Concurseiros, a matemática chegou!

Acreditem! TRT (RJ), TRT (SP), dentre outros a matemática desespera os que a evitam.

Redação
Publicado em 27/10/2008, às 17h03

O número de concursos que inclui matemática ou raciocínio lógico aumenta. Para aqueles que “odiavam” agora têm que enfrentá-la inclusive nos tribunais. Acreditem! TRT (RJ), TRT (SP), dentre outros a matemática desespera os que a evitam. Não podemos mais menosprezar órgãos ou bancas.

A FUNRIO,que, para todos os especialistas, faria uma prova de matemática simplória, a todos surpreendeu no concurso da JUCERJA (Junta comercial do Estado do Rio de Janeiro).

Sendo sincero,”apelou” pois colocou exercícios nível olimpíada de matemática num cargo de nível superior. Muitos alunos,”viciados” em resolver somente provas anteriores estão obtendo péssimos resultados pois o nível das avaliações está subindo.

É importante salientar que se faz urgente a construção da “base” em matemática,pois não se aprende da noite para o dia.A matemática básica está presente com um percentual significativo em provas como Petrobras,PRF,dentre outros.Considero temas certos: regra de três, porcentagem, e, hoje, pela incidência; divisão proporcional.

MDC e MMC vêm surpreendendo com questões que os alunos não estavam “familiarizados”. Indico o livro de Matemática básica do professor Benjamim César.

Sugiro que os concurseiros deixem de focar demasiadamente e procurem turmas básicas pois ao passo que a concorrência aumenta e os concursos são divulgados,vencerá o estudante “profissional” e não o aluno de edital como outrora ocorria em virtude de concorrência mais amena. Também não sou adepto do “self-service” de matérias (um módulo em cada curso preparatório), pelo desgaste físico e perda de qualidade em estratégia e logística.

A última prova da PRF é um exemplo.Falta de tempo.Resolver cada questão de matemática com uma abordagem objetiva era um diferencial.Conteúdos diversos foram aplicados tais como: regra de três,razão e proporção,Progressão aritmética,Geometria plana e espacial. Até mesmo para quem se prepara para concurso em nível superior com disciplinas tais como matemática financeira se não possuir conceitos sólidos de porcentagem e juros simples não acompanhará os demais conteúdos subsequentes.

O aluno que não sabe juros simples e porcentagem entenderá juros compostos? Assim,a base faz-se  urgente! Transformação de dízimas em frações de forma rápida,habilidade em MDC e MMC e demais conteúdos contribuem para tanto como resolver a questão quanto resolver mais rápido.

A Cespe “clonou” a primeira questão da prova de matemática da PRF/2008 do livro “Fundamentos da matemática elementar volume 1” um dos autores é Gelson Iezzi. Trata-se da questão dos cartões “Se vogal então par” que consta nos testes de vestibulares na parte de lógica.Assim,a experiência dos professores que preparam é fundamental para orientar e prever tal como fizemos antes dos concursos citados nas salas de aula dos cursos onde lecionamos.


Luiz Fernando A. Souza Júnior*

*Licenciado em Matemática pela Universidade do  Estado do Rio de Janeiro (UERJ), pós-graduado em Administração de empresas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e bacharelando em direito pela Universidade Cândido Mendes (UCAM). Atua há onze anos no mercado de concursos. Instituições que leciona/lecionou: Mapa dos Concursos, Academia do Concurso Público, Curso Praetorium, Cathedra, UERJ, Colégio Naval em Angra dos Reis e Curso Riachuelo em  Niterói.

Comentários

Mais Lidas