Confira dicas para os concursos da Polícia Civil de SP

Entenda a tipologia textual, tema muito discutido que poderá fazer parte das próximas provas da instituição

Redação
Publicado em 11/01/2012, às 11h28

Sandra Ceraldi Carrasco

A professora Sandra Ceraldi Carrasco orienta os candidatos sobre a tipologia textual, tema muito discutido que poderá fazer parte das próximas provas da Polícia Civil de São Paulo.

Os textos na Língua Portuguesa podem ser narrativos, descritivos e dissertativos, veja suas diferenças:

Narração

Narração é o relato de acontecimentos, reais ou fictícios, com a participação de personagens cuja ação é contada por um narrador. São cinco os elementos básicos da narrativa: narrador, personagens, ação, tempo e espaço.

*Narrador é aquele que conta a história e responde pela organização dos textos;

*Personagem é um ser criado para um texto narrativo. Pode ser uma pessoa, animal, sentimento ou objeto personificado;

*Espaço é o lugar onde a narrativa ocorre;

*Tempo na narrativa corresponde à duração da ação e pode ser cronológico ou psicológico;

*Ação (enredo) é tudo aquilo que os personagens fazem na narrativa (ações e acontecimento), incluindo suas falas e pensamentos.

Há dois tipos de foco narrativo:

*Narração em 1.ª pessoa (eu, nós) quando o narrador participa dos fatos.

*Narração em 3.ª pessoa (ele, ela, eles, elas), em que o narrador observa os fatos de fora da história.

Quanto à objetividade e subjetividade:

*Narração objetiva constitui o relato de fatos de maneira impessoal. Geralmente é feita em terceira pessoa;

*Narração subjetiva é aquela na qual o narrador se envolve emocionalmente com os fatos. Pode ser escrita na 1.ª ou na 3.ª pessoa.

Descrição

Descrição é a caracterização de uma pessoa, objeto, ambiente ou paisagem. Representa um retrato verbal, de vista de um observador. Na descrição de uma pessoa há dois aspectos fundamentais a serem observados: as características físicas (aparência externa) e as psicológicas (modo de agir ou ser).

*Descrição objetiva é aquela em que o observador é impessoal, neutro, e não interfere emocionalmente no que descreve, pois se mantém fora de cena. Normalmente aparece em textos não literários, que tenham o objetivo de informar o leitor.

*Descrição subjetiva é aquela em que o observador interfere claramente e de modo pessoal naquilo que descreve, oferecendo um ponto de vista bem particular; costuma ser escrita em 1.ª pessoa e se encontra, em geral, nos textos literários.

Dissertação

A dissertação é uma exposição, discussão ou interpretação de uma determinada ideia. Pressupõe um exame crítico do assunto, lógica, raciocínio, clareza, coerência, objetividade na exposição, um planejamento de trabalho e uma habilidade de expressão.

Alguns pontos essenciais devem ser observados, pois toda dissertação é uma demonstração, por isso há necessidade de pleno domínio do assunto e habilidade de argumentação. A coerência é tida como regra de ouro da dissertação e se impõem sempre o raciocínio lógico no texto. A linguagem deve ser objetiva, denotativa; qualquer ambiguidade pode ser um ponto vulnerável na demonstração do que se quer expor. Deve ser clara, precisa, natural, original, nobre, correta gramaticalmente. O discurso deve ser impessoal.

Até o próximo encontro!

Professora Sandra Ceraldi Carrasco, consultora e especialista em Língua Portuguesa, autora de livros e periódicos na área. Há mais de 20 anos ministra cursos e palestras, com índice recorde de aprovação. Seu mais recente trabalho aborda de forma prática o Acordo Ortográfico. Atualmente é coordenadora do curso preparatório IPA. Contato: professora.sandracarrasco@uol.com.br.

Comentários

Mais Lidas