Fique atento ao salário inicial oferecido no edital

Uma forma de se saber efetivamente quanto é o salário líquido de determinado cargo é consultar alguém que já exerce a mesma função ou o sindicato da categoria. Assim, é possível ficar ciente de todos os descontos e acréscimos salariais.

Redação
Publicado em 09/05/2012, às 15h24

Paulo de Freitas
Uma das grandes dúvidas dos candidatos a concursos públicos é em relação ao salário inicial oferecido no edital de abertura do certame. Alguns leitores me escrevem solicitando informações sobre esse assunto. A maioria quer saber se o valor que consta do edital de abertura é o que efetivamente vem para o bolso do servidor. 
Antes de falarmos sobre essa questão, quero informar ao leitor a diferença entre salário, remuneração e vencimentos. Na verdade salário e vencimento são praticamente a mesma coisa. Os dois representam o pagamento efetuado pelo empregador (em nosso caso, o órgão público) pelos serviços prestados. Já remuneração é o salário com todos os acréscimos, como auxílio-refeição, auxílio-transporte, auxílio-saúde e gratificações. Cientes desta diferença, podemos ter uma ideia de quanto um servidor irá receber efetivamente.
Em primeiro lugar, devemos levar em conta os descontos. O principal deles é o do Imposto de Renda. A "mordida do leão" varia de acordo com o salário do trabalhador. Segundo tabela da Receita Federal, quem recebe salário de até R$ 1.566,61 está isento do pagamento do imposto. Servidores que têm salários entre R$ 1.566,62 a R$ 2.347,85 sofrem desconto de 7,5%.  Os que recebem de R$ 2.347,86 até R$ 3.130,51 terão alíquota de 15% de desconto na folha. Para ganhos entre R$ 3.130,52 até R$ 3.911,63 a porcentagem de desconto é de 22,5% e os que ganham acima de R$ 3.911,63 têm descontado 27,5% de imposto. 
Com certeza, dependendo do salário estipulado, a "mordida" pode ser dolorida. No entanto, é importante o leitor saber que, em alguns casos, os descontos acabam sendo compensados pelas gratificações e auxílios concedidos pelo órgão empregador. Assim, o funcionário público pode recuperar parte do que foi descontado e o que vai efetivamente para o bolso não se distancia muito do inicial oferecido no edital de abertura do concurso. 
Um bom exemplo dessa situação são os concursos do Judiciário Federal. Como os salários oferecidos variam de R$ 4.050 (técnico) a R$ 6.600 (analista) a parcela abocanhada pelo leão podem chegar ao patamar máximo de 27,5%. No entanto, os adicionais, principalmente o auxílio-alimentação, acabam amenizando esse desconto. Atualmente, o auxílio-alimentação dos funcionários da Justiça Federal é de R$ 710,00, que são depositados na conta do servidor. 
Uma forma de se saber efetivamente quanto é o salário líquido de determinado cargo é consultar alguém que já exerce a mesma função ou o sindicato da categoria. Procedendo desta forma, é possível ficar ciente de todos os descontos e acréscimos salariais. Assim, o candidato poderá ter a certeza absoluta de quanto vai receber e terá condições de decidir se compensa ou não participar do concurso que oferece o cargo em questão.
Paulo de Freitas é jornalista e funcionário público. Tem mais de 14 anos de experiência na área de concursos públicos. E-mail: paulokassaco@ig.com.br.

Comentários

Mais Lidas