos. Uma boa sugestão é usar colegas ou sua família como examinadores, treinando para sua banca e ativando seus conhecimentos. 
William Douglas é juiz federal, professor universitário, autor de mais de 20 obras e expert em Concursos Públicos (passou em 9 concursos, sendo 5 em primeiro lugar). www.williamdouglas.com.br

Comentários

Mais Lidas