Até quando esperar?

“Talvez o seu objetivo esteja longe, demore anos, mas o que é melhor: alcançar em dez anos ou nunca alcançar?”. Uma reflexão como essa se aplica a todas as áreas da nossa vida

Daniel Sena
Publicado em 20/01/2016, às 11h59

Estava lendo o livro Jovens Falcões do grande Edu Lyra quando me deparei, em uma das entrevistas do livro, com um trecho que inquietou minha alma, o qual compartilharei aqui com vocês: “Talvez o seu objetivo esteja longe, demore anos, mas o que é melhor: alcançar em dez anos ou nunca alcançar?”.
O que achou dessa reflexão? O que achou desta pergunta? Não existe nada de novo aqui. É uma indagação que talvez você já tenha se feito várias vezes, mas mesmo tendo feito várias vezes, quando li, o efeito foi como se eu estivesse fazendo-a pela primeira vez. Deve ser porque a motivação para lutar pelos nossos objetivos precise ser renovada todos os dias. 
O interessante é que essa reflexão se aplica a todas as áreas da nossa vida. Você pode pensar nisso enquanto estuda para concurso público, como pode usar na busca pelo amor da sua vida. 
O engraçado é que lembro da minha infância, quando meu pai falava que as melhores coisas da vida não acontecem do dia para a noite. Elas são batalhadas, raladas, construídas. Você tem que suar para conseguir. 
Na teoria, essa ideia de ter paciência e perseverança é muito bonita, o problema é colocá-las em prática. Ter paciência é saber esperar o tempo da vitória. Ter perseverança é lutar até conseguir. Sem esses dois valores você não conquistará nada na sua vida.
O pior mesmo é conseguir nos dias de hoje pensar desta forma. Somos uma sociedade imediatista. Somos uma sociedade do agora. Você aperta o botão e tudo acontece. Tudo é muito rápido e, com o passar do tempo, vamos desaprendendo a arte de esperar.  Esperar gera ansiedade. Esperar dá agonia. Esperar nos deixa nervosos. Sentimos como se não fôssemos a bola da vez. Sentimos como se aquilo não nos pertencesse. Esperar antagoniza nosso poder de fazer as coisas acontecer em frações de segundos. Um grande desafio para a sociedade moderna.
O problema é que em algumas situações não tem como fugir, tem que saber esperar. Por exemplo, na última semana fui correr com nossos alunos que estudam para concursos policiais. Uma parte do grupo que já treinava há mais tempo disparou na frente, enquanto um outro grupo foi um pouco mais devagar e uma aluna que estava iniciando seus treinos corria lá no final. Como meu papel ali é motivá-los para o treino, fui acompanhando essa aluna. Ela corria uns 200 metros e se cansava. Corria mais um pouco e parecia que ia enfartar. Enquanto ela corria eu conversava com ela sobre a necessidade de treinar para o teste físico com antecedência. Ao invés de ela se concentrar na sua preparação, ela olhava para os outros alunos que estavam lá na frente e se sentia angustiada. Dizia que não conseguiria alcançá-los. 
O que na verdade ela queria era acompanhar aqueles alunos que já treinavam há mais tempo. O que desesperava ela era o fato de não conseguir correr da mesma forma que os outros. O que acontecia com ela naquele momento, acontece conosco todos os dias, em várias situações. Queremos ficar ricos sem precisar esperar muito tempo. Queremos emagrecer sem esperar muito tempo. Queremos passar no concurso sem esperar muito tempo.
Às vezes, quando olhamos para outras pessoas que já conquistaram o que nós desejamos ficamos completamente cegos quanto ao caminho que percorreram até chegarem ali. Só vemos o resultado. Mas a realidade da vida prova que não existe resultado sem luta, sem dedicação, sem disciplina, sem força de vontade.
Quando iniciamos qualquer projeto, precisamos ter a noção clara que no início não tem como correr como alguém que já começou antes de você. Não tem como tirar a mesma nota da prova de alguém que já estuda há mais tempo. No início começamos do zero e vamos subindo na escada da evolução à medida que nos preparamos, temos paciência e perseveramos.
O camarada que no começo quer ter o desempenho de quem já está na caminhada há mais tempo acaba ficando frustrado porque não conseguirá alcançá-lo. É preciso respeitar a sua condição de iniciante. É preciso compreender suas limitações e trabalhar para diminui-las a cada dia.
A paciência deve ser a sua virtude alimentada todos os dias. A perseverança deve ser seu motor durante a caminhada. Porque se não for assim, você não chegará. Ou você entende isso, ou será um eterno frustrado por não ter conquistado as coisas que queria.
Portanto, todas as vezes que pensar se vale a pena esperar, lembre-se da pergunta do início desta reflexão, sobre o que é melhor: alcançar em dez anos ou nunca alcançar?
Daniel Sena, coordenador do Focus Concursos, professor de direito constitucional e especialista em concursos públicos. Facebook: /ProfDanielSena. Twitter: @ProfDanielSena. YouTube: ProfDanielSena.

Comentários

Mais Lidas