Como conciliar família e estudos?

A coach e agente fiscal de rendas Gabriela Lubies dá dicas para quem quer se preparar para concursos públicos sem deixar de lado os pais, marido, filhos etc.

Gabriela Lubies
Publicado em 24/01/2017, às 10h12

Essa parte acho que posso falar com propriedade de causa, afinal, estudei para concurso com a “trupe” completa: marido, dois filhos (sendo um ainda bebê), cachorro, trabalho… ufa! De fato, pode assustar, dar uma insegurança, mas estou aqui para mostrar que é possível e, principalmente, para dar algumas dicas que podem auxiliar você que está nessa situação.
Primeiramente quero apresentar aquilo que pode ser o seu trunfo nessa situação, algo que você tem e que pode ser o seu grande diferencial, até levá-lo a sua aprovação: seu(s) filho(s)! Sim, se por um lado você não tem o tempo que alguém sem filhos tem para estudar, você tem uma motivação maior, que talvez eles não tenham, que é ter alguém por quem lutar! A sua aprovação não será apenas por você, mas sim por ele(s)! É para dar uma vida melhor à sua família que estará lutando!
Cada vez que o desânimo bater e a insegurança “pintar”, lembre-se de que tem alguém que “depende” do seu resultado e que terá uma vida melhor com seu êxito.
Dito isso, vamos à parte de como conciliar os estudos com a sua família. Acho que temos que separar a sua preparação em dois momentos: treino e jogo! Como treino, vou considerar a época de preparação em que não temos o edital ainda lançado e, como jogo, quando já estamos na iminência de seu lançamento ou quando ele de fato é publicado.

Durante o “treino”

Nessa fase é importante montar seu plano de estudos dedicando tempo para sua família, para estar com seus filhos.
Se você tem bastante tempo para estudar durante a semana, reserve tempo “livre” para a sua família nos seus finais de semana. Caso não tenha muito tempo durante a semana, tente estudar pelo menos um período aos finais de semana, como, por exemplo, aos sábados pela manhã.
Acredito que, quanto menos tempo temos, mais produtivo é (ou pelo menos deve ser) o nosso estudo e o que de fato nos leva à aprovação é a qualidade e a intensidade dele.
Para quem tem filhos pequenos, imagino o quanto deve ser difícil deixá-los, privar-se da companhia deles e ir estudar. Eu sofri muito com isso e tracei algumas estratégias para conseguir dividir meu tempo. Meus filhos ficavam o dia todo no berçário, pegava-os no fim do dia para levar para casa. Quando estava com eles, meu tempo era só deles, então tinha umas duas horas à noite em que ficávamos juntos e curtia os baixinhos para valer. Colocava-os para dormir cedo e, depois que dormiam, estudava por umas duas horas com tranquilidade.
O horário do almoço era outro tempo que usava para estudar, comia um lanche enquanto estudava na biblioteca do meu trabalho (já era concursada e no Ministério Público Federal havia uma biblioteca). Não tinha tanto tempo livre, então, tinha que otimizar o que eu podia. É uma troca que se faz, abre-se mão de umas coisas, para se ter direito a outras – é a vida.
Nessa fase, se estudar bem durante a semana, é possível ter o sábado e domingo livres para eles. E, de verdade, é importante que se tenha esse tempo para estar com sua família, eles são a sua energia, seu combustível.
Resumindo: nesta fase, foque em qualidade e intensidade (concentre-se), monte seu planejamento de modo a aproveitar bem todo o “tempo livre” que tiver durante a semana, organize-se para ter os finais de semana (sábado e ou domingo) com eles. Estar com seus filhos aos fins de semana deve ser a recompensa semanal imediata para o esforço da semana. Pense sempre nisso antes de não cumprir suas metas nessa época.

Preparação durante o “jogo” 

Agora é para valer! Esse é o momento em que você terá que fazer sacrifícios! A parte boa: essa fase é relativamente curta e você será recompensado por todos eles!
Entre os “rumores fortes” de publicação do edital e a prova propriamente dita, temos no geral um período de oito meses. Nesse período sua estratégia precisa mudar.
Agora não dá mais para ter o final de semana todo para ficar com a família, separe apenas um período do sábado ou do domingo para ficar com eles e o resto do tempo será para sentar e estudar!
Para quem acha que o filho pode ficar “traumatizado” com a ausência do pai ou mãe, nesse período, digo que não ficam não, eles “superam” e ainda vão te agradecer lá na frente por terem se dedicado para passar no concurso, já que serão eles os grandes beneficiários de sua aprovação. Acreditem: isso é 100% verdade.
Durante a semana vale também redimensionar o tempo de estudo. Vale acordar um pouco mais cedo, ir dormir um pouco mais tarde, negociar com esposa/marido quem pega as crianças na escola, pedir para pai/mãe/sogro/sogra dar um “help” e cuidar das crianças para que você possa estudar. Nesse período toda a ajuda e todo o tempo são bem-vindos!
Entre a publicação do edital e a prova, temos de dois a três meses, e aí, meu amigo, o negócio é “ir para cima”! Para quem trabalha fora, que era o meu caso na época, vale a pena e recomendo usar seu período de férias nos trinta dias que antecedem a prova. É um tempo precioso que você terá para “afinar” o conhecimento e ficar totalmente focado para a prova. Para aqueles que não dispõem desse recurso, tentem aproveitar cada segundo que puderem dedicando-se aos seus estudos.
Vou dar outra dica que deu muito certo para mim e que pode ajudar alguém que esteja nessa situação: como moro na cidade de São Paulo, meu local de realização da prova foi aqui mesmo, perto da minha casa, mas, por mais que conhecesse o local da prova e que fosse perto, optei por reservar um quarto de hotel próximo ao local da prova e fiquei lá de sexta até o domingo. Por que isso? Para me concentrar para a prova, para não me dispersar, para ter mais tranquilidade de ir e vir para a prova.
E vejam como são as coisas, descobri, após a prova, que meu filho mais novo teve febre a noite toda de sábado para domingo (não foi nada grave, uma dessas viroses que as crianças pequenas têm toda semana). Se tivesse ficado em casa, teria ficado a madrugada inteira acordada junto dele, pois mãe quando vê o filho doente não delega a responsabilidade para ninguém e, possivelmente – para não dizer provavelmente -, meu resultado na prova seria prejudicado de alguma forma.
Resumindo: nessa fase, reorganize seu planejamento e use todo seu tempo disponível para o estudo; deixe apenas um período do seu sábado ou domingo para a família; aqui mais do que nunca foque em qualidade do seu tempo – seja para seu estudo, seja para ficar com sua família; se puder, use seu período de férias para estudo nessa reta final; se puder, concentre-se e prepare-se em local reservado na véspera e durante a realização das provas.
Gabriela Lubies é agente fiscal de rendas, diretora do Centro de Educação Fiscal da Sefaz/SP e coach do Estratégia Concursos

Comentários

Mais Lidas