BB e CEF: órgãos optam por formação de CR

Milhares de pessoas almejam alcançar uma vaga na área pública, principalmente nas instituições bancárias.

Redação
Publicado em 12/03/2010, às 15h56

Milhares de pessoas almejam alcançar uma vaga na área pública, principalmente nas instituições bancárias. Recentemente, os concurseiros que aguardavam novidades foram surpreendidos com os editais do Banco do Brasil para o cargo de escriturário e da Caixa Econômica Federal para técnicos bancários. Os processos seletivos serão para formação de cadastro reserva (CR) e exigem o nível médio dos candidatos. Pensando nisso, o JC&E conversou com especialistas em concursos para saber se vale a pena investir nestas seleções. Confira!

Vantagens – De acordo com o professor e coordenador de cursinhos especializados em concursos, Sylvio Motta, a grande vantagem em prestar processos seletivos destinados a formação de cadastro reserva é que geralmente as questões das provas são mais fáceis  do que aqueles de provimento imediato. Além do mais, os candidatos podem testar seus conhecimentos. “Se o candidato for classificado dentro do número de vagas, ainda funciona como título em concursos que exigem titulação dos candidatos”, afirma.

Os bancos costumam convocar todos os classificados e os candidatos poderão estudar para as duas seleções ao mesmo tempo, uma vez que não existem diferenças acentuadas entre os dois conteúdos programáticos. Para o professor Carlos Alberto de Lucca, existe um núcleo comum de matérias, o que facilita aquele que pretende prestar as duas provas. “De acordo com os últimos concursos, há pequenas diferenças nas disciplinas de conhecimentos bancários e atendimento. Assim, na maior parte das matérias, se preparando para um concurso o candidato está se preparando para o outro”, relata De Lucca.

Dicas de estudos – Sylvio Motta destaca que é muito importante focar as questões no estilo da organizadora e realizar provas de seleções anteriores para treinar. Todo o conteúdo programático deve ser analisado de forma meticulosa e profissional. “Para ser aprovado é preciso organização. Monte um quadro de horários e seja fiel a ele”, resume.

De Lucca acredita que, para o concurso do Banco do Brasil, o candidato deverá dedicar mais seu tempo conforme o total de pontos que poderá ser obtido com cada disciplina e estudar mais as matérias com maior pontuação possível. “Quem vai prestar o concurso do BB deverá dedicar maior tempo de estudos para conhecimentos bancários e atendimento, porém, não deve deixar de estudar as outras matérias”.

Nas disciplinas que requerem muita memorização, o professor sugere que os candidatos façam resumos, elaborem perguntas sobre a disciplina e estudem diariamente estes resumos ou respondam às questões. Uma dica importante também é gravar as perguntas e ouvir diariamente para fixar o conteúdo. Para as matérias que exigem mais entendimento como matemática, raciocínio lógico e português torna-se um diferencial praticar bastantes exercícios, principalmente de provas anteriores.

Já o diretor pedagógico da Academia do Concurso, Paulo Estrella, alerta os candidatos para o tipo de prova aplicado pelo Cespe/UnB. “As questões são de múltipla escolha com cinco itens cada. O candidato não perde ponto caso marque errado a questão, cada questão marcada certa conta um ponto positivo na nota”, explica. A prova é dividida em conhecimentos específicos e básicos e o candidato não pode zerar nenhuma das duas partes, ou seja, se o candidato zerar uma disciplina não será desclassificado. “Obviamente não é bom negócio o candidato zerar uma disciplina, mas dá um pouco mais de segurança para o candidato que inicia os estudos agora”, afirma.

De acordo com o diretor, nesse novo edital uma nova disciplina foi acrescida no conteúdo de conhecimentos básicos: a legislação específica vem com um pequeno conteúdo de direito do trabalho (FGTS e PIS além de alguns itens de direito administrativo/constitucional com os princípios constitucionais da administração pública). Já no caso de informática foi introduzido o conteúdo de LINUX.

Concorrência - A concorrência promete ser acirrada, já que estes concursos atrairão muitos candidatos, pois, além de uma boa remuneração, benefícios, jornada de 6h diárias, o candidato poderá ter um grande plano de carreira, podendo alcançar altos cargos com concursos internos. De Lucca afirma que os candidatos não devem se impressionar com o número de inscritos. “Estude e faça o concurso pensando em obter uma nota mínima, como se fosse uma prova do colégio ou faculdade. De um modo geral, o candidato que obter 80% de acertos em um concurso está disputando uma vaga. Procure obter esta média de acertos durante os seus estudos”, declara.

Samantha Cerquetani

Veja também:

Caixa Econômica Federal: saíram editais com salários de até R$ 6.571

Banco do Brasil: inscrições abertas para vagas de escriturário

Comentários

Mais Lidas